Google+ Badge

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Município de Melgaço recebe ação integrada do governo


A Imprensa Oficial entrega de cerca de dois mil livros infantis, infanto-juvenis e paradidáticos, doados por meio do Projeto Livro Solidário.
O presidente da IOEPA, Cláudio Rocha.
Da Redação
Agência Pará de Notícias
Atualizado em 02/02/2016 14:43:00
A diretora geral do NAC, Daniele Khayat, a ação representa um esforço.
Uma ação integrada vai reunir diversos órgãos estaduais nesta quinta-feira, 4, durante o projeto “Abraçando Melgaço”, criado por um grupo de empresários mobilizados em torno do Pacto pela Educação no Pará, voltado à melhoria da educação no município. A programação inicia às 9h, no Spazzio Show, e inclui várias atividades realizadas pelas entidades parceiras, como o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), Secretaria de Educação (Seduc), Companhia de Habitação (Cohab), Imprensa Oficial do Estado (IOE), Grupamento Fluvial de Segurança Pública (GFLU) e Prefeitura de Melgaço.
Serão entregues cerca de 1.500 kits escolares.
Na ocasião serão entregues cerca de 1.500 kits escolares para alunos das 50 escolas municipais das áreas rural e urbana, doados pela empresa Hydro. O material foi arrecadado durante o show da banda A-HA, ocorrido no município de Barcarena, no ano passado. Serão também entregues certificados para 155 merendeiras das escolas que participaram dos três cursos realizados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e distribuídos 700 livros paradidáticos sobre cidadania, doados pela Editora Paulus ao Centro de Referência de Assistência Social do município. Além desses exemplares, a Imprensa Oficial do Estado fará a entrega de cerca de dois mil livros infantis, infanto-juvenis e paradidáticos, doados por meio do Projeto Livro Solidário, com a finalidade de fortalecer as bibliotecas e espaços de leitura das escolas.
O presidente da Imprensa Oficial do Estado, Cláudio Rocha, disse que a participação da IOE nessa ação vem ao encontro do objetivo do projeto, que é estimular a leitura, principalmente entre as crianças. “Que os livros doados possam, realmente, contribuir para melhorar a vida de cada um”, externou. Desde 2011 até hoje, já foram arrecadados cerca de 16 mil livros por meio do projeto, material esse que têm contribuído para equipar as bibliotecas escolares e outros espaços de leitura.
Para a diretora geral do NAC, Daniele Khayat, a ação em Melgaço representa um esforço conjunto de todos os organismos estaduais e municipais no sentido de colaborar com o desenvolvimento social do município, com serviços de cidadania e educação. “Acreditamos que essa união só tem resultado prático se todos, governos e cidadãos, além da boa vontade e desejo de melhoria, somem suas expertises e exercitem a cidadania em todos os níveis. Esse é o sentido desta ação integrada”, conclui (Pararijos NEWS)

Jatene expõe na Alepa avanços do Pará


O governador do Estado do Pará, Simão Jatene, esteve na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), ontem pela manhã, onde cumpriu o preceito constitucional de prestar contas à sociedade dos atos do Executivo no ano passado e apresentar as metas para este ano. Para comprovar os avanços do Estado, ele comparou números, serviços e estatísticas entre 2011 e 2015.
Jatene esclareceu que optou por fazer paralelos a fim de que fosse possível que se entendesse ''porque num ano de turbulências políticas, escalada inflacionária, recessão econômica, aumento do desemprego, crise generalizada, pessimismo e incertezas, foi possível realizar, mesmo num quadro tão difícil, evitando que tudo fosse pior''.
O governo investiu R$ 1,840 bilhão na área de saúde, o que corresponde a 13,66% da receita líquida estadual; acima da exigência constitucional que é de 12%. Também R$ 2,3 bilhões, na área da educação básica, entre recursos provenientes do Tesouro Estadual, do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e de convênios. Os gastos com a segurança pública alcançaram R$ 2,3 bilhões, em 2015.
Jatene observou uma contradição dramática no cenário nacional, a de que o povo brasileiro está mais pobre, e empobrecido torna-se mais dependente das esferas de governos, que, por sua vez, têm menos receitas para responder às demandas crescentes da sociedade. Em uma hora e 53 minutos, ele abordou os investimentos nas áreas de logística e infraestrutura, no Banco do Estado do Pará (Banpará) e ainda nos setores de segurança, educação, cultura, saúde e desenvolvimento social e econômico do Estado.
Ele citou pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) para exemplificar os esforços do Estado na busca da integração do território paraense. Ele afirmou que, em 2011, só 0,4% das rodovias no Pará receberam avaliação positiva, ou seja, bom ou ótimo. Entretanto, em 2015, as estradas avaliadas positivamente saltaram para 23,3%, "o que é algo nada desprezível, ainda que provavelmente alguém sem compromisso, a não ser com a velha política, possa tentar desfazer tal ganho se fixando no fato do número representar apenas ¼ das estradas", observou Jatene.
Por outro lado, defendeu ele, se forem separadas as avaliações das estradas estaduais, as chamadas PAs, e das rodovias federais (BRs), a pesquisa da CNT aponta que 42,5% das PAs foram consideradas ótimas ou boas, enquanto apenas 18% das BRs receberam essa avaliação.
"Nenhuma estrada estadual foi considerada péssima, enquanto 21,7% das rodovias federais tiveram essa negativa. Esses números não são do Estado, são da Confederação Nacional dos Transportes", frisou Jatene, citando que o Estado investiu fortemente em mais de mil quilômetros de rodovias estaduais com restauros ou até reconstruções, a exemplo da PA-150, uma das mais importantes rodovias do Pará, que integra as regiões sul e sudeste e o nordeste e a Região Metropolitana de Belém (RMB).
O governador falou da entrega da ponte do Moju e das pontes de Igarapé-Miri, no Baixo Tocantins; do rio Capim, no nordeste; e do rio Curuá, em Alenquer, no Baixo Amazonas, que somam quase 1.500 metros e mais de R$ 300 milhões de investimentos.
No modal hidroviário, foram destaques os investimentos no Terminal Hidroviário de Belém, que já contabiliza cerca de 600 mil passageiros em mais de 1.500 viagens, bem como no Terminal de Itaituba. Outros terminais hidroviários serão criados no Estado dentro de "um programa que pretendemos levar em frente com a operação de crédito com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), cuja autorização foi aprovada por esta Casa’’, disse Jatene.
A modernização e ampliação do Banpará também foram destaques. O banco saltou de 40 pontos de atendimento em 2011 para 92 (agências e postos de serviço). A rede hospitalar regional também foi ampliada. Há 12 anos, só havia um hospital público em Belém de alta complexidade. "Hoje temos em Ananindeua, Marabá, Santarém, Altamira, Redenção, Breves, Paragominas e Tailândia. E ainda nesse mandato, teremos os novos hospitais de Itaituba e Castanhal, sem falar na reconstrução de unidades como as de Abaetetuba e Barcarena, que apesar dos atropelos, esperamos concluir ainda este ano’’, garantiu o governador.
Na RMB, ele ainda enfatizou o funcionamento já agregado à rede pública da nova Santa Casa, do Jean Bitar e do Galileu, e mais recentemente, do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, que assiste crianças e adolescentes, com 98 leitos, sendo 10 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Estamos avançando em Icoaraci na construção do novo Abelardo Santos, com 280 leitos, que deverá ser concluído este ano’’, disse o chefe do Executivo.
Presidente da Alepa, o deputado Márcio Miranda (DEM) presidiu a sessão solene, cuja mesa de honra contou com as presenças do vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado(TJE), desembargador Ricardo Nunes; do procurador-geral do Ministério Público Estadual (MPE), procurador Marcos Antônio Ferreira das Neves; do presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) em exercício, conselheiro Sérgio Leão; do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Luís Cunha, e ainda do segundo presidente da Mesa Diretora da Alepa, deputado Cássio Andrade (PSB). Também prestigiaram a cerimônia, deputados e secretários estaduais e outras autoridades. (Pararijos NEWS)

Projeto permite licença-paternidade de 20 dias

Projeto permite licença-paternidade de 20 dias (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
Na primeira votação do ano, o Senado aprovou um projeto de lei que cria o Marco Legal da Primeira Infância, que estabelece políticas públicas para crianças de 0 a 6 anos. A votação foi realizada de forma simbólica, quando os senadores não registram seus votos, e o texto segue para sanção presidencial.
Ela permite também a prorrogação da licença-paternidade de cinco para 20 dias, desde que o pai seja funcionário de um local vinculado ao programa Empresa Cidadã. Criado em 2008 para estimular a licença-maternidade de seis meses nas companhias brasileiras, o programa, da Receita Federal, ainda não obteve grande adesão das empresas do país. A licença-paternidade foi instituída, pela primeira vez no país, pela Constituição de 1988.
A proposta estabelece que, além da proteção à criança, como já é determinado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, haja a promoção do desenvolvimento integral de meninos e meninas. O texto também determina que a criança seja considerada na elaboração das políticas para a primeira infância.
De acordo com o projeto, as áreas de educação infantil, alimentação, nutrição, convivência familiar e comunitária, assistência social, cultura, lazer e proteção serão prioridades nas políticas públicas. Os pais e as mães serão responsáveis, juntamente com os estados, municípios, União e toda a sociedade, pela proteção, educação, promoção e pelo desenvolvimento das crianças.
"Este projeto vem na direção de fortalecer as políticas públicas voltadas para a primeira infância, para uma fase considerada essencial para a formação e o desenvolvimento do ser humano. Quanto mais o país olhar para suas crianças, mais nós estaremos dando passos firmes rumos à sociedade que desejamos", afirmou a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), relatora do projeto no Senado.
Em relação à licença-paternidade, a senadora destacou que a ampliação do prazo para o benefício "quebra paradigmas". "Ele quebra paradigma, na medida em que, o costume é da mãe cuidar mais da criança. Mas o pai deve ter a mesma responsabilidade e cuidado com a criança. Essa proposta vem no sentido de mudar esses conceitos e práticas existentes", disse.
(Folhapress/Pararijos NEWS)

Aprenda a fazer repelentes caseiros e naturais

Aprenda a fazer repelentes caseiros e naturais (Foto: Divulgação)
Afaste o mosquito com fórmulas fáceis e baratas de fazer! (Foto: Divulgação)
Em tempos de zika vírus, o cuidado com os mosquitos deve ser redobrado. No mercado existem muitos repelentes, seja em forma de spray, cremes, e  fumacê. O problema, além do custo alto, é a química usada nesses produtos, muitas vezes não indicada para uso em crianças, idosos e alérgicos, por exemplo.
O Pararijos NEWS organizou algumas dicas de repelentes para você testar na sua casa e no seu ambiente de trabalho. Confira a experimente. A maioria é sustentável.
1. Citronela: pode ser cultivada em casa. Só não pode fazer o chá com essas folhas, pois é muito  tóxico. Caso não consiga plantar, óleos essenciais de citronela em difusores já ajudarão bastante.
A citronela tem um alto poder repelente.
2. Hortelã: também é facilmente plantada em qualquer jardim e repele formigas e outros. Para evitar que formigas entrem em casa, basta despejar um pouco do óleo essencial da planta, que isso será resolvido.
Hortelã
3. Manjericão:  repelente natural de mosquitos e moscas. Misture um pouco de seu óleo essencial ao álcool.
Manjericão
4. Lavanda: o óleo essencial cheira muito bem e é um repelente eficaz, especialmente se diluído em outro óleo como semente de damasco, amêndoa doce ou óleo de coco.
5. Você também tem a opção de ingerir alguns alimentos para afastar os mosquitos. Quer saber como funciona? Assista ao vídeo da nutricionista Tatiana Zanin que explica melhor sobre isso: 
6. Receita para borrifar no corpo
Utilize 500 ml de álcool; 2 colheres de sopa de cravo da índia; 100 ml de óleo de amêndoas doce.
Coloque o álcool numa garrafa de vidro de 1 litro e adicione cravos. Deixe o cravo no álcool por 4 a 8 dias, agitando algumas vezes durante o dia – quanto mais agitado e infuso, tempo, mais concentrado fica. Dessa forma, o álcool extrai o óleo essencial do cravo. Depois do tempo determinado, acrescente o óleo e coe tudo. Ponha em frascos com tampa borrifadora e aplique em determinadas regiões, as mais expostas, do corpo. A reaplicação deverá ser realizada de 6 em 6 horas.
Gostou das dicas? Já experimentou? Se tiver outras mande para a redação que o Pararijos NEWS vai compartilhar. 
(Pararijos NEWS)

“Louro da Moto” é assassinado com três tiros

“Louro da Moto” é assassinado com três tiros (Foto: Celso Rodrigues/Diário do Pará)
(Foto: Celso Rodrigues/Diário do Pará)
Agnaldo Aragão Fontinelle Oliveira, 29, conhecido como “Louro da Moto” foi assassinado a tiros nesta quarta-feira (03). O crime aconteceu na rua São Pedro, entre Magalhães Barata e São Bento, no bairro do Benguí, em Belém.
A vítima foi assassinada com pelo menos três tiros dentro de uma loja de peças para motocicletas. Ele era proprietário do estabelecimento. 
A polícia trabalha com a linha de investigação que o crime tenha sido uma execução, já que nada foi roubado da loja. Peritos do Instituto Médico Legal (IML) removeram o corpo do local. A polícia investigará o crime.
(DOL/Pararijos NEWS com informações de Celso Rodrigues/Diário do Pará)

Pararijos NEWS


No Pesque-Pague tem clima de interior, comida deliciosa, e pescaria, claro...

Faz tempo que eu não dou dicas de passeios no fim de semana. Confesso que estava com preguiça de pegar a estrada nos últimos dias. Então, resolvi aceitar o convite de um amigo para conhecer um lugar que fica a 13 quilômetros do centro do Macapá, e onde é possível comer do tradicional tambaqui à picanha maturada, tudo com o conforto do serviço de restaurante em um ambiente bucólico, que mais parece uma localidade do interior do Estado. Não me arrependi. Nesse dia, vi que no Pesque Pague da Fazendinha muitas famílias também tem optado pelo mesmo passeio.
?
Restaurante dá acesso a decks onde os pescadores se arriscam e se dão bem
O lugar é extremamente arborizado, amplo e com muito verde ao redor de um lago onde são criados vários tipos de peixe, especialmente o tambaqui e a pirapitinga, duas espécies muito consumidas no Amapá, especialmente assadas na brasa. Para muitos, o Pesque e Pague não é novidade, mas tem recebido atenção especial do empresário Natan Toledo, que revitalizou o lugar.
Restaurante tem música ambiente e muita ventilação
Restaurante tem música ambiente e muita ventilação
O restaurante é aberto, às margens do lago, o que permite a ventilação contínua. O restaurante também dá acesso aos decks onde os pescadores se arriscam e geralmente se dão bem. Nesse dia, só um dos visitantes conseguiu pegar dois peixes. O maior, um tambaqui, pesou 10,5 quilos.
Restaurante às margens do lago
Restaurante às margens do lago
Em estabelecimentos de outros estados, o visitante é obrigado a pagar uma taxa para pescar. Em Fazendinha, o pescador paga apenas pelo quilo do peixe que fisgou: R$ 15.
Atendimento rápido e simpatia do pessoal operacional
Atendimento rápido e simpatia do pessoal operacional
Além da diversão de pescar e do visual do lugar, completam o ambiente o atendimento rápido, a boa música (som ambiente), e o vasto cardápio que inclui carnes branca e vermelha, camarão, o carro-chefe que é o peixe, sem esquecer do açaí fresquinho. Para ganhar tempo, o visitante ainda pode ligar e encomendar o almoço (99148-8803). A sobremesa é cortesia.
Famosa tambaqui, uma das iguarias do vasto cardápio
Famosa tambaqui, uma das iguarias do vasto cardápio
Também é possível escolher o peixe que você irá consumir. Um tanque dentro do restaurante tem várias opções de peixes ainda vivos. É só escolher e esperar ele ficar pronto, seja cozido, frito ou assado na brasa. Depois do almoço e de um dia de pescaria, é só voltar pra casa para curtir o resto do dia. E o melhor: sem precisar pegar nenhuma BR.
O Pesque-Pague está numa área repleta de verde e árvores
O Pesque-Pague está numa área repleta de verde e árvores
 (Pararijos NEWS)

Juju toda nua na avenida


Juju Salimeni era só uma garotinha e já sonhava com o carnaval carioca. Desfilou por cinco anos como musa da Mancha Verde, em São Paulo, e, no final do ano passado foi sondada para ser musa da Unidos da Tijuca, no Rio de Janeiro. Não pensou duas vezes e agarrou a oportunidade com unhas e dentes. Tanto é que, há um mês, mudou-se para a Cidade Maravilhosa para acompanhar de perto os últimos preparativos do carnaval, ir a todos os ensaios e se familiarizar na nova casa.
“Este carnaval é tudo novo para mim. Sei que vão rolar algumas coisas que não vão agradar, que vão ter alguns erros, mas não por mal. Só por ser novidade mesmo. Tenho muita dedicação e vontade de aprender, inclusive com as musas que já estão lá. Quero que me conheçam, sei que sou uma novidade. Não tenho frescura, fico com a galera, junto com todo mundo. Sou povão”, diz.
A antiga escola ficou para trás. Segundo ela, não conseguiria conciliar duas escolas de samba com sua agenda de trabalho. Mas sem rancor ou corrida por postos de rainha de bateria.
“Não vim para o Rio de Janeiro porque não fui rainha em São Paulo. Eu podia ter apenas mudado de escola, e ter ficado por lá, como inclusive tive convite. Mas queria conhecer o carnaval do Rio”, reforça ela, que também já está preparada para lidar com elogios e críticas – como a que enfrentou recentemente por causa de uma foto de seu joelho -, na nova vitrine carnavalesca.
“Fico chateada porque sou muito dedicada aos treinos e à dieta. Não quero vender uma coisa que não sou. Esse episódio me assustou. E não entendi: ‘Por que eu faria um Photoshop no joelho para ficar sem joelho?’ (risos)”, diz ela em um papo descontraído em que não teve medo nenhum de responder a qualquer pergunta ou de mostrar o corpão sarado. O mesmo que ela vai exibir na Sapucaí.
E como será a fantasia da gata?
“Não vai ser tapa-sexo. É tapada, mas é uma ilusão. Parece que estou vestida, mas não estou (risos). Será feita de um material diferente, com muito brilho. Mas vai ter corpão sem celulite e sem nada (risos).”
(Pararijos NEWS)

União deve prestar atendimento à saúde indígena

União deve prestar atendimento à saúde indígena (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
A Justiça Federal determinou que a União adote com urgência medidas básicas para o atendimento à saúde de 13 povos indígenas de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos, região oeste do Pará.
O atendimento aos índios estava sendo negado sob as alegações de que as terras desses povos ainda não foram demarcadas ou porque há índios que não moram nas aldeias, mas o Ministério Público Federal (MPF) defendeu, e a Justiça acatou a tese de que esses critérios são ilegais.
A decisão foi anunciada no site da Justiça no último dia 25, e o MPF teve acesso à íntegra do documento na última quinta-feira (28). O juiz federal Victor de Carvalho Saboya Albuquerque estabeleceu prazo de 90 dias para que a União cadastre os indígenas no banco de dados do sistema diferenciado de saúde, distribua os cartões para acesso aos serviços e organize e passe a manter equipes de atendimento às comunidades.
As etnias com direitos garantidos pela decisão são: Borari, Munduruku, Munduruku Cara-Preta, Jaraqui, Arapiun, Tupinambá, Tupaiu, Tapajó, Tapuia, Arara Vermelha, Apiaká, Maitapu e Cumaruara.
Desde 2001 quase 6 mil indígenas desses povos reivindicavam à União a atenção diferenciada à saúde, sem resposta.
A determinação liminar (urgente) também estabelece que, dentro de 48h a Casa de Saúde Indígena (Casai) de Santarém deverá atender qualquer indígena que more na zona urbana do município, provisória ou definitivamente. O atendimento deve ser feito aos indígenas das 13 etnias citadas na ação e aos integrantes de quaisquer outras etnias.
Em caso de descumprimento da liminar, a multa é de R$ 10 mil por dia. Os prazos passaram a contar a partir do dia 25, quando a Advocacia-Geral da União (AGU) tomou oficialmente conhecimento da decisão.

Direitos ignorados 
Na ação, o procurador da República Camões Boaventura defendeu que não se pode atrelar o acesso à saúde indígena à conclusão de procedimentos demarcatórios, sob pena de a omissão e demora do Estado na demarcação de terras gerar a falta de atendimento à saúde.

Em relação aos índios que vivem fora das aldeias (chamados de não aldeados), o MPF destacou na ação que a portaria do Ministério da Saúde nº 1.163/99 é categórica: “a recusa de quaisquer instituições, públicas ou privadas, ligadas aos SUS [Sistema Único de Saúde], em prestar assistência aos índios configura ato ilícito, passível de punição pelos órgãos competentes”.
(DOL/Pararijos NEWS com informações do MPF)

Interventor assumirá cartório por 90 dias

Interventor assumirá cartório por 90 dias  (Foto: Elcimar Neves/Diário do Pará)
Luiziel Guedes foi designado pela Justiça para ser o interventor. (Foto: Elcimar Neves/Diário do Pará)
O presidente do Tribunal de Justiça do Pará, desembargador Constantino Augusto Guerreiro, decidiu afastar, por 90 dias, o oficial titular do Cartório do 2º Ofício de Registro de Imóveis de Belém Walter Costa. A Justiça designou Luiziel Henderson Guedes de Oliveira para responder pelo serviço, como interventor. A decisão foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial de Justiça.
O afastamento provisório do titular do cartório se fundamenta no Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado pela Corregedoria de Justiça da Região Metropolitana de Belém. O objetivo é apurar evidências de irregularidades apontadas pela Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças do Judiciário, referentes à falta de recolhimento dos valores devidos ao Fundo de Reaparelhamento do Judiciário (FRJ) e ao Fundo de Apoio ao Registro Civil (FRC).
O PAD foi instaurado em 28 de janeiro deste ano, pela corregedora da Região Metropolitana de Belém, desembargadora Diracy Nunes Alves. A Divisão de Acompanhamento e Controle de Arrecadação dos Serviços Extrajudiciais (Daex) afirma que foram esgotados “todos os meios de cobrança amigável” de débitos referentes a valores devidos ao FRJ e ao FRC.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Thábata Mendes deixou XCalypso após tentativa de agressão de Ximbinha

A cantora não aguentou os desmandos de Ximbinha e deixou a banda (Reprodução/ Instagram)
Thábata Mendes, a cantora que substituiu Joelma na nova banda de Ximbinha, deixou a XCalypso depois que o guitarrista tentou agredi-la em Tibau, no Rio Grande do Norte. De acordo com o colunista Leo Dias, do jornal ‘O Dia’, depois de uma discussão entre os dois, Ximbinha partiu para cima da loira e só não a agrediu porque outras pessoas o impediram.
“O que mais incomodava ela era a desorganização e a dificuldade do diálogo, porque ela não tinha voz nas decisões. Thábata, no início, achou que era apenas uma fase de adaptação. Mas depois, ela percebeu uma face violenta que até então não tinha sido vista”, contou uma fonte próxima à cantora ao jornal.
Ainda segundo a publicação, Ximbinha tentou contornar a situação e convocou uma reunião com a equipe para garantir que coisas daquele tipo não voltariam a acontecer, mas Thábata Mendes não voltou atrás na decisão de deixar a banda. (Pararijos NEWS)

Colombiano tomba a tiro


Dois colombianos foram perseguidos e alvejados por um atirador na BR-316 na manhã de ontem. Um deles, identificado como José Mauricio Taborda Diaz, de 29 anos,  morreu ao ser atingido pelos disparos. Ele estava na companhia de Yonathan Velez Ramos, que não se feriu, em uma motocicleta, na manhã de ontem, quando passou a ser perseguido pelo veículo, modelo Fiesta preto, placas NSH- 9291. Para tentar fugir, os colombianos seguiram em direção à rua Magalhães Barata, mas os criminosos conseguiram alcançá-los e efetuaram vários disparos. José Mauricio morreu no local e uma mulher que caminhava naquela rua também foi atingida com um disparo, segundo o relato de testemunhas. Até o fim da manhã de ontem, a polícia não tinha informações sobre a mulher.
A execução no bairro da Guanabara ocorreu por volta das 8h30 de ontem. Pessoas que passavam pelo local foram surpreendidas pelo tiroteio. Yonathan contou que estava na companhia do amigo José Mauricio fazendo algumas cobranças no bairro da Guanabara, já que eles fazem empréstimos a juros para camelôs e pequenos comerciantes do bairro.
Velez declarou ao delegado Renato Wanghon, diretor da delegacia da Guanabara, que em meio às cobranças passou a ser perseguido por um Fiesta preto. “Ele disse que no momento que percebeu o carro em alta velocidade também resolveu acelerar a motocicleta. E durante a fuga entrou na rua Magalhães Barata. Lá, o Fiesta conseguiu alcançá-los e o passageiro que estava no banco do carona do veículo efetuou vários disparos”, disse o delegado, se referindo ao depoimento prestado pelo colombiano.
Algumas pessoas relataram no local do crime que uma mulher que passava pelo local também foi atingida na região do abdômen, e ainda foi vista um tempo depois em um ponto de mototáxi, pedindo ajuda. Mas até o fim da manhã de ontem, o delegado Renato Wanghon ainda não tinha recebido informações a respeito da vítima. “Algumas pessoas disseram que ela tinha dado entrada no Hospital Metropolitano, mas até agora no hospital ninguém confirmou essa informação. Se existe mais essa vítima, nós precisamos saber onde ela está”, declarou a autoridade policial.
Após o tiroteio, os criminosos seguiram no veículo e o colombiano ficou parado no local à espera de ajuda. Uma viatura da Polícia Militar encaminhou Velez até a unidade policial.
O delegado Renato Wanghon informou que vai se aprofundar nas investigações para saber se a versão relatada pela vítima que sobreviveu ao atentado é verdadeira.
“Nós vamos descobrir se ele está ligado apenas a esse esquema de agiotagem. Já entramos em contato com a Polícia Federal para saber se eles têm algum problema no país de origem ou em algum lugar do Brasil, já que eles disseram que estavam viajando por vários estados”, declarou o delegado. Yonathan disse que renovou o visto no Brasil no último dia 22. E o visto do amigo vai vencer no dia 26 de março. (Pararijos NEWS)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

PIS/Pasep: 15 milhões não sabem que têm abonos

PIS/Pasep: 15 milhões não sabem que têm abonos  (Foto: Camila Rodrigues/Palácio Piratin)
(Foto: Camila Rodrigues/Palácio Piratin)
Mais de 15 milhões de trabalhadores não sabem que têm créditos a receber do Programa de Integração Social e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep). Os números foram divulgados pela Controladoria-Geral da União (CGU), após uma auditoria que identificou falhas na comunicação a esses trabalhadores.
Quem contribuiu com os programas até o ano de 1988 tem direito ao recebimento anual do rendimento de suas cotas, além de poder sacar todo o crédito em caso de aposentadoria, doença ou se tiver mais de 70 anos. No caso de o trabalhador já ter falecido, seus herdeiros diretos podem requerer o benefício. O benefício do PIS é pago pela Caixa Econômica Federal e o Pasep, pelo Banco do Brasil.
De acordo com Antônio Carlos Bezerra Leonel, coordenador-geral de auditoria da Área Fazendária da CGU, até o ano de 1988, os programas PIS/Pasep eram geridos por um fundo de participação. A partir de 1988, o fundo parou com a arrecadação para contas individuais e os recursos provenientes das contribuições passaram a ser destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), para o custeio do seguro-desemprego, do abono salarial e do financiamento de programas de capacitação.
A auditoria realizada pela CGU analisou o período de julho de 2013 a junho de 2014, assim como dados de 31 milhões de cotistas. No período avaliado, o Fundo de Participação do PIS/Pasep, que tinha as contribuições feitas até 1988, contava com aproximadamente 31 milhões de cotistas, sendo 26 milhões do PIS e 5 milhões do Pasep. Os valores chegavam a R$ 37,5 bilhões.
As dificuldades na identificação e na comunicação com os trabalhadores, seja por mudança de domicílio ou por falecimento, já foram tema de discussão no Tribunal de Contas da União, que determinou aos gestores uma ampla publicidade sobre o direito que os trabalhadores têm a esses créditos.
“É um dinheiro que não pode ser entendido como pertencente à União. O objetivo principal do Fundo é pagar o cotista. Para o trabalhador, o importante é que aquele saldo que ele não retirou, todo ano vai acumulando. Se ele deixou lá sem movimentar, ele pode ter uma agradável surpresa”, afirmou Bezerra Leonel. 
Ele disse ainda que a CGU não teve acesso a todos os dados necessários para afirmar com exatidão quantos desses trabalhadores faleceram e quantos já se aposentaram. Por isso, após a auditoria, o órgão sugeriu que o número de CPF fosse incluído no sistema da Caixa Econômica para que não se gere mais de uma conta por cotista. Também foram sugeridas mudanças na gestão do Pasep pelo Banco do Brasil.
O coordenador afirmou que, na década de 1980, o CPF não acompanhava o cadastro do PIS/Pasep, o que trouxe dificuldades para fazer o cruzamento dos dados. Atualmente, o abono salarial do PIS é pago pelo FAT àqueles trabalhadores que recebem até dois salários mínimos mensais. O valor corresponde a um salário mínimo por ano.
Para ter direito ao benefício, o trabalhador que contribuiu até 1988 deve procurar uma agência do Banco do Brasil, no caso da contribuição ao Pasep, ou da Caixa Econômica Federal, no caso da contribuição ao PIS. No caso de falecimento do trabalhador, a solicitação pode ser feita por um herdeiro direto.
(Agência Brasil/Pararijos NEWS)

Prenúncios do Carnaval

Enfim, um dos períodos mais esperados pelos cidadãos deste distinto município está chegando: o carnaval. Seja ele comemorado nas ruas pelos foliões, nos clubes pelos conservadores, nas residências pelos caseiros, nos balneários pelos ressacados ou nos becos escuros pelos marginais, esse festejo é um dos que melhores imprimem o desejo do brasileiro de viver dias melhores; ou, no mínimo, passar alguns dias sem as lembranças de todo o caos que vivemos na área econômica, política e cultural. Sem dúvidas, é deveras estranho comemorar o carnaval tendo em vista todos os problemas que vivemos, tanto é que virou moda entre alguns políticos desviar o dinheiro destinado à promoção desse evento para uma área (eternamente) necessitada: saúde e educação. O que não foi o caso do município de Breves. Não estranho tal atitude, afinal, tirar o dinheiro destinado ao carnaval para investir em saúde e educação, aqui nesta cidade, é dar um tiro no próprio pé. Afinal, não é de hoje que vemos que a opinião política dos eleitores da capital da Ilha do Marajó é baseada, quase que exclusivamente, nos eventos festivos que a prefeitura promove. Se a festa é boa, o governo está bom. Caso contrário, fulano ou ciclano eram/seriam melhores prefeitos. A própria população instiga a política do circo (pão não dão, é só circo mesmo) e esquece, em demasia, das outras áreas necessárias para uma vida digna. Alguém se esqueceu que, um dia desses, a rua Lourenço Borges foi fechada por populares devido o completo abandono da gestão? Lembro-me quando comecei a minha vida como eleitor e vivi a transição de um governo para outro. Naquela época, eu participava do carnaval e me lembro dos comentários esdrúxulos de muitos populares sobre a “péssima qualidade” que tinha sido acometida aquela data festiva com o novo governo e que não “ganharia” mais seu “voto” nas próximas eleições. Que fim triste é esse da democracia. Mas, quem sou eu para proibi-los de festejar? Ao contrário, instigo que comemorem. Somos trabalhadores, pagamos nossos impostos, e escolhemos para onde queremos que estes recursos sejam direcionados. Depois, durante todos os outros dias do ano, colheremos os frutos de nossas decisões. Ora ou outra precisamos chutar o balde, caso contrário esta vida nos enlouquecerá. Contudo, peço que nestes dias de folia sejam conscientes. Há muitas pessoas de bem, trabalhadores, pais e mães de família, que saem para comemorar, muitos até levam os seus filhos. Vamos festejar sem prejudicar ninguém. Sem brigas, mortes, acidentes por alcoolismo. Vamos fazer desse carnaval três dias de paz, e não mais motivos de tristeza para a nossa já pesada consciência. E viva o carnaval! Renan Medeiros, o Coruja Canto do Coruja renanmedeiros_costa@yahoo.com.br
(Pararijos NEWS)

Pararijos NEWS


Laércio tem fotos de adolescentes seminuas na web

Laércio tem fotos de adolescentes seminuas na web (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
A polêmica envolvendo o brother Laércio, de 53 anos, continuam.
As queixas que ele seria pedófilo estão por toda a rede e, especialmente, em grupos anonimos no Facebook.
No último fim de semana os internautas acharam a conta do participante e o que acharam é de deixar muita gente assustada: o brother publica fotos de adolescentes seminuas, curte páginas de armas e até curtiu a fanpage da participante de "Master Chef Junior" que esteve envolvida em polêmicas.
No Facebook do participante, os internautas acharam fotos de adolescentes de sutiã e calcinha e a fanpage da participante de 12 anos do "MasterChef Júnior" que teria sido alvo de pedofilia.
Além disso, também descobriram que o participante segue páginas de armas e supremacia racial. 
Um dos compartilhamentos que mais ganhou foco foi de 2013, quando o tatuador compartilhou em sua página a foto de uma adolescente seminua.
Um amigo do participante brincou chamando-o de "pedófilo" e, em resposta, o brother escreveu "efebófilo" - quem sente atração por adolescentes. Os internautas não gostaram nada da publicação e teve quem comentasse a atitude do tatuador.
Após comunicar os outros brothers na casa que seria adepto da poligamia e de namorar meninas de 16 e 17 anos, Laércio chamou a atenção e gerou certo medo nas sisters.
Ana Paula foi a única a desabafar sobre o brother após perceber que o mesmo a olhava estranho e teria feito gestos olhando para ela e para a participante Munik de 19 anos.
No Facebook, surgiram relatos e prints de conversas sobre a personalidade dele:

Eu tinha me prometido não dizer nada sobre o caso Laercio do BBB, simplesmente por saber que nem a votação nem as denú...
Publicado por Leda Mendonça em Segunda, 1 de fevereiro de 2016
(Pararijos NEWS com informações do IG)

Início do ano legislativo é marcado por protestos

Início do ano legislativo é marcado por protestos (Foto: Diego Beckman)
Deputados estaduais voltaram ao trabalho hoje (Foto: Diego Beckman)
Dezenas de servidores estaduais do Pará realizaram uma manifestação, na manhã desta terça-feira (2), na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), durante a cerimônia de início do ano legislativo. A celebração contou com a participação do governador Simão Jatene, que foi o principal alvo de críticas.
Segundo Valdo Martins, da Federação dos Servidores Públicos do Estado do Pará, os servidores estão insatisfeitos em vários setores, principalmente sobre o atendimento no Instituto de Assistência dos Servidores do Estado (Iasep).
"Entre sindicatos, federações e associações, somos em 32 entidades hoje, manifestando nosso descontentamento com o governo Jatene. A principal reclamação é a reformulação no Iasep, que foi imposta aos servidores sem nenhum diálogo, que aumenta a alíquota da arrecadação de 6% para 8% do salário do servidor, além de excluir os dependentes de novos associados", afirmou. "É um absurdo. Por isso, estamos aqui para protestar".
A cerimônia marca o início do calendário de atividades na Alepa e deputados estaduais iniciam o período de análise de propostas e votações.
(DOL/Pararijos NEWS com informação de Jorge Anderson/Rádio Clube)

Atraído para a morte


Um jovem foi assassinado com várias facadas, ontem à tarde, em Águas Lindas, em Ananindeua. A motivação do crime foi passional, revela o delegado Guilherme Macedo, da Divisão de Homicídios, que esteve no local do crime. A vítima, Waldeam Pinto Monteiro, de 21 anos, foi atraída ao local por uma mulher com quem manteve um relacionamento afetivo quando ela namorava um presidiário que prometeu matar o rival. Após ser solto, o ex-detento cumpriu a ameaça. Para matar Waldeam, ele também contou coma ajuda de um comparsa. As polícias Civil e Militar efetuam buscas aos três envolvidos.
O crime ocorreu na Rua Ipacaraí, mais conhecida como Rua do Café Diário, por volta das 15h30. De acordo com o sargento Edinaldo Frazão, da 3ª Companhia do 6º
Batalhão da Polícia Militar, que esteve no local do homicídio, uma moça esteve na residência de Waldeam, cerca de uma hora antes, para chamá-lo para sair. O casal saiu na motocicleta da vítima. Porém, ao chegar num terreno baldio, Waldeam foi abordado por dois homens que, usando duas facas, uma pequena e outra grande, aplicaram vários golpes na vítima, atingindo-lhe o peito, as costas e o pescoço. O jovem morreu no local. A motocicleta dele foi roubada, sendo usada na fuga dos assassinos. Porém, foi abandonada mais adiante e apreendida pela polícia.
O corpo ficou exposto à curiosidade de grande números de populares na via pública. Duas técnicas do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves estiveram no local fazendo levantamento das primeiras informações sobre o assassinato, acompanhados por policiais militares e policiais civis, além de familiares da vítima. Ao final do trabalho de levantamento de local de crime, o cadáver foi removido para ser necropsiado no Instituto Médico-Legal (IML) antes de ser entregue à família para sepultamento.
O delegado informou que o ex-presidiário e a moça que teria atraído Waldeam ao local do crime já estavam identificados, mas que os nomes não seriam divulgados para não “atrapalhar as investigações”. Se a polícia não conseguir localizá-los nas próximas horas, deverá ser requerida à Justiça a decretação da prisão preventiva deles. O inquérito policial vai tramitar na Delegacia do Júlia Seffer, onde foi registrado o boletim de ocorrência do homicídio. (Pararijos NEWS)

Polícia investiga bando que roubava cargas

Polícia investiga bando que roubava cargas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Carga foi apreendida pela Polícia Civil na residência de um dos suspeitos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
A Polícia Civil investiga uma associação criminosa especializada em roubo de cargas que praticou o crime no município de Santa Izabel do Pará, Região Metropolitana de Belém. O trabalho está sendo feito pela Delegacia de repressão a Furtos e Roubos de Cargas, vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). 
De acordo, com a Polícia Civil, Anderson da Silva de Souza foi localizado em sua residência, no bairro no Tenoné, em Belém no último dia 29. Os policiais encontraram no local um veículo Fiat Doblô cinza com placa clonada e toda a carga roubada, sendo carteiras de cigarro a maior parte. Segundo informações do delegado Jarson Santos, as investigações irão prosseguir para identificar os demais envolvidos no crime.
(DOL/Pararijos NEWS)

Dirceu emprestava “nome e prestígio”


O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (Governo Lula) afirmou ao juiz federal Sérgio Moro que atuava para abrir mercados para empreiteiras em países como Cuba, México e Peru e que seu trabalho como consultor foi legal e não visava o enriquecimento.
“Eu emprestava meu nome, meu prestígio, e orientava essas empresas. Eu não fazia um trabalho que consultor faz de cavar uma licitação, cavar um contrato”, explicou Dirceu, ao juiz da Operação Lava Jato, em seu interrogatório na sexta-feira, 29, na Justiça Federal em Curitiba.
O juiz Sérgio Moro questionou o ex-ministro sobre como foi definido o preço de consultoria de R$ 120 mil mensais para a empreiteira Engevix. “Esse preço é irrisório eu vou dizer para o sr. dr. Moro, sem falsa modéstia. Raramente eu cobrava sucess fixo. Eu nunca busquei a consultoria, eu quero aproveitar para deixar claro isso porque eu estou sendo alvo de notícias, que eu não quero atribuir a ninguém especificamente, que eu enriqueci e que eu tenho um patrimônio de R$ 40 milhões. A minha empresa faturou R$ 40 milhões, 85% são despesas, são custeio. Eu ganhei o que ganha qualquer consultor 60, 80 mil reais por mês e trabalhei.” “A realidade é que eu tenho uma história, doutor Moro”, afirmou Dirceu, sobre sua atuação em nome de empresas. O juiz federal da Lava Jato quis saber se o que ele fazia após deixar o governo “era uma espécie de lobby”. “Todas as minhas atividades são públicas, eu dei consultoria publicamente no Brasil e nesses países.”
José Dirceu também requereu ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, extinção da punibilidade pelo reconhecimento do direito ao indulto na ação penal do mensalão. Condenado a 7 anos e 11 meses de prisão por crime de corrupção na Ação Penal 470, Dirceu argumenta, por meio de seus advogados, que o delito pelo qual foi punido não consta do rol do artigo 9.º do Decreto 8615/2015, que dispõe sobre os crimes que o benefício não alcança.
Os advogados do ex-ministro ressaltam que o artigo 4.º do decreto estabelece que deve ser computada ao indulto "para efeitos da integralização do requisito temporal" a remição da pena.
A defesa argumenta que um quarto da pena (24 meses) já cumprido assegura a Dirceu o indulto. O ex-ministro foi preso em 16 de novembro de 2013, ou seja, há 26 meses, destacam os criminalistas que compõem o núcleo de defesa de Dirceu - José Luís Oliveira Lima, Rodrigo Dall'Acqua e Anna Luiza Sousa, "não computados os dias remidos pelo estudo e trabalho na prisão". "Todos os requisitos previstos estão preenchidos", assinalam os defensores.
Dirceu cumpria prisão em regime domiciliar em Brasília, quando foi preso no dia 3 de agosto de 2015 em caráter preventivo em outro processo, da Operação Lava Jato. (Pararijos NEWS)

Incra vai assentar 256 famílias no Pará

A desapropriação de uma fazenda em Marabá e a destinação para uso público das Glebas Buriti e Rio Maria, nos municípios de Sapucaia, Xinguara e Curionópolis, permitirão a criação de 256 unidades agrícolas familiares no sudeste paraense. Todos os assentados deverão estar registrados no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) do Governo Federal. Os projetos de assentamento no Estado fazem parte da ação de fortalecimento da reforma agrária, lançado no mês passado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).
Em Marabá, os mais de 2,3 mil hectares da Fazenda Tibiriçá possibilitarão a criação do Projeto de Assentamento Três Ilhas, que abrigará 147 famílias de sem-terra. Os assentados ocupam a região às proximidades da fazenda desde 2003. Coordenados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri), os sem-terra acamparam às margens da estrada Rio Preto, vizinha à Fazenda Tibiriçá.
Em abril de 2004, o Incra, atendendo à solicitação dos trabalhadores para vistoriar a fazenda em Marabá, atestou que as terras compunham uma grande propriedade improdutiva. Em 2006, os proprietários da Fazenda Tibiriçá entraram com mandado de segurança na Justiça Federal em Marabá, solicitando a desapropriação.
O processo chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF). Somente em maio do ano passado, a 2ª Vara Federal de Marabá pôs fim ao conflito agrário, cassando a liminar e determinando o arquivamento do processo que proibia o Incra de desapropriar a Fazenda Tibiriçá. Todos os questionamentos jurídicos dos supostos proprietários da Tibiriçá foram julgados pelo STJ e STF, sem chance de reverter a decisão.
Já em relação às Glebas Buriti e Rio Maria, a decisão do Incra de reaver essas áreas públicas permitirá a criação de 109 unidades agrícolas familiares. A área de 4,8 mil hectares, que envolve Sapucaia, Xinguara e Curionópolis, dará origem ao Projeto de Assentamento Marajaí dos Carajás, que deverá ser implantado pela Superintendência Regional do Incra do Sul do Pará.
A ação de fortalecimento feita em conjunto por MDA e Incra instalou, no último dia 23 de janeiro,  a sala de situação de reforma agrária para monitorar o assentamento de famílias e futuras desapropriações de terras. A intenção do governo federal é que, por meio da ferramenta, haja maior celeridade ao processo de reforma agrária.
De acordo com o ministro do MDA, Patrus Ananias, a ferramenta de monitoramento já é tida como prioritária pelo governo e será “fundamental para cumprirmos nosso objetivo estratégico de assentarmos, em condições dignas, até o final do mandato da presidenta Dilma, as famílias acampadas no Brasil”.
Além de fazer o levantamento detalhado das famílias acampadas – como idade, escolaridade, aptidão para as atividades agrícolas e localização do acampamento, a sala de situação também identificará as melhores terras para assentar as famílias. O objetivo é que a área assegure condições para a criação de assentamentos qualificados e economicamente sustentáveis, com infraestrutura, acesso a recursos hídricos e proximidade de mercados consumidores. (Pararijos NEWS)

TJ do Pará afasta titular de cartório por 90 dias

O presidente do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), desembargador Constantino Augusto Guerreiro, decidiu afastar por 90 dias o oficial titular do Cartório do 2º Ofício de Registro de Imóveis de Belém, Walter Costa, e designar Luiziel Henderson Guedes de Oliveira para responder pelo serviço, como interventor, sem prejuízo de suas atividades normais, até ulterior deliberação. A decisão foi publicada na edição de ontem, no Diário Oficial de Justiça, por meio da Portaria nº 455/2016-GP. A informação foi divulgada pela Coordenadoria de Imprensa do TJPA.
O afastamento provisório do titular do cartório do 2º Ofício de Registro de Imóveis de Belém se fundamenta no Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado pela Corregedoria de Justiça da Região Metropolitana de Belém, visando a apurar evidências de irregularidades apontadas pela Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças do TJPA, referentes à falta de recolhimento dos valores devidos ao Fundo de Reaparelhamento do Judiciário (FRJ) e ao Fundo de Apoio ao Registro Civil (FRC), por parte do oficial titular Walter Costa.
O PAD foi instaurado em 28 de janeiro deste ano pela corregedora da Região Metropolitana de Belém, desembargadora Diracy Nunes Alves, a partir de expediente da Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças do Judiciário, cuja Divisão de Acompanhamento e Controle de Arrecadação dos Serviços Extrajudiciais (Daex) dá conta de que foram esgotados “todos os meios de cobrança amigável” de débitos referentes a valores devidos ao Fundo de Reaparelhamento do Judiciário (FRJ) e ao Fundo de Apoio ao Registro Civil (FRC), “apesar das inúmeras oportunidades concedidas, através de intensa correspondência, demonstrando ser contumaz no descumprimento desse dever legal”, registra o expediente, referindo-se ao titular do 2º Ofício.
O PAD se fundamenta nos artigos 1.074 e 1.076 do Código de Normas dos Serviços Notariais e de Registro do Estado do Pará, bem como no artigo 54, X, do Regimento Interno do Tribunal.
Entre as irregularidades apontadas está a falta de envio do Boletim de Emolumentos ao setor competente e, via de consequência, o não recolhimento das taxas de Fiscalização do Fundo de Reaparelhamento do Judiciário (FRJ) e de Custeio do Fundo de Registro Civil (FRG), conforme determina a legislação. (Pararijos NEWS)

Cúpula do Detran estaria envolvida em corrupção

Deflagrada em agosto do ano passado, a Operação Galezia, que desbaratou a quadrilha que atuava na emissão fraudulenta de Carteiras de Habilitação no Pará, está tendo desdobramentos que podem atingir a alta cúpula do Departamento de Trânsito do Estado (Detran), políticos e autoridades paraenses. As informações chegaram à Polícia, graças a ex-servidores que participaram do esquema - e que agora querem se beneficiar da delação premiada. O DIÁRIO teve acesso a trechos de um Cúpula do Detran estaria envolvida em corrupção (Foto: Cezar Magalhães)depoimento que pode ampliar o rol de investigados no caso.
No documento, uma testemunha aponta o atual diretor de planejamento do órgão, Carlos Valente, como um dos integrantes da quadrilha que cobrava para emitir carteiras de habilitação a motoristas -que nem precisavam fazer os exames de praxe (psicotécnico, teórico e prático).
PROPINAS E VOTOS
Segundo o delator, que não quer ser identificado, Valente recebia R$ 10 mil mensais de propina para dar suporte ao esquema na sede do órgão, em Belém. A “mesada” teria sido idealizada por um homem identificado como Paulão, dono de auto-escola e ex servidor do Detran. E era engordada com o dinheiro das fraudes. Cada examinador recebia, segundo o delator em depoimento, R$ 100 para atestar a aprovação do candidato, sem exigir o exame de trânsito, e repassava R$ 60 para a direção local do Detran, em Xinguara.
A concessão da habilitação por meio de fraude servia também como moeda para compra de votos. No depoimento a que o DIÁRIO teve acesso, o delator afirma que, no período eleitoral, os examinadores recebiam ordens para aprovar condutores indicados por políticos com influência no órgão.
É citado como beneficiado pelo esquema o hoje deputado estadual Fernando Coimbra (PSD), ao lado do vereador Pedro Lima (PSDB), que foi servidor do Detran e teria usado a emissão de carteiras como trampolim político. Coimbra era consultado até na contratação de examinadores. Ao DIÁRIO, o deputado disse desconhecer o teor do depoimento em que é citado e garantiu não ter qualquer relação com Pedro Lima. “Eu não o apoiei, nem ele a mim”, disse Coimbra, afirmando ainda não ter qualquer influência sobre o Detran. “As indicações cabem ao Executivo”, disse.

Fraudes envolvem 8 municípios e 3 estados
A quadrilha tinha como ponto central o município de Xinguara, mas se espalhava por outros sete municípios do sul do Pará. Beneficiava candidatos a condutores do Pará, Maranhão e Tocantins. Para conseguir as habilitações fraudadas, condutores simulavam mudanças de domicílios de outros estados para o Pará. Com a propina recebiam a carteira sempisar no Pará. Chamou atenção o volume do esquema: só do Tocantins, foram 28 mil pedidos entre 2010 e 2014. E muitos dos candidatos apresentavam ao Detran o mesmo endereço no Pará. Os condutores pagavam até R$ 3 mil pelo documento. O dinheiro era dividido entre a direção do Detran de Xinguara e avaliadores. Segundo o delator, também alimentava campanhas eleitorais, além da propina mensal de Carlos Valente.
Em, 2010 a operação Galezia prendeu dez - sete eram servidores do Detran-Pará, uma era psicóloga do Tocantins (que forjava os exames psicotécnicos) e dois eram donos de autoescolas. Mais de 40 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Redenção, Conceição do Araguaia, Xinguara, Tucumã, Ourilândia do Norte, Santana do Araguaia, Paragominas, São Félix do Xingu e Pedro Afonso (TO).
A Corregedoria do Detran diz, por nota, que o inquérito da Operação Galezia é conduzido sob sigilo da Polícia Civil. Diz ainda que o órgão espera o resultado das investigações para tomar as providências cabíveis. A Polícia Civil diz que concluiu o inquérito e enviou o caso para o Ministério Público. O vereador Pedro Lima não foi encontrado para comentar o caso.
(Rita Soares/Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Paraense encanta júri no The Voice Kids


Com apenas 14 anos de idade e uma carreira promissora, Stéffany Laura é a nova representante do Pará no musical infantil The Voice Kids, da Rede Globo. A jovem se apresentou no último domingo, 31, e conquistou, com sua voz, todo o corpo de jurados do programa, composto pela dupla sertaneja Vitor e Léo, Carlinhos Brown e a cantora baiana Ivete Sangalo, que foi escolhida por Stéffany para integrar o time da técnica.
Nascida em Belém e residente na cidade de São Miguel do Guamá, no nordeste paraense, a jovem é incentivada pelo pai, Joaquim Machado, e canta desde os oito anos. Ela já teve participação no Círio de Nazaré do município onde mora, concorreu e venceu três edições do Festival de Música Castanhalense (Femuc) e conquistou títulos, ainda, nas cidades de Marabá e Irituia. Atualmente, Stéffany faz aulas de violão e possui algumas composições próprias. Além do pai, que também é cantor, Laura sofre influências de grandes nomes da música brasileira, como Elis Regina, Tim Maia e Paula Fernandes.
“Desde pequena, a minha filha sempre teve um bom gosto para as músicas. Tudo o que ela ouve é de boa qualidade”, disse o pai de Laura, seguro de que a filha entrou na disputa pronta para surpreender e conquistar o júri. Para ele, a combinação de graves e agudos presentes na voz vibrante da menina foi o que pesou na disputa e no resultado positivo que ela teve na competição. “Ela nunca frequentou uma escola de música. Então eu acredito que ela nasceu com o dom de cantar”, acrescentou. Joaquim disse ter ficado admirado com a personalidade e maturidade, o que, segundo ele, fez com que Stéffany entrasse segura e tranquila no palco do The Voice. “Simplesmente foi como se ela estivesse cantando dentro do quarto dela”, elogiou.
Stéffany explicou que, entre erros e acertos, a pequena experiência adquirida ajudou na hora de alcançar seu objetivo. “Eu já me apresentei em lugares e saí arrasada, porque eu tinha feito muito feio. Mas chegou um dia em que eu disse que precisava fazer bonito e encantar as pessoas. E, graças a Deus e ao meu pai, assim foi”, disse ainda. Sobre ter escolhido ficar no time de Ivete Sangalo, a pequena cantora afirmou que até chegar nos estúdios onde ocorreram as gravações do programa já estava decidida a fazer essa escolha. “Eu saí de casa com esse pensamento de escolher a Ivete, caso as cadeiras virassem pra mim. Foi tudo muito mágico”, declarou. (Pararijos NEWS)

Como a Fiel esperava: 3x0


O Paysandu fez o que a comissão técnica e o torcedor esperavam: venceu bem na estreia da temporada 2016 para fazer jus ao favoritismo. O placar de 3 a 0 contra o Paragominas deu ao Papão a liderança da chave A2 da Taça Cidade de Belém, primeiro turno do Campeonato Paraense. Com um estádio da Curuzu quase completamente lotado, o Papão mostrou boa movimentação no meio-campo. Com a vitória em casa, o Paysandu parte para a segunda rodada, na próxima quinta-feira (4), em Tucuruí, contra o Independente.
Atendendo às expectativas da comissão técnica, o time se movimentou bem pelo meio do campo, mas o setor defensivo mostrou descompasso. A equipe começou pressionando, marcando a saída de bola e ganhando campo do Paragominas. Mesmo com o bom toque no meio do campo e tiros em velocidade, o bicolor tinha uma marcação falha, que afrouxava e mostrava menos sintonia que o ataque da equipe.
Aos dez minutos do primeiro tempo, o ímpeto das duas equipes diminuiu. O jogo esfriou e ficou preso no meio do campo, sem ataques das duas equipes.  O perfil do Paragominas se manteve até o final do jogo: não se lançava totalmente ao ataque, apenas aguardava boas oportunidades com a zaga do Papão desguarnecida. O Paysandu buscava mais, mas se arriscava mais também.
Aos 18 minutos, então, abriu-se o placar. Numa jogada pela lateral direita, Raphael Luz cruzou, Leandro Cearense tentou e, no rebote, Celsinho acertou o canto do goleiro. O gol acendeu a torcida. O jogo corria. Nos lances mais duros, disputas de bola no corpo a corpo passaram em branco pela arbitragem. Até que, numa bola perdida, o lateral direito Chrystian levou cartão amarelo por jogada perigosa e, em seguida, pelo Paragominas, San também levou amarelo por reclamação.
Na volta do intervalo, o Paysandu entrou com sede. Sede pelas laterais de campo, sede no toque de bola no meio do campo. E quase se saciou: logo nos primeiros minutos do segundo tempo, Leandro Cearense recebeu passe entre a zaga e tocou na saída do goleiro, mas o gol fora anulado por impedimento na interpretação da arbitragem.
O Paragominas fez a primeira alteração aos 15 minutos: queria tornar o time mais ofensivo para arrancar um empate, bom resultado para o Jacaré a essa altura. O Papão seguia atacando mais, mas a finalização, exercitada por Dado no decorrer da semana, não era das melhores. Aos 30 minutos, com o jogo estável, o treinador do Papão colocou o volante Lucas em campo, dando maior apoio ao ataque. A substituição deu resultado: encorpou o ataque bicolor.
Lucas renovou o toque de bola do meio de campo do Papão e deu novo fôlego à equipe. E, depois de uma persistente jogada de ataque, Leandro Cearense ganhou no corpo da zaga do Paragominas e, enfim, tocou na saída do goleiro Eduardo: a torcida estremeceu. Aos 36 minutos, era 2 a 0 para o Papão! O final do jogo foi acelerado: um minuto depois o árbitro viu o toque de mão da zaga do Jacaré. Partiu para batida Betinho, que havia acabado de entrar no lugar de Cearense. 3 a 0. (Pararijos NEWS)

domingo, 31 de janeiro de 2016

Padre pode ter sido afastado por engravidar fiel

Padre pode ter sido afastado por engravidar fiel (Foto: Divulgação)
O padre Geffison Silva: afastamento das atividades na Basílica ganhou grande repercussão na cidade. (Foto: Divulgação)
Não é exagero dizer que um tsunami atingiu a Igreja Católica em Belém, nos últimos dias. No final da tarde da última quarta-feira (28), a Basílica Santuário de Nazaré divulgou, em sua página no Facebook, uma nota, informando que o padre Geffison Silva, 32 anos, tinha sido  afastado de suas atividades para descanso e renovação espiritual”. Era o início da onda que desabaria sobre a Igreja. Em poucos minutos, o assunto já estava sendo comentados por milhares de fiéis nas redes sociais. 
Às 13h20 do dia seguinte (quinta-feira, 28), o DOL publicou a notícia do afastamento do padre. A reportagem não trazia nenhuma informação além da notícia que a própria Basílica de Nazaré divulgara um dia antes. Mesmo assim, a onda ganhou ainda mais força.

Na página no Facebook, a matéria teve - naquele dia - mais de 1.180 compartilhamentos. E foram justamente esses comentários de fiéis que acompanham o trabalho do padre, que começaram a transformar a onda num tsunami.

A POLÊMICA 

Um dos primeiros comentários mais polêmicos foi feito por Thaty Coutinho: “Ele ficou com as fiéis da igreja”. A esse comentário, se seguiram muitos, levantando a possibilidade de o padre Geffison ter sido afastado por motivo muito mais sério do que “descanso e renovação”. Outra hipótese levantada foi a de que Geffison estaria sendo vítima da inveja de religiosos conservadores, que não viam com bons olhos o sucesso do jovem padre. Até que a blogueira Franssinete Florenzano detonou a bomba que transformaria a onda em tsunami. Em seu blog, ela escreveu que, contra o padre, havia “a acusação de ter engravidado três fiéis”. E disse mais: “Uma das crianças já nasceu e duas estão nos ventres maternos”.

O barulho nas redes sociais ficou ainda maior. Na página do DOL no Facebook, 603 pessoas já tinham comentado a notícia do afastamento do padre de suas funções. A maior parte dos comentários pede a volta do padre e elogia o seu trabalho à frente da Igreja (veja box abaixo). O fato é que se tornou fundamental esclarecer o que, realmente, aconteceu ao padre Geffison Silva. 
RESPEITO 
Na tentativa de entender e explicar à comunidade religiosa de Belém todo esse episódio, o DIÁRIO fez uma profunda reportagem, ouvindo diversas pessoas de várias áreas, incluindo a Igreja. Os depoimentos apontam para um caso sério e que merece ser tratado com cautela e respeito: o padre Geffison Silva teria, ao menos, um filho. E haveria, ainda, uma mulher grávida, esperando um bebê do religioso. Estava definitivamente formado o tsunami que engoliu a Igreja Católica em Belém nos últimos dias.

DEPOIMENTOS

Depoimentos de diversas pessoas ouvidas pelo DIÁRIO contradizem a nota oficial divulgada pela Basílica de Nazaré para justificar o afastamento repentino do padre Geffison. Temendo represálias da Igreja e de outros fiéis, todos os entrevistados só concordaram em falar sob a garantia de terem seus nomes preservados. Um funcionário da própria Basílica fez uma revelação forte. Segundo ele, já era de conhecimento da direção da Igreja que o padre Geffison tinha um afilha, que nasceu há cerca de 1 ano. “A mãe dessa criança é uma moça que também trabalhava na Basílica”, afirmou o entrevistado, que passou o nome da mulher ao DIÁRIO, cujas iniciais são N.S. (o Diário optou por não revelar o nome, por respeito aos envolvidos).

O DIÁRIO enviou mensagens para N.S. por meio do Facebook, mas não obteve resposta. Mas há um fato intrigante: em sua página na rede social, N.S. deletou todas as fotos que tinha publicado com sua filha, uma menina de aparentemente 1 ano.
De acordo como funcionário da Basílica, no início de outubro do ano passado - poucos dias antes do Círio de Nazaré -, o conselho da igreja se reuniu para tratar de outra situação de Geffison. “Eles tinham ficado sabendo que o padre havia se relacionado com outra moça e que ela estava grávida”, disse. Essa mulher seria uma fotógrafa que trabalhava nos eventos comandados pelo padre Geffison. Com a nova notícia, os líderes da Basílica decidiram afastar o padre, o que não seria tarefa simples, devido ao carisma de Geffison.

OUTRAS FONTES 
Todas as pessoas ouvidas pelo DIÁRIO deram depoimentos semelhantes ao do funcionário da Basílica. Um segurança do local declarou que “todos na Igreja ficaram arrasados com a notícia da gravidez dessa moça”. Um dos líderes do Grupo Juventude Nazarena afirmou que Geffison já tinha sido até procurado por um oficial de Justiça. “O padre foi intimado num processo de reconhecimento de paternidade e de pagamento de pensão alimentícia”, contou o rapaz ao DIÁRIO.
Segundo essa fonte, após fazer exame de DNA e ficar comprovado que Geffison realmente era o pai da bebê, a Igreja decidiu afastá-lo. Há, ainda, outra pessoa que afirmou que Geffison já teria até um filho adolescente, de 14 anos, de uma relação que ele tivera aos 18 anos, antes mesmo de entrar para o Seminário, e que esse caso já era de conhecimento da Igreja.

(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Embarcação naufraga e cinco estão desaparecidos

Embarcação naufraga e cinco estão desaparecidos (Foto: Reprodução)
Embarcação naufragou no Marajó com seis pessoas que eram município de Vigia, região nordeste do Pará (Foto: Reprodução)
A embarcação Marinheiro de Vigia naufragou em Soure, no Marajó, no rio Rabo da Onça, na última quarta-feira (27) com seis pessoas a bordo.
Contudo, a Marinha do Brasil, através da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (Cpaor), informou que tomou conhecimento do acidente apenas na noite de ontem (30) e as buscas só foram iniciadas neste domingo (31).
Um helicóptero do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), que não havia decolado por questões climáticas, foi enviado para auxiliar nas buscas, que seguem até o fim da noite e devem ser retomadas na manhã de segunda-feira (1º).
Em nota, a CPAOR esclareceu que "tomou conhecimento, por volta das 20h do dia 30 de janeiro, do naufrágio de uma embarcação pesqueira de nome 'Marinheiro de Vigia', com seis tripulantes a bordo. O naufrágio teria ocorrido por volta das 5h da manhã do dia 27 de janeiro."
A nota ainda afirma que "um dos tripulantes, que se encontrava flutuando com uma bóia de rede de pesca, foi resgatado por uma embarcação que navegava nas proximidades do Cabo Maguari, próximo à Ilha do Marajó. Os outros cinco tripulantes permanecem desaparecidos."

Finalmente, "o sobrevivente resgatado chegou a Icoaraci por volta de 00h do dia de hoje (31). Devido ao fato de estar muito debilitado, não resistiu e faleceu na manhã de hoje" e "um Inquérito Administrativo será instaurado, visando apurar as causas do ocorrido."
De acordo com o CBM, todos os ocupantes da embarcação residiam no município de Vigia, no nordeste paraense, localidade de onde a embarcação saiu.
A embarcação, inclusive, já foi localizada, porém, não havia ninguém em seu interior.
Segundo alguns moradores de Vigia, um helicóptero do governo do Estado foi solicitado pela prefeitura do município para dar apoio nas buscas, mas teria sido negado, o que provocou uma manifestação e o bloqueio da entrada do município até a chegada do veículo.
Por telefone, o CBM informou que o helicóptero não decolou por questões climáticas, mas que foi cedido para ajudar no resgate, chegando ao local do acidente durante o período da tarde.
O CBM, juntamente com a Cpaor, continuam na região fazendo as buscas. No entanto, com o avanço da noite, as buscas devem ser encerradas por causa da baixa visibilidade e serão retomadas somente na manhã de segunda-feira (1º).
Ainda não há informações sobre o que pode ter provocado o acidente com a embarcação. 
(DOL/Pararijos NEWS)