Google+ Badge

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Porto de Vila do Conde será expandido

Porto de Vila do Conde será expandido  (Foto: Octavio Cardoso)
(Foto: Octavio Cardoso)
Mais um passo foi dado para viabilizar os investimentos no Estado do Pará. O ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP), Helder Barbalho, assinou na última quarta-feira (2) a Portaria nº 542, que trata do projeto de investimento em infraestrutura para expansão do Terminal Portuário de Vila do Conde. O convênio aprova o enquadramento para fins de adesão ao Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento de Infraestrutura (Reidi), o porto da empresa Terminal de Grãos Ponta da Montanha (TGPM), do grupo ADM do Brasil.
O projeto de Ponta da Montanha prevê investimentos da ordem de R$ 202 milhões na ampliação de capacidade e de área do Terminal de Uso Privado (TUP) da empresa. O projeto também contempla a construção de terminal flutuante para recebimento e descarga de barcaças e instalação de novo silo graneleiro com capacidade para 120 mil toneladas de grãos. O terminal começou a operar no ano de 1996, sob responsabilidade da empresa Vale, inicialmente para movimentação de granel mineral. Foi adquirido em 2012 pela empresa ADM do Brasil, que o transformou para movimentação de granel sólido e, em julho de 2014, iniciou as operações para escoamento de grãos, como soja e milho, provenientes da região Centro-Oeste do País e outras localidades.
MANAUS
Já ontem (3), o ministro Helder Barbalho, assinou contrato que autoriza a construção e exploração da Estação de Transbordo de Carga, em Manaus (AM). A unidade será um Terminal de Uso Privado (TUP) operado pela Ponta Negra Administração e Empreendimentos. “Esse é um investimento que se soma a todos os outros já anunciados por aqueles que querem investir no Brasil”, comemorou o ministro. O investimento no TUP será de R$ 1,86 milhão e terá prazo de implantação de 3 anos, prorrogável por igual período, a critério da SEP. “Estamos engajados para desenvolver nosso projeto portuário no estado do Amazonas”, afirmou Leonor do Carmo Mota Vila, acionista da Ponta Negra.
A área autorizada para exploração é de 26.090,20 m² (vinte e seis mil e noventa metros quadrados e vinte centésimos). O contrato terá vigência de 25 (vinte e cinco) anos, contados da data da assinatura e é prorrogável por períodos sucessivos, manifestando interesse nessa prorrogação com 18 meses de antecedência de sua expiração, devendo apresentar proposta de novos investimentos para a expansão e modernização das instalações portuárias.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)