Google+ Badge

domingo, 17 de janeiro de 2016

Integrar a Amazônia ainda é um desafio


O ministro das Comunicações, André Figueredo, esteve em Belém na última semana para lançar o selo do aniversário dos 400 anos de Belém. Se encontrou com o governador do Estado, Simão Jatene, e tratou da propagação da internet rápida no Pará, especialmente para escolas. Em entrevista ao jornalista Bruno Magno, o ministro falou do lançamento da tecnologia 5G, que deverá ser comercializada a partir de 2020, e da decadência da telefonia fixa. Figueredo também anunciou uma possível compra de frota de aviões para os Correios e não se esquivou de responder sobre a tramitação do pedido do Ministério Público Federal de cassação das redes de comunicação pertencentes a políticos.
Integrar a Amazônia por meio da comunicação sempre é um desafio. Quais são os planos do governo federal para a região e mais especificamente para o Pará?
Na verdade, temos a compreensão de que a Amazônia - e a Região Norte como um todo - tem que ser tratada em relação as suas dimensões continentais. Nós temos aqui, por exemplo, o município de Altamira que é o maior município do mundo. Você tem distâncias realmente continentais que precisam ser compreendidas como tal e evidentemente que possamos dotar de infraestrutura necessária para, por exemplo, transmitir dados que propiciem a internet rápida. Precisamos implantar a fibra ótica onde for necessário, onde for possível. Além disso usaremos o satélite que será lançado no final deste ano. Um satélite geoestacionário, compartilhado com o Ministério da Defesa. No que diz respeito a gestão das comunicações, vamos ocupar a Banda KA, mais adequada para propiciar uma internet rápida e assim atingir municípios ou localidades onde não vamos conseguir chegar com a fibra ótica. É meta do governo federal termos 70% dos municípios brasileiros atingidos até o final de 2018. Hoje já são 48% os que têm fibra ótica chegando. E bom dizer que esses 70% representam 95% da população brasileira. Onde não chegarmos com fibra ótica, chegaremos com satélite. Estive com o governador Simão Jatene e ele se colocou completamente à disposição de compartilhar orçamentos na perspectiva que realmente possamos fazer com que a internet rápida seja uma realidade no Pará. A ideia é que possamos chegar a todos os municípios do Pará e que ao mesmo tempo dotemos as escolas, num projeto também educacional de temos internet chegando nas salas de aula, mas não apenas chegando, mas com a velocidade adequada para atender professores e alunos. (Pararijos NEWS)