Google+ Badge

sábado, 15 de agosto de 2015

Hoje é dia de vacinação contra a poliomielite


Hoje é dia de vacinação contra a poliomielite (Foto: Ney Marcondes/Diário do Pará)
(Foto: Ney Marcondes/Diário do Pará)
Doença que pode matar ou causar paralisia infantil, a poliomielite foi erradicada no Brasil em 1990, quando deixou de ser registrada graças à oferta das vacinas. Entretanto, em alguns países da África e Ásia ainda há registros da doença. Por esse motivo, a imunização contra o poliovírus, causador da doença infecto-contagiosa, continua sendo de grande importância.
O Dia “D” de Mobilização Nacional contra a Poliomielite está sendo realizado hoje nos 144 municípios paraenses. Segundo a coordenadora de imunização da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Jaira Athaíde, a campanha segue até o próximo dia 31 e tem como meta vacinar 666.157 crianças.
ATUALIZAÇÃO
Jaira explica que, durante a campanha, será verificado se o esquema vacinal das crianças de seis meses a 5 anos de idade está incompleto. Com isso, será feita a atualização para resgatar a cobertura vacinal desse público. A Sespa terá 3.306 postos fixos, 360 volantes e 74 fluviais no dia de hoje. No restante da campanha, as ações de multivacinação continuam nos postos de saúde. A vacina contra a poliomielite será aplicada em gotas, indicada para crianças entre seis meses e menos de cinco anos.
É importante que os pais levem seus filhos que estejam dentro do público alvo até os postos de vacinação para reforçar ou atualizar o esquema vacinal. “É indispensável que a criança esteja com o esquema vacinal em dia para renovar a proteção contra a poliomielite. A pólio é muito grave, pode matar ou deixar sequelas para o resto da vida”, alerta Jaira Athaíde.
COBERTURA VACINAL
Para a atualização vacinal de crianças estarão disponíveis doses da BCG (contra as formas graves de tuberculose); vacinas contra febre amarela; hepatites A e B; menincocócica C; oral de rotavírus. Também estão sendo ofertadas a Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche, infecções por Haemophilus influenzae B e hepatite B); Pneumocócica 10 valente (protege de bactérias tipo pneumococo, causadoras de doenças como meningite, pneumonia, otite média aguda, sinusite e bacteremia); Tetraviral (contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela) e Triviral (sarampo, caxumba e rubéola).
(Pryscila Soares/Diário do Pará/Pararijos NEWS

Helder entrega 200 casas em Pirabas

Helder entrega 200 casas em Pirabas (Foto: Divulgação)
Helder representou a presidente Dilma, na entrega das casas. (Foto: Divulgação)
O ministro da Pesca e Aquicultura (MPA), Helder Barbalho, representando a presidente da República Dilma Rousseff, entregou, ontem, 200 casas do programa Minha Casa, Minha Vida, no município de São João de Pirabas.
Ao todo, foram investidos R$ 11.598.882,11, cerca de R$ 57.994,41 por unidade. “Parabéns ao povo de Pirabas. Sabemos das dificuldades que cada um passa para comprar um teto. Essas chaves representa a realização de um sonho”, disse Helder.
As casas, no bairro de Raimundo Barroso, têm área construída de 40,26 metros quadrados, com sala, dois quartos, cozinha, banheiro, circulação e área de serviço. O empreendimento conta com seis unidades adaptadas a portadores de necessidades especiais e todas as demais são adaptáveis. O Governo Federal anunciou que ainda vai construir outras 397 no município, com investimento total de cerca de R$ 10 milhões.
Além das casas, o governo federal investe na construção de posto de saúde, creche e quadras poliesportivas. Há ainda obras de restauração e revitalização de estradas, pontes e da orla de São João de Pirabas. “Nós estamos investindo mais de R$ 5,6 milhões nestas obras. Vou analisar todas as solicitações da população, inclusive os benefícios diretos para os pescadores do município”, afirmou Helder. No total, foram investidos R$ 27.218.357,59 em todas as obras.
A presidente Dilma Rousseff também estava entregando casas, em Juazeiro (BA). Na ocasião, ela falou sobre o cenário econômico do país e o relacionou à continuidade do Minha Casa, Minha Vida. Dilma defendeu que as pessoas superem os desafios com “luta, otimismo e esperança”. Ela afirmou, também, que “ninguém que olha para a dificuldade e fica com medo vence essa dificuldade”.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Paragominas implanta novo sistema de coleta seletiva de lixo

O município de Paragominas está em fase de implantação de um novo sistema de coleta seletiva de resíduos. Denominado 'Ecopontos', as estações de recolhimento de resíduo seco com capacidade de armazenamento para 400kg de lixo. As estações devem facilitar o trabalho dos catadores de materiais recicláveis. Três 'Ecopontos' já foram instalados.
O modelo de 'Ecopontos' é inspirado na experiência de reciclagem da cidade de Curitiba, que possui o maior índice de reciclagem no país. Além da coleta seletiva, a experiência visa a conscientização da população para a separação do lixo. 'Se as pessoas adotarem e colaborarem com a coleta seletiva, elas poderão facilitar o trabalho dos catadores de materiais recicláveis e ainda contribuirão com o índice de reciclagem no município', diz Maria Augusta da Silva, coordenadora da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente.
A gestora destaca que o modelo evita gastos na separação entre resíduos domiciliares, matéria orgânica e manutenção de máquinas. Os próximos bairros a receberem o ecoponto são o Morada do Sol e Morada dos Ventos. Os resíduos serão recolhidos diariamente e levados para o Aterro Sanitário Municipal. Até o final do ano, deverão ser criadas cerca de 50 novas estações no município.
(Pararijos NEWS)

Empresário francês mata garoto de 13 anos com tiro

Empresário francês mata garoto de 13 anos com tiro (Foto: Reprodução)
Revoltados com o crime, moradores tocaram fogo na casa do empresário e saquearam o seu comércio. (Foto: Reprodução)
“Minha mãe ainda não aceitou direito a morte dele. Ela ainda fica esperando ele voltar”. A declaração é de Shirley Lima, irmã de João Paulo Lima dos Santos, assassinado aos 13 anos, com um tiro de espingarda, na tarde de quarta-feira (12), na cidade de Gurupá, no Marajó. O autor do disparo é o antropólogo e empresário francês Jean Marie, de 68 anos. 
A cidade ainda vive um clima de tensão e de revolta. Indignados com o crime, os moradores queimaram a casa de Jean Marie e saquearam seua dois estabelecimentos: um bar e um restaurante. Segundo a versão da família da vítima, João Paulo havia acabado de chegar da escola, onde cursava o quarto ano. “Ele era um bom aluno e um menino tranquilo”, diz a irmã do garoto. Após entrar em casa e trocar a camisa, João Paulo e mais dois primos saíram para a casa da avó.
O caminho escolhido passava por dentro das terras do sítio do francês, o que teria provocado a ira do proprietário do local. Os primos contaram que o francês só chamou o menino e atirou, sem tempo da vítima esboçar qualquer reação. O assassinato abalou a cidade. Após o crime, moradores saquearam os comércios que o francês mantinha no município, ao lado da esposa e de uma filha. A chácara que ele possuía também foi incendiada.
Até a delegacia da cidade foi alvo de ameaças, já que o preso estava no local. Moradores tentaram invadi-la. Por questões de segurança, o francês precisou ser transferido para o Centro de Recuperação Penitenciária do Marajó, em Breves. No final do dia, o juiz da Comarca de Gurupá concedeu liberdade provisória a Jean Marie, que responderá ao processo em liberdade.
Na tarde de ontem, houve mais protestos nas ruas da cidade. Uma passeata clamava por justiça. Homenagens foram prestadas em pontos como a escola onde João Paulo estudava e a delegacia municipal. O garoto foi enterrado às 17h de ontem. Segundo o advogado de defesa de Jean Marie, o empresário teria atirado apenas para assustar os adolescentes.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Miss Pará Intercontinental 2016 apresenta candidatas

Quem pensa que os concursos de miss são coisas do passado está enganado! Eles continuam mais vivos e fortes do que nunca. A miss de hoje não é mais aquela que tem só a beleza plástica, mas a moça que se preocupa com questões atuais e se envolve mais na vida da sociedade. Com base nessa ideia, será lançado nesta sexta-feira (14), no Villa Toscana, em Belém, o Miss Pará Intercontinental 2016. Na oportunidade, as candidatas do concurso serão apresentadas para a imprensa e convidados. A final da competição será realizada no dia 21 de agosto no salão refrigerado do Hotel Gold Mar, em Belém, a partir das 22h.
'O concurso, além de escolher a candidata pela beleza, também quer uma menina envolvida em causas sociais e que saiba se comunicar bem. Já passou o tempo que a miss só desfilava, hoje ela tem que ser inteligente e seguir firme com os valores conquistados pela mulher atual', destaca o promoter Ernesto Dias, coordenador do concurso. O Miss Intercontinental é um dos concursos que mais cresce no mundo, reunindo mais de 100 países, prezando pela beleza das candidatas e abraçando a responsabilidade social.
Vencedora vai representar o Pará no Miss Intercontinental Brasil. Foto: Ricardo NascimentoVencedora vai representar o Pará no Miss Intercontinental Brasil. Foto: Ricardo Nascimento
Este ano, 32 belas moças vão representar municípios, clubes e praias do Estado. No dia da grande final as candidatas serão avaliadas por um júri que vai escolher a vencedora. Elas vão desfilar de maiô e traje de gala, onde serão avaliados quesitos como desenvoltura, beleza, oratória e passarela. Antes disso as candidatas passam por um júri técnico neste domingo (16) no Pará Clube. Neste dia serão escolhidas as 14 semifinalistas da disputa, que serão conhecidas no dia da final. A 15ª será escolhida por meio de votação na fan page oficial do Miss Pará Intercontinental.
A vencedora, além de ter todas as despesas pagas para disputar o Miss Intercontinental Brasil, em São Paulo, vai ganhar semijoias, passagem aérea para o Rio de Janeiro e roupas oferecidas por patrocinadores, entre outros prêmios. O concurso em Belém vai contar a presença da Miss Intercontinental Brasil 2015, a modelo Lily Amaral. No ano passado a estudante Andréa Fernandes venceu a concurso no Pará e realizou diversos trabalhos como modelo.
O Miss Pará Intercontinental tem o patrocínio de Asbep Seguros, Star Tour, Bavieka, Lourdes Nassar, Onodera, Jorge Bischoff, Clara Pinto, Orum, Noiva Bela, Auto Escola Sena, Swarovski, Ousaday, Herbalife, Istation, Amor em Pedaços, Gold Mar Hotel, M. Officer, Socorro Porpino Acessórios. E mais: Planeta Pará, Bem Me Quer, Villa Toscana, Revista Fama e Organizações Romulo Maiorana.
Ingressos: O Miss Pará Intercontinental 2016 será realizado no dia 21 de agosto, a partir das 21h30, no salão refrigerado do Gold Mar Hotel, em Belém. O ingresso individual custa R$ 20, já a mesa para quatro pessoas custa R$ 100. Locais de venda: Gold Mar Hotel, Amor em Pedaços (Shopping Boulevard, segundo piso) e Swarovski (Shopping Boulevard, quarto piso). Mais informações: (91) 98162-3146
(Pararijos NEWS)

Bicolor cai para oitavo


Numa das melhores atuações do Paysandu nessa Série B, o time paraense parou nos erros de finalizações e nas defesas do goleiro Luiz, do Criciúma-SC. O empate sem gols seguia até os minutos finais, quando o árbitro paranaense Rafael Traci marcou pênalti para o Tigre. Neto Baiano cobrou para fazer o gol, mas esbarrou na bela defesa do goleiro Ivan, que havia entrado momentos antes no lugar do lesionado Emerson. Na cobrança de escanteio, a bola ficou livre para o centroavante Everaldo afastar. Mas, o camisa nove, um dos melhores em campo, teve a infelicidade suprema do futebol ao errar a cabeçada e jogar para dentro do próprio gol. Everaldo não marcava um gol desde setembro do ano passado e, ironia das ironias, voltou a balançar a rede de um jeito que nenhum atleta quer.
Com a derrota de ontem, o Papão caiu para a oitava colocação, a cinco pontos do quarto colocado, o Bahia. Se vencer o Oeste-SP, neste sábado, no Mangueirão, e dependendo dos demais resultados, pode terminar a primeira metade do Campeonato Brasileiro encostado no G4, posição melhor do que se projetava no início da competição.
Para esse confronto, o clube vai manter os preços promocionais que tem usado em algumas partidas. A confirmação foi dada pelo presidente bicolor após a derrota de ontem. “É importante que o torcedor vá nos apoiar, por isso vamos manter o ingresso a R$ 20,00 a arquibancada e R$ 40,00 a cadeira nessa última rodada do primeiro turno”, confirmou Alberto Maia.
O técnico Dado Cavalcanti afirmou que gostou muito da produção do time, a despeito da perda das chances criadas e da partida. Mas, admitiu que no jogo em casa devem ocorrer mudanças por causa das características que deve ter o confronto no Mangueirão. “Nosso adversário deve vir fechado e nós teremos que ir para cima. Teremos que jogar diferente do que foi hoje (ontem)”.
Entre os jogadores, a atuação deu a esperança de que em casa o time volte a vencer e encoste nas primeiras colocações.”Vamos buscar a recuperação em casa, com certeza”, comentou Emerson. “A torcida é nossa força e tenho certeza que ela vai comparecer para nos ajudar”, completou o volante Fahel.
(Pararijos NEWS)

Para Coren, o PSM do Guamá é uma bomba relógio

Para Coren, o PSM do Guamá é uma bomba relógio (Foto: Elcimar Neves/Diário do Pará)
"Os profissionais estão ma eminência de cometer erros", diz Conselho. (Foto: Elcimar Neves/Diário do Pará)
A partir do relatório do Conselho, Moraes informou que o Ministério Público deve analisar a situação e que algumas providência poderão ser tomadas. Já existe, inclusive, planos para fazer uma visita ao local pelo MPF. “Os profissionais estão na iminência até de cometer erros podendo comprometer a saúde dos pacientes. Além de arriscar a deles próprios”, ressalta Moraes.
Dentre as sugestões que constam no relatório do Coren, Moraes destacou que deve ser feito um dimensionamento adequado de pessoal que hoje atua no PSM. Além disso, eles sugerem que seja melhorada a organização do protocolo de atendimento e que separem o paciente com politraumatismo de outros de urgência e acometidos com doenças infectocontagiosas. 
Outra sugestão do Coren é que deveria haver uma equipe composta por enfermeiros e médicos preparada na porta do hospital para receber pessoas em situação de emergência, como vítimas de baleamento e acidentes de trânsito. Após fazer os primeiros atendimentos, os pacientes seriam encaminhados para outros hospitais da rede como o Hospital Samaritano, no Marco, onde foram disponibilizados 28 leitos.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Pará não sabe número de oftalmologistas

O Ministério da Saúde informou ontem que existe uma grande disparidade nas informações sobre especialidades médicas no Estado do Pará. Nos casos de oftalmologia, primeira área analisada, essa discrepância entre os cadastros existentes chega a 74%. Nesse estudo preliminar do ministério, foram avaliadas as informações dos documentos do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), da Demografia Médica do Brasil (CFM/CREMESP) e da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), além do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES/MS). Os dados do Pará apontam para a existência de 235, 135, 50 e 199 profissionais, respectivamente. Na comparação dos cadastros gerais que incluem residências médicas (CBO x CFM/CREMESP), a variação dessa desigualdade no Pará é a 10ª maior dentre todos os Estados.
 Já em todo o País, as quantidades registradas são 17.325, 9.862, 3.909 e 11.407 profissionais, na mesma ordem, e uma variação de 75,6%. Comparando dentro de uma mesma região, o índice ultrapassa 80% no Nordeste e Sudeste, por exemplo, o que impossibilita qualquer avaliação sobre a distribuição dos especialistas no Brasil. No Norte, esse percentual é de 52,6% - o terceiro maior dentre as regiões. As maiores disparidades estão em Pernambuco (156,4%), Rio de Janeiro (130,7%), São Paulo (94,4%), Ceará (86,2%) e Amazonas (84%).
(Pararijos NEWS)

Conheça representante do Pará no Miss Plus Size


Conheça representante do Pará no Miss Plus Size (Foto: Reprodução/Facebook)
(Foto: Reprodução/Facebook)
Priscila Gabrielle Goehl é a nova Miss Pará Plus Size. Ela é do município de Parauapebas e tem 23 anos.  A jovem garante que não tinha sonho de ser modelo, como a maioria das jovens. Porém, mesmo sem experiência, resolve se inscriver no concurso e ganhou. 
“Me inscrevi apenas com a intenção de participar e para minha surpresa fui selecionada e classifica a concorrer”, conta Priscila, que comemora ter conseguido a vaga diante de algumas candidatas já experientes.
Priscila não pretende deixar o município de Parauapebas. De lá, ela pretende se preparar para concorrer o Miss Brasil Plus Size. O evento acontece no fim deste ano. “Eu nunca tinha desfilado na minha vida e consegui um título como esse. Agora sei que posso ir mais longe, por isso estou trabalhando para ser reconhecida em nível nacional”, planeja a miss.
(Foto: Reprodução/Instagram)
Priscila já realiza trabalhos como modelo fotográfica para lojas que dispõem de roupas para mulheres com medidas a partir de 44, mas diz que a cultura local ainda não é de fazer este tipo de divulgação e que, mesmo sendo uma região onde tenha muitas mulheres com medidas acima da citada, as lojas não fazem exposição destes produtos.
O que é Plus Size?
Este nome foi dado pelos norte-americanos para modelos de roupas acima do padrão convencional usado nas lojas, ou seja, Plus Size = Tamanho Maior, segue acima do tamanho 44 de manequim. Esta é uma forma de incluir modelos maiores ao mundo da moda e aumentar o número de roupas vendidas.
(DOL/Pararijos NEWS com informações do Portal Pebinha de Açúcar)

Notícias em destaque...

Professores pedem apoio contra governo do Estado

Professores pedem apoio contra governo do Estado (Foto: Reprodução/Facebook)
Professores fizeram um ato em frente a Sead,mas não foram recebidos pelo governo para discutir reivindicações (Foto: Reprodução/Facebook)
Uma comissão de professores e estudantes da rede estadual de ensino estão a caminho da sede do Ministério Público do Estado (MPE), em Belém, para pedir interferência de promotores no dilema mal resolvido desde a última greve da categoria, realizada no primeiro semeste deste ano. Professores culpam o governo estadual de agir com descaso perante a educação pública e reivindicações dos servidores.
Na manhã desta quinta-feira (13), eles tentaram reunião com algum representante da Secretaria de Estado de Administração (Sead), mas não foram recebidos.
A categoria vai cobrar do MPE medidas quanto a TAC sobre os descontos indevidos, calendário de reposição de aulas, e também para denunciar problemas em escolas. Segundo eles, os alunos padecem com a precariedade de infraestrutura.
Os professores ainda não superaram os descontos realizados no contracheque dos profissionais que paralisaram as atividades durante a greve.
Uma assembleia já foi marcada para o dia 18 de agosto, onde a categoria vai definir os rumos do movimento.
(DOL/Pararijos NEWS)

Ex-jogador é condenado por duplo homicídio

Ex-jogador é condenado por duplo homicídio  (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
"Tive que abandonar o futebol, minha carreira, que estava começando no São Francisco, por causa dessa denúncia, mas garanto que não cometi esse crime". O apelo foi feito, na terça-feira (11), aos sete jurados da Vara do Tribunal do Júri, durante o interrogatório do réu Maxwell Siqueira dos Santos, de 34 anos. O depoimento não foi o suficiente para convencer a maioria do Conselho de Sentença, que acompanhou a tese do promotor de Justiça Rodrigo Aquino e o condenou pela morte de Josicley Pinto Barros. 
O juiz Gerson Marra Gomes aplicou a pena de 15 de prisão em regime fechado, por ser o crime de homicídio duplamente qualificado - motivo torpe e sem chances de defesa à vítima. A defensora pública Jane Amorim disse que vai recorrer da sentença, pois acredita que Maxwell não cometeu o crime. 
Maxwell disse que nem se encontrava na comunidade Santarém-Miri no dia dos fatos, e, sim, na localidade de Santana do Ituqui, a qual visitava naquele final de semana. As duas comunidades ficam distantes 13 quilômetros uma da outra e o percurso a pé é de quatro horas, segundo o réu, que afiançou ter estado com sua família o dia todo e não ter ido à festa que se realizava na comunidade vizinha.
A vítima foi atingida pelas costas durante uma festa que se realizava em Santarém-Miri, na região do Ituqui. Segundo os autos, Josicley teria tido problemas com Maxwell e seu irmão Marcílio em festas anteriores, tendo atingido os dois. Maxwel o teria jurado de morte desde então, e quando a vítima foi atingida pelas costa, por um tiro dado no meio da escuridão, todos suspeitaram dele. 
O depoimento de uma das testemunhas indicou que Maxwell se encontrava na comunidade naquele dia, divergindo do depoimento do réu, e que acabou condenando-o.
(DOL/Pararijos NEWS, com informações do TJPA)

Anistia a policiais militares do Pará é aprovada

Anistia a policiais militares do Pará é aprovada (Foto: Cezar Magalhães)
Punição dos militares foi imposta após movimento reivindicatório ocorrido em abril de 2014 (Foto: Cezar Magalhães)
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal aprovou, ontem, por unanimidade, o parecer do senador Jader Barbalho (PMDB), favorável à concessão de anistia para bombeiros e policiais militares do Pará, Amazonas, Acre e Mato Grosso, envolvidos em greves. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 17/2015 prevê que militares que participaram de movimentos de reivindicação por melhores salários e condições de trabalho sejam anistiados, a partir da sanção da matéria pela presidente da República, Dilma Rousseff.
O senador não fez alterações ao texto do projeto, oriundo da Câmara dos Deputados. Por essa razão, a proposta não precisa retornar à sua origem, o que acelera sua tramitação. A anistia valerá para os crimes previstos no Código Penal Militar, entre o período de 13 de janeiro de 2010, data de publicação da Lei 12.191/2010, que também trata da anistia, e a data de publicação da futura lei. Entretanto, crimes tipificados no Código Penal não são anistiados.
O Código Militar proíbe os integrantes das corporações de fazerem movimentos reivindicatórios ou greves, assim como pune insubordinações. A nova anistia beneficia policiais que participaram de manifestações principalmente nos dois últimos anos. Jader, que é relator na CCJ, ressaltou que a anistia não abole o crime. “É um perdão do Estado aplicado a fatos passados e que extingue a punibilidade. O PLC em tela não inclui os crimes comuns eventualmente praticados. O foco são crimes militares e infrações disciplinares, em razão de participação em movimentos reivindicatórios das categorias”, destacou o senador, ao ler seu voto favorável.
Jader ressaltou que o texto aprovado na Câmara e agora pela CCJ é o substitutivo apresentado pela deputada Simone Morgado, que foi relatora do PL 177/15 na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. O autor do PL é o deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA). 

NO BRASIL
A proposta altera a Lei nº 12.505, de 11 de outubro de 2011, incluindo os estados do Pará, Amazonas, Acre e Mato Grosso na anistia concedida anteriormente a militares de Alagoas, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Sergipe, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, Tocantins e do Distrito Federal, punidos por participar de movimentos reivindicatórios. 
Para o senador, o pleito é justo, já que o princípio constitucional da isonomia exige o tratamento equivalente. No substitutivo do projeto, Simone Morgado defendeu a igualdade de aplicação da lei entre os estados e lembrou que foi acordado, durante a negociação para o final da greve, o compromisso de não punição aos militares.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Em Castanhal, criminosos são presos por estelionato

Foto: Polícia CivilFoto: Polícia Civil
A Polícia Civil prendeu duas pessoas em flagrante, na última segunda-feira (10), pelo crime de estalionato, em Castanhal, região nordeste paraense. Cleberson Marinho Ferreira e Solange do Socorro Pereira Azevedo são acusados de estelionato, falsa comunicação de crime e formação de associação criminosa. Ambos eram funcionários da empresa de transporte intermunicipal Expresso Modelo, com sede em Castanhal. As informações foram divulgadas pela Polícia Civil nesta quarta-feira (12).
Segundo a Polícia Civil, o gerente da empresa procurou a polícia para informar que funcionários estariam comercializando de forma fraudulenta os blocos de tickets de passagens, gerando desfalque na empresa. Através do sistema de câmeras de segurança do local, foi possível ver a cobradora Solange Azevedo, acompanhada do motorista Cleberson Ferreira, vendendo um dos blocos de tickets para outro cobrador pelo valor de R$ 150,00.
O cobrador que comprou as passagens confirmou que existia um esquema entre os funcionários para obter lucro de forma indevida. Alguns dos blocos de tickets de passagens que estavam com Solange não constavam na relação dos blocos passados a ela pela empresa.
Após consulta no banco de dados, a polícia descobriu que a cobradora havia feito meses atrás um boletim de ocorrência de roubo, informando que alguns blocos de tickets de passagens haviam sido roubados. Em depoimento, a acusada confessou o crime. No aparelho celular de Cleberson, foram encontradas diversas mensagens trocadas com outros funcionários da empresa negociando os tickets desviados. As investigações irão prosseguir para identificar todos os envolvidos no crime.
(Pararijos NEWS)

Servidores do PSM do Guamá paralisam atividades

Servidores do PSM do Guamá paralisam atividades (Foto: Reprodução/Twitter)
Servidores do PSM do Guamá paralisam atividades em protesto por melhorias salariais e na saúde (Foto: Reprodução/Twitter)
Servidores do PSM do Guamá paralisaram as atividades por 24h e fazem um ato na manhã desta quarta-feira (12), em frente ao prédio da unidade de saúde, em protesto pelo descaso do governo municipal com as reivindicações da categoria e com a saúde pública.
De acordo com a categoria, foi garantido 30% do efetivo na unidade para atender as demandas. Com cartazes e faixas, os trabalhadores pedem uma atitude do Prefeito de Belém para que melhorias sejam feitas na unidade.
Na pauta de reivindicações há também o pedido de reajuste de 80% da gratificação do Amad e HPS (Hospital Pronto Socorro) que, segundo os funcionários, está defasado há 10 anos. Eles também pedem o ticket de alimentação, que atualmente é dado só para os plantonistas.
A paralisação seguirá até às 20h de hoje.
(DOL/Pararijos NEWS)

PSM do Guamá tem paralisação de 12 horas hoje

PSM do Guamá tem paralisação de 12 horas hoje (Foto: Fernando Araújo)
(Foto: Fernando Araújo)
Enfermeiros, técnicos de enfermagem e servidores que dão suporte aos atendimentos no PSM do Guamá paralisam as atividades hoje por 12 horas. Das 8h até as 20h, eles se reúnem em frente à unidade de saúde para pedir melhores condições salariais e de trabalho. A categoria disse que manterá 30% do atendimento funcionando.
Segundo uma das coordenadoras do Sindsaúde, Miriam Andrade, a categoria quer chamar atenção da prefeitura e do Governo do Estado. Para ela, tanto os trabalhadores quanto a população passam por situações desumanas no hospital. “Os servidores estão num estresse total. As condições de trabalho são as piores possíveis”. A pauta de reivindicações da categoria inclui Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração; concurso público; vale-alimentação para todos os trabalhadores e a equiparação de salário dos funcionários do PSM do Guamá com os do PSM da 14. 

DRAMA
Sentada em uma estreita escada móvel, de dois degraus, utilizada para os pacientes subirem nas macas, a dona de casa Rubia Mara Miranda, 49, aguardava desde as 13h a chegada de um neurologista no PSM do Guamá. Rubia estava com o lado direito do corpo adormecido. Os pés e as mãos formigavam. A filha, Kellen Luana de Miranda, 27, se sentia indignada. Ela conta que no corredor lotado e nas enfermarias não havia espaço para a mãe se acomodar e tomar a medicação. A senhora teria se sentido mal na manhã de ontem, quando voltava do posto de saúde, no Conjunto Satélite. Ela teria ido marcar uma consulta de rotina. No caminho de volta para casa, dentro do ônibus, ela passou mal. O esposo, Pablo Lobo Monteiro, 36, precisou levar Rubia até a Unidade de Saúde da Marambaia, mas ela desmaiou no local e foi transferida para ao Hospital Gaspar Vianna, na travessa Alferes Costa, bairro da Pedreira. Segundo a filha, nada pôde ser feito e a encaminharam ao PSM do Guamá. “Isso é um descaso total.”
Kellen conta que os funcionários do PSM informaram que o neurologista chegaria às 15h, depois às 18h. Porém, até por volta das 20h Rubia não havia sido atendida.
(Renata Paes/Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Calote ameaça construtoras

Cerca de 30 construtoras que executam 131 empreendimentos do Minha Casa, Minha Vida no Pará aguardam o pagamento de aproximadamente R$ 100 milhões até o próximo sábado, 15, para dar continuidade aos serviços em 45 municípios do Estado. A dívida do governo federal é referente aos débitos em aberto de junho e julho deste ano, cujo valor deve ser repassado via Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. O Sindicato das Indústrias da Construção do Estado do Pará (Sinduscon-PA) informou que, do total de obras contratados pelo programa federal, 57 já foram entregues. Por conta do atraso no pagamento, outras seis estão paradas em Breves (duas), Cametá (duas), Ananindeua (uma) e Marituba (uma). Nos demais municípios, as construções seguem em ritmo “bastante lento”. A entidade afirmou que, se resolvida a pendência no prazo, serão geradas 50 mil unidades habitacionais que tornarão realidade o sonho da casa própria para 250 mil pessoas.
No País, um terço dos 1,5 bilhão devidos às construtoras que executam obras do Minha Casa, Minha Vida já teria sido pago pela União. O vice-presidente do Sinduscon Pará, Alex Dias Carvalho, relatou que a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), entidade que representa o setor em esfera nacional, repassou que o governo federal se comprometeu a quitar o montante restante até o próximo dia 15. O representante do sindicato se mostrou esperançoso no cumprimento do prazo.
(Pararijos NEWS)

Lixões ainda são ameaça para a aviação


O despejo de entulho e lixo nos bairros vizinhos ao Aeroporto Internacional de Val-de-Cans continua sendo um problema crônico para a segurança dos aviões que aterrissam e decolam de Belém e para os moradores dos bairros em volta. A presença de resíduos orgânicos e lixo doméstico atrai principalmente a espécie urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus), que pode colidir em voo com os aviões e causar acidentes. Nos bairros do Benguí e Sacramenta, pequenas placas colocadas pela Prefeitura de Belém não são capazes de alterar o hábito desenvolvido pela população de despejar detritos nas ruas, servindo apenas como local de pouso e descanso das aves. Além do perigo para a aviação, os lixões trazem outros riscos à população, como doenças, insegurança e acidentes com veículos que trafegam pelas ruas movimentadas.
Em uma das principais entradas do bairro do Benguí, na Travessa Nove, já se encontra o primeiro lixão. Vários urubus se aninham no muro que divide o lixão de uma mata próxima. A placa da prefeitura informa sobre a proibição de jogar lixo e a aplicação de multa de R$ 607,97. “Dá muitos urubus aqui. Fica cheio. Tem horas que fica tudo preto e chama atenção”, relatou o morador da área Arivaldo Pereira, de 63 anos. O mau cheiro para quem mora nas proximidades é outra reclamação. “Bate o vento e o fedor de coisa podre vai todo para dentro das casas”, reclamou.
(Pararijos NEWS)

Bicolor cai para oitavo


Numa das melhores atuações do Paysandu nessa Série B, o time paraense parou nos erros de finalizações e nas defesas do goleiro Luiz, do Criciúma-SC. O empate sem gols seguia até os minutos finais, quando o árbitro paranaense Rafael Traci marcou pênalti para o Tigre. Neto Baiano cobrou para fazer o gol, mas esbarrou na bela defesa do goleiro Ivan, que havia entrado momentos antes no lugar do lesionado Emerson. Na cobrança de escanteio, a bola ficou livre para o centroavante Everaldo afastar. Mas, o camisa nove, um dos melhores em campo, teve a infelicidade suprema do futebol ao errar a cabeçada e jogar para dentro do próprio gol. Everaldo não marcava um gol desde setembro do ano passado e, ironia das ironias, voltou a balançar a rede de um jeito que nenhum atleta quer.
Com a derrota de ontem, o Papão caiu para a oitava colocação, a cinco pontos do quarto colocado, o Bahia. Se vencer o Oeste-SP, neste sábado, no Mangueirão, e dependendo dos demais resultados, pode terminar a primeira metade do Campeonato Brasileiro encostado no G4, posição melhor do que se projetava no início da competição.
Para esse confronto, o clube vai manter os preços promocionais que tem usado em algumas partidas. A confirmação foi dada pelo presidente bicolor após a derrota de ontem. “É importante que o torcedor vá nos apoiar, por isso vamos manter o ingresso a R$ 20,00 a arquibancada e R$ 40,00 a cadeira nessa última rodada do primeiro turno”, confirmou Alberto Maia.
O técnico Dado Cavalcanti afirmou que gostou muito da produção do time, a despeito da perda das chances criadas e da partida. Mas, admitiu que no jogo em casa devem ocorrer mudanças por causa das características que deve ter o confronto no Mangueirão. “Nosso adversário deve vir fechado e nós teremos que ir para cima. Teremos que jogar diferente do que foi hoje (ontem)”.
Entre os jogadores, a atuação deu a esperança de que em casa o time volte a vencer e encoste nas primeiras colocações.”Vamos buscar a recuperação em casa, com certeza”, comentou Emerson. “A torcida é nossa força e tenho certeza que ela vai comparecer para nos ajudar”, completou o volante Fahel.
(Pararijos NEWS)

Homens são assassinados dentro de carro na Cidade Nova I

Foto: Cláudio Oliveira/WhatsApp ORM NewsFoto: Cláudio Oliveira/WhatsApp ORM News
Dois homens foram assassinados dentro de um veículo na WE 11, esquina com a SN1, no conjunto Cidade Nova I, em Ananindeua, na manhã desta segunda-feira (11).
De acordo com informações da Polícia Miliar, testemunhas disseram que eles foram mortos por homens armados que estavam em um veiculo Fox vermelho. A polícia realiza buscas na área para encontrar os homens. O caso foi registrado na Seccional da Cidade Nova.
(Pararijos NEWS)

Governo federal elabora novas estratégias contra queimadas

O governo federal preparou ações de prevenção, combate e monitoramento dos focos de incêndio na região amazônica, durante o segundo semestre. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), responsável pelas estratégias de enfrentamento, enviou nota a O LIBERAL, ontem, destacando a concentração do trabalho em localidades do Estado do Pará. De acordo com o sublinhado pelo órgão, a atuação será focada na BR-163 e na rodovia Transamazônica, onde há mais incidência de queimadas. O Ibama também prometeu estar presente em áreas dos complexos de assentamento no Leste paraense, especificamente no município de Moju. No Estado, já há oito brigadas implantadas, atuando em quase 7 milhões de alqueires. As estruturas são capacitadas, remuneradas e equipadas para confrontar os incêndios, segundo o Instituto.
Ao todo, são mais de 1,2 milhão de quilômetros a serem fiscalizados, no Pará. E as ações devem ser intensificadas principalmente no segundo semestre, período em que o número de focos aumenta. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no ano passado foram registrados mais de 35 mil focos ativos detectados, sendo 738 no primeiro semestre e 35.210 no segundo. Esta é a maior quantidade de focos entre as sete unidades federadas da região Norte. Já em 2015, até agosto, foram contabilizados 2.662 focos, 1.281 entre janeiro e junho, número que já provoca preocupação nas autoridades competentes. Entretanto, até aqui, o Maranhão possui mais focos de incêndio (4.202).
Foto: Nelson Feitosa/IbamaFoto: Nelson Feitosa/Ibama
O Ibama também se comprometeu a intensificar as ações em conjunto com todas as esferas de governo. O Estado do Pará já informou, em publicação feita no portal do governo, estar desenvolvendo estratégias para enfrentar os incêndios do segundo semestre. Desde julho deste ano, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) desenvolveu o Sistema de Monitoramento de Incêndio Florestal (SMI-Floresta), com o apoio da Vale, para acompanhar com mais eficiência cada um desses casos. “Em 2006 já atuávamos com esse sistema, mas agora ele é mais robusto, mais moderno. Temos 19 satélites monitorando toda a extensão do Estado, que nos atualizam a cada quatro horas. Agora conseguimos cruzar as informações com os dados climatológicos, para que a gente tenha as áreas de maior suscetibilidade a queimadas, com escassez de chuva, por exemplo”, explica o diretor de Geotecnologias da Semas, Vicente de Paula Sousa, em publicação feita no portal do governo paraense.
ON LINE
O sistema é totalmente on-line. “Ele tem o caráter de socializar. É interessante para a gente que a comunidade se envolva. Nosso objetivo é, a cada caso, ter uma ação imediata, para que se chegue a tempo de dar o flagrante ou a orientação devida. Agora conseguimos cruzar as informações do sistema também com o Cadastro Ambiental Rural (CAR), e a partir da localização saber em que área e quem é o provável responsável pela queimada, descobrir se é reserva legal, se é área de proteção permanente ou se área de uso alternativo do solo”, garante o diretor.
O SMI-Floresta identifica os níveis de calor em vários pontos do território, basta acessar o sistema pelo site da secretaria. O trabalho terá o apoio próximo da Sessão de Monitoramento da Defesa Civil do Pará, que inicia neste semestre um projeto piloto. O sistema já verifica diariamente os focos de incêndio a partir de vários sistemas on-line.
Em toda a região Norte foram contabilizados pelo Inpe 85.462 focos ativos de incêndio, em 2014. Quase todos surgiram no segundo semestre (81.644), enquanto menos de 10% apareceram nos primeiros seis meses (3.818). Neste ano, 4.682 focos foram identificados entre janeiro e junho, mas 5.084 já estão verificados em julho e agosto. Somente em julho, 3.446 focos foram detectados. No mesmo mês do ano passado, 3.360 focos foram marcados. Os Estados nortistas com mais focos, até dezembro de 2014, foram o Pará, o Maranhão (25.435), o Amazonas (9.288) e Rondônia (7.604).
(Pararijos NEWS)

Ex-presidente do Ipamb terá de devolver R$ 3,8 mi


Ex-presidente do Ipamb terá de devolver R$ 3,8 mi (Foto: Ney Marcondes)
As fraudes de Oséas Batista no Ipamb foram comprovas pelo TCM (Foto: Ney Marcondes)
O Instituto de Previdência e Assistência de Belém (IPAMB) teve sua prestação de contas de 2011 reprovada pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA), em sessão plenária realizada nesta terça-feira (11), devido a um grande número de irregularidades detectadas pela 4ª Controladoria do Tribunal. Só de despesas não comprovadas (conta “agente ordenador”) o ex-presidente do IPAMB Oséas Batista da Silva Júnior terá de devolver R$ 3,8 milhões. Ele também foi condenado a recolher outros valores, a pagar multas, teve os bens tornados indisponíveis e foi considerado inabilitado para exercer funções gratificadas na administração pública. 
O voto aprovado pelo plenário do TCM-PA determina os recolhimentos citando diversas irregularidades, como divergências na execução financeira, gerando o lançamento do valor na conta “agente ordenador”; não comprovação da legalidade das remunerações recebidas acumuladamente por Oséas, já que o mesmo constou na folha de pagamento de três órgãos diferentes: como presidente no IPAMB, como cargo denominado genericamente de “Grupo de Nível Superior” na Câmara Municipal de Belém, e como função denominada “Conselho Administração” na Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém – CODEM. O TCM diz que, como imperativo constitucional impede que se exerça três cargos públicos ao mesmo tempo, Oséas deve devolver os salários que recebia como servidor da Câmara de Belém e como conselheiro da CODEM. 
O tribunal diz que existem ilegalidades constatadas em contratos e irregularidades na execução do Convênio n° 02/2007, como majoração fraudulenta da margem de consignação do servidor municipal; Aquisição de produtos não previstos na natureza do Convênio; Permissão para usuários anônimos utilizarem o Convênio, impedindo a identificação nominal dos responsáveis pelas aquisições de produtos de forma fraudulenta e as notas fiscais emitidas pelas farmácias apresentam valores globais, sem qualquer discriminação dos medicamentos e produtos adquiridos.
Para piorar, ele também não encaminhou os relatórios do Controle Interno do IPAMB, comprovando a regularidade das prestações de contas dos suprimentos de fundos recebidos por vários servidores, como Renato Cesar Nascimento Spinelli que teria recebido R$ 32.000,00. Oséas não apresentou defesa para as irregularidades apontadas na análise da prestação de contas, mesma postura, adotada em 2010, no qual, apesar de apresentar defesa, limitou-se a arguir não ser o ordenador, de fato, do IPAMB, sendo as contas reprovadas pelo Acórdão n° 26.180.
O TCM-PA determinou ainda, com fundamento no artigo 74 da Lei Complementar 084/2012, que sejam tornados indisponíveis, por um ano, os bens dele, em tanto quanto bastem para garantir o ressarcimento determinado, bem como torná-lo inabilitado para exercer funções gratificadas na administração pública. 
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Cenário que gerou tragédia do PSM da 14 se repete


Cenário que gerou tragédia do PSM da 14 se repete (Foto: Jader Paes)
Cenário no PSM do Guamá continuava de caos ontem, com pacientes sendo atendidos de forma improvisada (Foto: Jader Paes)
A situação da saúde pública em Belém está, a cada dia, mais dramática. Após o incêndio que matou três pessoas no Pronto-Socorro Municipal Mário Pinotti (PSM da 14), o Hospital Humberto Maradei Pereira (PSM do Guamá) se tornou a referência para quem busca atendimento de urgência e emergência na capital paraense. O problema é que o hospital enfrenta irregularidades semelhantes às do PSM da 14, como rachaduras, falta de equipamentos e, o que é mais grave, instalações elétricas expostas. Além de tudo isso, ainda há o fato que o local está superlotado. 
Tal qual ocorreu na 14 de Março, o PSM do Guamá é agora alvo de alertas para as péssimas condições de trabalho, falta de medicamentos e problemas na estrutura do prédio que podem levar a uma nova tragédia, como a que ocorreu no dia 25 de junho, quando um incêndio obrigou o município a transferir pacientes às pressas. Ontem, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Pará (Sindsaúde/PA) levou um relatório ao Ministério Público Estadual (MPE). 
O documento tem cerca de dez páginas e pede providências das autoridades do Estado para evitar uma nova tragédia. “O prédio possui pontos que, além de infiltrações, apresentam rachaduras, criando uma situação de insegurança para os usuários e para os servidores”, alertou o Sindsaúde.

ALERTA
Assim como no PSM da 14, a unidade do Guamá tem a fiação elétrica improvisada, com riscos visíveis. Também foram encontrados aparelhos de ar condicionado instalados de forma precária e pontos de infiltrações. O documento do sindicato, feito com base em relatos e fotos de trabalhadores do Guamá, alerta para uma “tragédia anunciada”. 
No PSM da 14, peritos do Corpo de Bombeiros Militar do Pará concluíram que o incêndio foi causado por problemas em uma central de ar condicionado. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público, por meio da Promotoria Militar e Procuradoria de Justiça, já que havia pareceres do Corpo de Bombeiros que indicavam riscos no prédio. O caso corre sob sigilo de Justiça. 
O comandante geral do Corpo de Bombeiros Nahum Fernandes já prestou depoimento e o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho também está intimado a depor. Ele pode ser processado por homicídio culposo (por assumir a responsabilidade de manter o prédio funcionando mesmo tendo sido alertado dos riscos). A pena nesses casos pode chegar a 20 anos de prisão.
No documento entregue ao MPE, os trabalhadores afirmam que a situação do PSM do Guamá expõe o “descaso com a saúde pública” e denunciam “as más condições de trabalho que vêm sofrendo e presenciando diuturnamente”. Os servidores pedem medidas interventivas à Secretaria Municipal de Saúde (Sesma). “Por estarem em contato direto com os usuários do PSM do Guamá os servidores sofrem com ameaças e intimidações por partes daqueles, parentes e acompanhantes, motivados pelas péssimas condições de trabalho e falta de estrutura”, afirmam, no relatório.

IRREGULARIDADES ENCONTRADAS NO RELATÓRIO DO SINDICATO 

Pontos de infiltrações e rachaduras.
Instalações elétricas expostas.
Ar-condicionado instalado de forma improvisada (precárias).
Acompanhantes dormindo sobre colchonetes no chão dos corredores e embaixo das macas.
Pacientes “internados” nos corredores e em área externa.
As aplicações de soro e hemoderivados são realizadas no corredor.
Sala de hidratação usada como ala de internação, acolhendo pacientes com maior gravidade, pacientes estes com indicação para UTI’s(Unidade de Tratamento Intensivo) e UR (Unidade de Reanimação), consequentemente, elevando o risco de morte.
Na Unidade de Reanimação não há bomba de infusão de medicamentos, dificultando a administração medicamentosa em pacientes de alta complexidade.
EXIGÊNCIAS DOS TRABALHADORES
Lavatório exclusivo e adequado para higiene das mãos.
Avaliação médica periódica.
Fornecimento de materiais de trabalho esterilizado.
Recipiente adequado para lixos biológicos
Uniformes adequados.
Vestiário para higiene pessoal dos funcionários.
Manutenção de máquinas e equipamentos.
Iluminação adequada, entre outras reivindicações no que tange a segurança do trabalho dos servidores em saúde.
(Rita Soares/Pararijos NEWS/Diário do Pará)

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Oportunidade de formação para maiores de 18 anos

Oportunidade de formação para maiores de 18 anos (Foto: Divulgação)
Para quem já está no mercado de trabalho, prova de nivelamento é oportunidade para fazer o EJA (Foto: Divulgação)
Para enfrentar o mercado de trabalho é necessário, cada vez mais, uma formação mínima. Para quem já tem 18 anos, concluir o Ensino Médio é importantíssimo para se candidatar às vagas disponíveis no mercado. A Educação para Jovens e Adultos (EJA) é uma opção de formação principalmente para quem já está no mercado de trabalho e não dispõe de tempo.
Se você parou os estudos no Ensino Fundamental, mas já está no mercado de trabalho, também tem como ingressar nas turmas de EJA. Basta fazer uma prova de nivelamento. Esta prova tem amparo na Lei 2.494/98, que prevê a todos com mais de 18 anos, que não concluíram o Ensino Fundamental, a possibilidade de fazer um teste classificatório. A nota mínima de nivelamento é 6.
Se passar no teste, o aluno ingressa automaticamente no 1º ano do Ensino Médio. O curso todo é concluído em apenas 18 meses. Ao final, o aluno conquista seu certificado de conclusão do Ensino Médio. O Certificado é reconhecido pelo CEE/PA (Conselho Estadual de Educação do Pará).
"É uma grande oportunidade para quem já está no mercado de trabalho, não tem tempo para as turmas convencionais, mas almeja por empregos melhores", explica Mércia Cardoso, coordenadora comercial da Dínamo Educação. "O curso visa oferecer uma educação de qualidade para as pessoas que não tiveram como conciliar no tempo hábil o estudo, família e trabalho, isto é, sempre tiverem como prioridade família e trabalho pelas necessidades da época".
INSCRIÇÕES ABERTAS
Em todo Pará existe a oferta de cursos do EJA. "A Dínamo já possui turmas em Altamira, Capanema, Abaetetuba, Barcarena, Oriximiná, Ulianópolis, Acará, Igarapé-Miri e Bragança", informa Mércia. Atualmente, a empresa está com inscrições abertas para vários municípios, entre eles, Belém. A capital paraense receberá, a partir do dia 20 de agosto, a primeira turma do EJA da Dínamo.
Os cursos têm autorização prévia do Conselho Estadual de  Educação e Ministério da Educação (MEC).
Com aulas uma vez por semana e com a possibilidade de o aluno escolher o dia (quinta, sexta ou sábado), o curso é muito atrativo e vantajoso. 
Em todas as disciplinas o aluno conta com material didático e tutor/professor, que orienta quanto às disciplinas constantes no material instrucional e aos exercícios e resoluções de problemas que possam interferir na aprendizagem. O tutor/professor tem formação em curso de nível superior na área de conhecimentos da disciplina e formação em nível de pós-graduação na área específica da disciplina.

O investimento mensal é a partir de R$ 99, com todo material incluso. Para se matricular, procure a unidade da Dínamo Educação, na avenida Governador José Malcher, 1.255, esquina com a Generalíssimo, Nazaré. Mais informações: (91) 3085-2886, ou WhatsApp (91) 99804-0363 ou pelo site da Dínamo.
(DOL/Pararijos NEWS)

Presidente Dilma lamenta aumento na conta de energia

0

O governo lançou nesta terça-feira o Programa de Investimento em Energia Elétrica (PIEE), que prevê novos investimentos de R$ 186 milhões no setor entre agosto deste ano até 2018. Do total, R$ 116 bilhões serão em obras de geração e R$ 70 bilhões em transmissão. A intenção é agregar ao sistema entre 25 mil e 31,5 mil megawatts (MW).
Em seu discurso, a presidente Dilma Rousseff disse que o plano energético vai ampliar a solidez do sistema de produção e a distribuição de energia no país. Ela lamentou o aumento nas contas de luz. Só neste ano, a energia elétrica acumula uma alta de 47,95%, pelo IPCA, segundo o IBGE.
— Nós não tivemos racionamento. É verdade, sem sombra de dúvida, que as contas de luz aumentaram e, por isso, nós lastimamos. Mas elas aumentaram justamente porque, diante da falta de energia para sustentar a existência de luz, nós tivemos de usar as termelétricas e, por isso, pagar bem mais do que pagamos se houvéssemos apenas energia hidrelétrica no nosso sistema — afirmou.
— Faremos todas as nossas ações e esforços no sentido de assegurar o abastecimento, essa é a sinalização que estamos dando hoje — disse ela.
Após o lançamento do programa, Dilma afirmou que é melhor pagar um pouco mais para ter energia do que não tê-la.
— Todo mundo sabe de uma coisa: entre faltar energia e ter energia, é melhor pagar um pouco mais para ter energia, porque o peso da falta de energia é imenso em emprego, em renda, em dificuldades da empresa nem produzir, mas abrir mesmo — afirmou.
A presidente garantiu que haverá a partir de agora redução do preço da conta de luz.
— O que aconteceu no sábado é que desligados as termelétricas e mantivemos só a hidrelétricas. (Isso) vai produzir uma progressiva diminuição da bandeira vermelha, portanto, uma redução no preço da energia. Nós também vamos pagar menos para o sistema e tudo isso se combina para a gente ter uma situação melhor — disse a presidente.
INVESTIMENTOS
O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, citou alguma obras importantes, como a usina hidrelétrica de Teles Pires que já se encontra pronta, em fase de testes. E, também alguns investimentos que ainda serão contratados. Ele também destacou a importância das fontes alternativas, em especial o que considerou “um caso de absoluto sucesso, a energia eólica”.
Nas energias renováveis, destacou Eduardo Braga, estão surgindo novas oportunidades para investidores. Entre 2005 e 2014, o BNDES financiou 291 parques eólicos, que irão adicionar 7.500 MW de capacidade instalada ao país.
Segundo estimativas do governo, em 2023 as usinas eólicas deverão representar 11,4% da matriz elétrica brasileira, com 22,4 mil MW de potência instalada, capacidade igual à de duas usinas Belo Monte.
Outras duas hidrelétricas — São Luis de Tapajós e Jatobá, as duas no rio Tapajós — também são consideradas importantes para o abastecimento de energia no país, que deverão ter os leilões realizados até o final do ano,
— O Brasil pode contar com toda energia que precisa para o presente e para o futuro — garantiu Eduardo Braga.
A cerimônia, no Palácio do Planalto, contou também com a presença do vice-presidente, Michel Temer; dos ministros do Meio Ambiente, Isabella Teixeira; além de representantes do setor.
(Pararijos NEWS)

Professores denunciam descaso em escola

Professores e estudantes denunciam o descaso na escola Gasparino Batista da Silva localizada em Soure, no Marajó. Segundo a comunidade escolar a mesma situação havia sido denunciada há dois anos e até hoje nada foi feito na unidade e foram confirmadas na semana passada, através de um laudo da própria Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc).
A instituição foi interditada por risco de incêndio provocado por acidentes na sua rede elétrica.
Na eleição passada, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará, retirou as sessões de votação que funcionavam dentro da escola pelo mesmo motivo. Técnicos do tribunal avaliaram os riscos de incêndio e o comprometimento do andamento dos trabalhos de votação.
A direção da instituição manteve as aulas durante o ano passado e no início deste ano. No primeiro semestre de 2015, uma das pautas de reivindicação dos professores estaduais de Soure, era a reforma da escola.
Segundo os professores, pequenos incidentes já foram registrados na instituição, como pane na rede elétrica que está em condições precárias. 
Alguns princípios de incêndio e curtos circuitos na rede, com fogo e fumaça abundantes no interior do prédio.
Uma denúncia já foi formalizada ao Ministério Público,  pelos sindicalistas que lideravam o movimento de greve, avaliando as condições do prédio para o funcionamento da instituição e os perigos que os membros da comunidade escolar correm. No entanto, a representação do Ministério Público teria enviado a denúncia para ser respondida pela diretora da Escola,  o que até hoje não foi feito.
A diretora da instituição ainda não teria recebido qualquer posicionamento da Seduc quanto a liberação de recurso para a reforma do prédio.
"Nosso ano letivo já está comprometido, devido a greve e agora esta paralisação. Ainda não querem aceitar nossa transferência. Isto é uma falta de respeito do Governo do Estado com a gente" disse uma estudante que preferiu não se identificar.
Uma reunião estava prevista para ocorrer nesta terça-feira (11) entre professores, estudantes e funcionários,  para decidir o que deverá ser feito quanto as atividades de aula.
(DOL e Pararijos NEWS com informações de Dário Pedrosa/ Diário do Pará/Sucuursal Marajó)

Funai é multada por não cumprir ordem judicial


Foto: Movimento Xingu VivoFoto: Movimento Xingu Vivo
Atendendo a pedido do Ministério Público Federal, a Justiça Federal de Itaituba intimou a Fundação Nacional do Índio (Funai) sobre o descumprimento de uma sentença judicial que ordenava o prosseguimento da demarcação da Terra Indígena Sawré Muybu, dos índios Munduruku. Com a intimação, a Funai passa a pagar multa de R$ 3 mil por dia de descumprimento da decisão, a contar do dia 6 de agosto, quando a sentença deveria ser cumprida.
'Intime-se a Funai, com advertência de que deverá se pronunciar imediatamente acerca da aprovação ou não do Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação (RCID) da Terra Indígena Sawré Muybu realizado pelo Grupo Técnico, sob pena de responsabilizações pessoais dos gestores da Fundação', diz o documento enviado à Funai. Essa é a terceira manifestação de um juiz federal no processo confirmando o entendimento do MPF de que a demarcação deve prosseguir.
Na mesma decisão, o juiz Pedro Maradei Neto recebeu a apelação da Funai contra a sentença, mas apenas com efeito devolutivo. Isso significa que o recurso da Fundação contra a demarcação da terra indígena vai ser apreciado pela Justiça, mas enquanto isso a sentença tem que ser obedecida com a publicação do RCID.
A publicação do Relatório vem sendo adiada desde 2013. Nos argumentos oficialmente apresentados à Justiça, a Funai alega que a prioridade nas demarcações atualmente é dada aos territórios indígenas nas regiões sul e sudeste do país e que não há disponibilidade orçamentária para a região amazônica.
Para o MPF, o argumento não se sustenta porque não há necessidade de orçamento para publicar um relatório, a verba pública nesse caso já foi aplicada, na confecção do estudo. 'Desperdício de dinheiro público seria continuar com o relatório engavetado, depois de todo o investimento e diante da violação de um direito constitucional dos indígenas', diz o procurador da República Camões Boaventura, responsável pelo processo.
Em uma reunião com os índios Munduruku, gravada por eles e incluída no processo, a então presidente da Funai, Maria Augusta Assirati, admitiu abertamente que a demarcação só estava paralisada por pressão do setor elétrico do governo federal, que pretende construir a usina São Luiz do Tapajós alagando a terra indígena.
(Pararijos NEWS)

UFPA debate regularização fundiária em patrimônio histórico

Avaliar a experiência prática e os desafios para implementar o projeto de regularização fundiária em terras tombadas pelo patrimônio histórico na cidade de Serra do Navio, no Amapá, dentro dos múltiplos cenários do desenvolvimento regional das cidades na Amazônia Legal. Este é o foco da oficina organizada pela Comissão de Regularização Fundiária da Universidade Federal do Pará (CRF-UFPA), a ser realizada na quarta, 12, e na quinta-feira, 13, no Prédio Anexo da Reitoria, 3º andar, na sala de reunião da Pró-Reitoria de Administração da UFPA.
Participam do evento a coordenadora Geral de Bens Imóveis do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Érica Diogo; o coordenador Geral da Amazônia Legal da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), Fernando Campagnoli; a superintendente do IPHAN, no Amapá, Juliana Morilhas Silvani; o prefeito municipal de Serra do Navio, José Maria Lobato; a presidente da CRF-UFPA, Marlene Alvino; e o coordenador geral do Projeto e da CRF-UFPA, André Montenegro; além da participação de arquitetos, engenheiros, assistentes sociais, advogados, especialistas em Tecnologia da Informação e acadêmicos da instituição federal de ensino.
O Projeto de Regularização Fundiária e Cidadania: Valorização Histórica, Urbanística e Ambiental de Serra do Navio é uma parceria firmada entre a UFPA, o IPHAN, a SPU, a Prefeitura de Serra do Navio e a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). Ele tem o objetivo de garantir o direito social à moradia, assegurando a titulação das casas e dos terrenos em nome dos moradores, além de valorizar o patrimônio histórico e promover melhores condições para o desenvolvimento municipal.
Social -  A consultora da CRF-UFPA, Maria do Carmo da Silva, informa que no dia 12 de agosto, a partir das 9 horas, haverá uma contextualização institucional do projeto, composto por várias etapas executivas previstas para serem concluídas em abril de 2016, além do detalhamento dos encaminhamentos definidos em Brasília, em 2014. O projeto conta com um investimento de R$ 681 mil do IPHAN-Amapá.
Foto: Kid ReisFoto: Kid Reis
Em seguida, a consultora e assistente social do projeto, Érica Laina, abordará o processo de formação e instituição do Grupo de Trabalho Municipal de Acompanhamento da Regularização Fundiária (GTM), além de detalhar o Plano de Ação e Mobilização da comunidade. “O GTM é composto por servidores, membros do setor privado, representantes da sociedade civil e dos Poderes Executivo e Legislativo. O grupo representa o empoderamento da comunidade no processo de regularização”, destaca Érica.
Topografia - A partir das 14 horas, haverá a Palestra “Os desafios e aspectos topográficos para a regularização fundiária em terras tombadas pelo patrimônio histórico”, que será proferida pela engenheira e consultora da CRF-UFPA, Elaine Angelim. “Os pontos geodésicos que demarcam a poligonal de Serra do Navio foram fixados na região por volta de 1950. Nas primeiras ações de campo, realizadas em julho passado, para a execução do levantamento topográfico, encontramos pontos localizados dentro do Rio Amapari e da mata fechada, ampliando os desafios da topografia nas cidades da Amazônia Legal. Superada esta etapa, a regularização avança para a execução do cadastro físico-social, que permitirá um levantamento das condições socioeconômicas dos moradores, bem como um detalhamento dos imóveis existentes na cidade”, sinaliza.
 Em seguida, Gabriel Outeiro, o consultor jurídico do projeto, falará sobre os aspectos jurídicos da regularização fundiária em áreas de tombamento.  Segundo ele, a UFPA desenvolveu a sua experiência de regularização atuando, inicialmente, em áreas públicas em Belém e no interior do Pará. Em Serra do Navio, segundo ele, como a área é pública, porém tombada pelo patrimônio histórico, isso exige outro olhar jurídico conforme a legislação brasileira. “É importante acentuar que a transferência das terras e as normas de preservação do patrimônio tombado ainda não foram transferidas pela SPU para o cartório de Serra do Navio e para a Prefeitura Municipal, ampliando os desafios”, alerta o consultor.
No segundo dia do evento, 13 de agosto, pela parte da manhã, haverá um debate com os participantes sobre “As perspectivas e horizontes do Projeto de Regularização Fundiária e Cidadania”, que será mediado pela consultora Maria do Carmo da Silva.  Na parte da tarde, a partir das 14 horas, serão debatidas e sistematizadas as deliberações referentes à experiência da regularização em terras tombadas como patrimônio público.
Comunicação -  Encerrando a oficina, haverá a apresentação de um trabalho fotográfico demonstrando a importância da imagem como um registro histórico das etapas do processo de construção da regularização em Serra do Navio e, ao mesmo tempo, denunciando, mais uma vez, a contradição histórica sobre a exploração das riquezas naturais brasileiras. “Na década de 90, quando o manganês acabou, a Indústria e Comércio de Minérios (Icomi) deixou o buraco e nenhuma contrapartida para a sustentabilidade e a preservação da cidade. A fotografia documentará, ainda, gradativamente, a participação efetiva e pactuada da comunidade na preservação histórica, urbanística e ambiental da cidade, além de sistematizar as etapas para a conquista da segurança jurídica da posse da terra, do direito social à moradia e sinalizar novos caminhos para a retomada do desenvolvimento municipal”, assinala o jornalista Kid Reis, assessor de comunicação do projeto.
(Pararijos NEWS)

Repasse do governo federal a municípios cai 22% em 2015

As prefeituras paraenses começaram a receber ontem o montante de R$ 120.987.104,56 do Fundo de Participação de Municípios (FPM). O valor corresponde ao primeiro decêndio do mês de agosto deste ano e chega a ser 22% inferior ao valor pago no mesmo período do ano passado. Em agosto de 2014, o primeiro decêndio do FPM pago aos municípios do Pará, em valores brutos, foi de R$ 155.428.161,62 - uma diferença de R$ 34.441.057,06 entre os dois prazos. Os cálculos são da área de Estudos Técnicos da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e levam em conta a inflação do período.
Em todo o Brasil, a destinação total às prefeituras foi de R$ 2,702 bilhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo a retenção do Fundeb, o montante é de R$ 3,378 bilhões. Na comparação com o primeiro decêndio de agosto do ano passado, a CNM destaca que houve uma queda de 23,58% em termos reais, ou seja, considerando a inflação. Naquela época, foram depositados nas contas das prefeituras R$ 4,420 bilhões.
Somado esse novo repasse, o Fundo acumulado deste ano apresenta uma redução no Pará de 1,05%, totalizando R$ 1.736.576.891,21. No mesmo período do ano anterior o acumulado ficou em R$ 1.754.991.465,91 - diferença de R$ 18.414.574,70. Em âmbito nacional, a entidade municipalista calculou R$ 53,330 bilhões no ano. O valor corresponde a uma queda de 2,72%, em termos reais, dos primeiros sete meses e dez dias de 2014: R$ 54,819 bilhões. O comunicado da CNM lembra os gestores municipais que a nota deste decêndio não inclui os repasses extras de janeiro de 2014 e 2015 nem o repasse extra de maio de 2015. Eles ocorrem separadamente porque a Receita Federal tem um programa que parcela as dívidas de vários impostos.
Dentre os valores destinados ao Estado, os municípios com as maiores populações - com coeficiente do FPM igual a 4,0 -, receberão as maiores parcelas. É o caso de Ananindeua, Castanhal, Marabá, Parauapebas e Santarém que receberão, cada um, a parcela nesse primeiro decêndio de agosto de R$ 2.861.171,17 -  R$ 774.755,94 a menos que em 2014. Belém, como todas as demais capitais brasileiras, não aparece nesse levantamento da CNM.
Com a redução nos valores dos repasses, permanece o alerta da CNM. A entidade recomenda que os gestores municipais mantenham prudência na execução das despesas. A perspectiva é de aumento considerável no repasse agregado do mês de agosto.
(Pararijos NEWS)

Auditores da Receita Federal farão paralisação

Auditores da Receita Federal farão paralisação (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
Auditores da Receita Federal do Brasil (RFB) e do Trabalho farão uma paralisação na manhã desta terça-feira (11), pela inclusão da categoria na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 443. Eles cruzarão os braços a partir das 9h, em frente à sede da superintendência. Ali, será realizada uma assembleia geral unificada entre as duas categorias. 
Em greve desde o dia 6, os auditores fiscais da Receita lotados em Belém que ocupam cargo de chefia vão entregar suas funções durante o ato. A expectativa é que mais de 90% da cúpula da RFB entregue seus cargos, incluindo delegados, inspetores e todos os chefes da 2° Região Fiscal, responsável pela maior estrutura que abarca Pará, Amazonas, Roraima, Rondônia e Acre, deixando-a sem comando. 
O estopim para a greve dos auditores fiscais em Belém e outras capitais do país foi o fato de o texto da PEC 443 - que prevê a vinculação de salários de advogados públicos e delegados de polícia aos vencimentos de ministros do Supremo Tribunal Federal - excluir ambas as categorias dos benefícios da PEC.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)