Google+ Badge

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Quatro candidatos e um sonho remista!

Quatro candidatos e um sonho remista! (Foto: DOL)
Os primeiros dias de janeiro serão cruciais para as chapas à presidência azulina mostrarem sua força (Foto: DOL)
Passado pouco mais de um ano da eleição de Pedro Minowa, que renunciou ao cargo, o quadro de associados do Remo, formado por sócios remidos e proprietários, voltará às urnas no próximo dia 23 de janeiro para eleger o mandatário máximo do clube, que cumprirá um mandato “tampão” de apenas dez meses, ou seja, até novembro do ano que vem. Quatro chapas estão inscritas para o pleito, que será realizado das 8 às 17 horas, como o anterior, no ginásio Serra Freire. Os postulantes ao comando do Leão são Antônio Miléo Júnior, Alcebíades Maroja, Zeca Pirão e André Cavalcante, este apontado como candidato da situação.
O candidato eleito, de acordo com o presidente da Assembleia Geral, Robério D’Oliveira, será empossado no cargo imediatamente, assumindo o posto do presidente interino Manoel Ribeiro, que vem acumulando a presidência do Codir (Conselho Diretor) e do Condel (Conselho Deliberativo) do clube. Até meados desta semana ainda não estava definida a forma de votação, se em urnas eletrônicas, que serão solicitadas ao Tribunal Regional Eleitoral, ou manualmente. Outra incógnita diz respeito ao número de sócios com direito a participar da eleição. Para ter direito a voto, o sócio proprietário precisaria estar em dia com sua mensalidade até o último dia do mês passado. Já os sócios remidos têm livre participação.
Na última eleição, ocorrida no dia 13 de dezembro de 2014, com apenas duas chapas concorrendo, 1.573 associados exerceram o direito de voto, com Pedro Minowa tendo 882 votos contra 691 obtidos por Zeca Pirão. A expectativa é que o pleito deste ano conte com um número maior de eleitores, sobretudo do quadro de associados remidos, que chegam a dez mil. Os candidatos vêm buscando apoio dos eleitores, principalmente entre os “cardeais” azulinos, tais como Ronaldo Passarinho, Ubirajara Salgado, Raimundo Ribeiro, Raphael Levy, entre outros, que podem funcionar como cabos eleitorais dos presidenciáveis.
(Nildo Lima/Diário do Pará/Pararijos NEWS)