Google+ Badge

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Tragédia na alça viária


 Bitrem carregado de carvão pegou fogo. Motorista foi carbonizado. Bitrem carregado de carvão pegou fogo. Motorista foi carbonizado.
Três pessoas morreram e uma ficou gravemente ferida em um acidente no quilômetro 58 da Alça Viária, na manhã de ontem. Uma carreta bitrem e um caminhão baú se chocaram de frente. A batida ocorreu depois que um dos veículos fez uma ultrapassagem proibida para evitar a colisão com um terceiro veículo, um micro-ônibus, não identificado. Houve uma explosão e os dois veículos que colidiram foram incendiados.
Moacir Ribeiro Lima, de 50 anos, motorista da carreta, foi carbonizado. Jair da Silva e Silva, 32 anos, e Luano do Nascimento Maia, de 21 anos, ambos ajudantes do caminhão baú, morreram com o impacto e o fogo. Ivaldo Souza Cabral, de 39 anos, o outro motorista, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado ainda com vida para um hospital particular, mas depois transferido para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, em estado gravíssimo após ficar preso às ferragens.
O acidente ocorreu entre 5h30 e 6h. A carreta da empresa Carvopar seguia no sentido Barcarena-Abaetetuba, carregada de carvão. O caminhão baú, do supermercado Belém Alimentos, seguia para Cametá. Moradores da área informaram aos policiais militares da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) que um ônibus havia feito uma parada brusca. O caminhão baú vinha atrás, mas em alta velocidade. Ivaldo, que dirigia o caminhão baú, desviou do micro-ônibus e acabou entrando na pista contrária, colidindo com o bitrem. A carga do baú, composta de alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e fraldas descartáveis, foi saqueada por moradores das comunidades próximas.
Os corpos foram levados para o IML de Abaetetuba, mas devem seguir para o IML de Belém.
Bombeiros levam duas horas para controlar incêndio
Pelo estado em que os veículos ficaram, os peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves confirmaram, nas avaliações preliminares, que pelo menos um dos veículos estava em alta velocidade, provavelmente o caminhão baú, como também reforçou o delegado Luiz Alberto Siqueira, de Barcarena. Entretanto, o laudo conclusivo da perícia só será divulgado em 15 dias. O fogo e o estado dos caminhões dificultava a investigação e foi difícil para o Instituto Médico Legal (IML) conseguir remover os corpos das vítimas, alguns dilacerados. Foi preciso ajuda de pelo menos 12 bombeiros para concluir o serviço e controlar as chamas. Horas após o resgate, a carreta ainda pegava fogo. Os pneus derreteram.
Ultrapassagem indevida no km 58 provocou colisão frontal
“É difícil dar qualquer detalhe por enquanto, já que começamos a investigar agora e é uma área afastada, no quilômetro 58, que apesar de ter comunidades próximas, tem casas muito distantes. Não há evidências ou testemunhas de fato, e contamos com a perícia técnica. Mas uma coisa já sabemos: foi uma ultrapassagem indevida. Vamos abrir um inquérito para investigar e vamos interrogar o motorista do caminhão baú, que sobreviveu”, comentou o delegado Luiz Alberto Siqueira, da delegacia de Barcarena, onde o caso foi registrado.
Enquanto a operação de combate às chamas e o resgate dos corpos continuava, o trânsito na via teve de ser interditado por quase duas horas, sendo liberado quase ao meio-dia. Ninguém sabia dar qualquer informação sobre o micro-ônibus mencionado, como placa, modelo ou linha. (Pararijos NEWS)