Google+ Badge

domingo, 24 de janeiro de 2016


Renata: “Nem me acho gostosa. Sou normal, não ando gostosona, cachorrona.”Renata: “Nem me acho gostosa. Sou normal, não ando gostosona, cachorrona.”
 Renata Santos, 34 anos, esteve por três anos à frente dos ritmistas da Estação Primeira de Mangueira. Ao fim do reinado, virou musa, posto em que permanece até hoje. Segundo ela, o amor pela verde e rosa é muito maior do que qualquer posto.
“Não me sinto rebaixada. Tive convite para ser rainha em outras escolas, mas não desfilo por cargo, desfilo pela Mangueira. Quero estar lá para sempre”, declarou-se ela enquanto se preparava para mostrar na própria pele seu amor no ensaio “Elas brincam com as cores da folia”, do site “Ego”, em que rainhas e musas posam com elementos que remetem às cores de suas escolas.
Mas será que vale a pena mesmo gastar tanto tempo, dedicação e dinheiro para ser apenas musa? Renata, que de agosto até o carnaval, frequenta ensaios, eventos e tudo o que se refere à Mangueira, garante que sim.
“Eu e meu marido não somos de sair, não somos baladeiros, mas quando começa a temporada de samba, é Mangueira direto. Juntamos paixão e diversão”, diz ela garantindo que ele não é ciumento e faz questão de acompanhar a mulher e musa nos eventos da verde e rosa.

Nem mesmo quando o assunto é dinheiro, ela foge da curva, e diz que não faz a linha “gasto o valor de um carro ou um apartamento” em fantasia. Pelo contrário. Renata conta até que ri quando vê algumas declarações desse tipo, já que costuma ir para a rua comprar pedras e penas para confeccionar sua fantasia.
“Não sou louca, nem retardada de gastar tudo isso em fantasia. Quem diz que gasta R$ 100 mil é caô, absurdo”, diz ela contando que o máximo que gastou foi quando foi rainha e resolveu investir em Swarovskis e penas de faisão branco, tidas como as mais caras do mercado: “Meu marido me chamou de maluca. Mas não foi um dinheiro que foi para o lixo. No ano seguinte vendi a fantasia”, contou ela que também é tranquila no quesito sensualidade, e chega a dizer que não se acha gostosa: “Malho para não fazer feio, já que me proponho a desfilar. Mas nem me acho gostosa. Sou normal, não ando gostosona, cachorrona. Nem mexem comigo na rua.”  (Pararijos NEWS)