Google+ Badge

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Assaltante mata um açougueiro


O açougueiro Edson de Sá Cavalcante, de 45 anos, foi vítima de um latrocínio, dentro do comércio do qual era sócio, no bairro Centro de Santa Izabel do Pará, na manhã de ontem. O assaltante atirou uma vez na coxa da vítima e a veia femoral se rompeu. A vítima foi socorrida por testemunhas, mas não resistiu.
Edson chegou ao açougue por volta das 8 horas. Uma testemunha ouvida pelo delegado Paulo Henrique Ribeiro Júnior, da delegacia de Santa Izabel, disse que pouco tempo depois de a vítima abrir o estabelecimento, um homem de capacete desceu da garupa de um mototáxi com arma na mão. Ele exigiu que Edson entregasse dinheiro e o celular. Sem reagir, o açougueiro tentou pegar o celular do bolso da bermuda, mas o assaltante pensou que ele estivesse tentando pegar uma arma e atirou. Algumas joias da vítima foram roubadas. O executor fugiu com o mesmo mototaxista com o qual chegou.
Vizinhos e clientes imediatamente socorreram Edson, que perdeu muito sangue e desmaiou em poucos minutos. O açougueiro foi levado numa picape particular para o Hospital Municipal de Santa Izabel. Ele foi atendido rapidamente, mas não resistiu ao ferimento. A esposa dele chorava muito no local e implorava por socorro.
O delegado trabalha com a linha de investigação de latrocínio, mas outras hipóteses não serão descartadas. Isto porque, segundo a testemunha, a vítima não reagiu, e o crime pode ser uma execução. No local não havia câmeras, que poderiam ajudar na identificação do assassino e do mototaxista que estava com ele. Sabe-se apenas que eles fugiram em direção à rodovia BR-316. A polícia espera encontrar alguma câmera no trajeto.
Edson foi a segunda pessoa que morreu com uma lesão na veia femoral em dois dias, na Região Metropolitana de Belém. A outra vítima foi o servidor público Ivandro Nogueira Rodrigues, de 37 anos, que levou um tiro na coxa durante um atentado na casa dele, no distrito de Outeiro, em Belém.
Ivandro lutou com um homem após ouvir os disparos contra a esposa dele, Leidiane Modesto, de 37 anos, que segue internada no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE). O crime está sendo investigado pela delegacia de Outeiro. O casal participava de projetos e movimentos sociais. Leidiane concorria ao cargo de conselheira tutelar. (Pararijos NEWS)