Google+ Badge

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

PROCURADA: Mandante da morte de PM tem fotos divulgadas

Michelle Patrícia Quaresma do Nascimento, a “Boba”Michelle Patrícia Quaresma do Nascimento, a “Boba”
A Polícia Civil (PC) divulgou as fotos da mandante da morte do policial militar Daniel Russman Lavareda dos Santos, ocorrida em 5 de outubro do ano passado. Michelle Patrícia Quaresma do Nascimento, de 41 anos, é conhecida como “Boba”, uma traficante do bairro do Barreiro, de onde conhecia a vítima desde a infância. Ela teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Flávio Sanchez Leão, titular da Vara de Inquéritos Policiais e Medidas Cautelares, há quase dois meses. Entretanto, a acusada saiu de casa desde a execução e continua foragida. Quem tiver informações que possam levar à prisão dela pode ligar para o Disque-Denúncia (181). A ligação é gratuita e não é preciso se identificar.
Russman foi assassinado com vários tiros quando estava num carro de lanches bastante frequentado por policiais, na travessa José Pio, no bairro do Umarizal, em Belém. Um Siena prateado, de placa ainda não identificada, se aproximou e, de dentro, vários disparos foram feitos contra o policial. Mais quatro pessoas acabaram sendo atingidas, mas todas sobreviveram. O chapista do carro de lanches teve o fêmur fraturado por um dos tiros. Russman ainda tentou buscar ajuda, mas morreu antes de ser socorrido.
A execução ocorreu pouco depois de o policial ter tido uma discussão com Michelle numa festa. Testemunhas do fato foram ouvidas pela delegada Flávia Leal, da seccional do Comércio. Russman era um dos organizadores da festa, realizada numa casa de shows localizada na avenida Senador Lemos. O policial expulsou Michelle do evento e ela o ameaçou na mesma hora, dizendo que ele “nem amanheceria vivo”.
O policial havia saído do Centro de Recuperação Coronel Anastácio das Neves aproximadamente 15 dias antes do homicídio. Ele havia sido preso por estelionato e corrupção de menores, junto com membros da quadrilha de Kelly, uma conhecida especialista em estelionatos e crimes digitais. Russman respondia processo na justiça comum, recebeu alvará de soltura e estava afastado da Polícia Militar. “A princípio achávamos que o assassinato tinha a ver com os crimes dele, mas então ouvimos as testemunhas e nossas investigações levaram a Michelle”, comentou Flávia Leal.
Em redes sociais, Michelle costumava se exibir bastante e posar para fotos com armas nas mãos. “A prisão dela é fundamental para concluirmos o caso. Ela deverá identificar quem atirou em Russman e nas outras pessoas no carro de lanches, já que não estava no carro. Temos apenas um retrato falado pendente de confecção. Aguardamos também os resultados do exame de balística e necroscópico. Ainda não tivemos nenhuma denúncia pelo 181, mas a última informação que tivemos é de que ela estaria em Icoaraci ou pelos bairros do Tapanã e da Pratinha”, concluiu a delegada.  (Pararijos NEWS)