Google+ Badge

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Morta após separação: Arma do crime foi deixada ao lado

Patinha morreu porque não queria mais viver com o assassino (no detalhe). Polícia pede ajuda para prendê-lo.Patinha morreu porque não queria mais viver com o assassino (no detalhe). Polícia pede ajuda para prendê-lo.
Mariane Patrícia Silva Azevedo, de 18 anos, foi assassinada com um tiro na cabeça, no final da noite de domingo, na ilha de Mosqueiro, distrito de Belém. O companheiro dela, Fernando Santos Cardoso, mais conhecido como “Fernandinho”, é o principal suspeito do crime. O revólver 38 usado no crime foi encontrado no local próximo ao corpo da vítima. Conhecida como “Patinha”, Patrícia morreu na casa onde morava, localizada no bairro Mangueiras.
Familiares de Patinha registraram a ocorrência na Seccional de Mosqueiro e a pedidos terão sua identidade preservada. Eles disseram em depoimento que não tinha um relacionamento mais intenso com a vítima, mas disseram que moça estava separada de Fernandinho. No local do crime, ele obtiveram a informação de que o rapaz era o principal suspeito do homicídio. Desde antes do término da relação, o casal vivia brigando.
As investigações foram iniciadas pelo delegado Caio Carmello Rocha Lobo, da Seccional de Mosqueiro, que também conta com informações de vizinhos da garota para ajudar a localizar o suspeito do crime, que está desaparecido desde a morte na jovem. Basta ligar para o Disque-Denúncia (181). (Pararijos NEWS)