Google+ Badge

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Jardel se cala em depoimento para corregedoria da Assembleia


Advogado de político já adiantou que Jardel não vai responder perguntas (Foto: Jonas Campos/RBS TV)Advogado de político já adiantou que Jardel não vai responder perguntas (Foto: Jonas Campos/RBS TV)
O deputado estadual Mário Jardel (PSD) se apresentou na tarde desta segunda-feira (7) à Corregedoria da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (AL-RS), em Porto Alegre, mas optou por permanecer em silêncio O advogado do político, Amadeu Weinmann, chegou a encaminhar um pedido para tentar adiar o depoimento. Ele justificou que era preciso conhecer as acusações e ter acesso a denúncia do Ministério Público.

Entretanto, a solicitação foi negada pelo Corregedor-geral da casa, Marlon Santos. Por isso, o parlamentar foi notificado e precisou comparecer na sessão. Antes do depoimento, o advogado de Jardel já havia adiantado para um integrante da comissão de que o político não responderia as perguntas. E assim Jardel se manteve durante o depoimento e na saída do casa legislativa.

O corregedor da AL-RS, Marlon Santos, vai solicitar para a Comissão de Ética a prorrogação do prazo de conclusão do inquérito, presidido por ele, por mais cinco sessões. Com isso, o procedimento deverá ser finalizado no dia 22 de dezembro deste ano. O prazo normal para a conclusão é até terça-feira (8). Santos descartou a possibilidade de arquivamento. "No momento, pelo que se tem, é quebra de decorro parlamentar", observou.

O ex-jogador de futebol e ídolo do Grêmio é suspeito de desviar verbas da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, exigir parte dos salários de funcionários fantasmas e até de envolvimento com traficantes. O parlamentar está sendo investigado pelo Ministério Público e, na última segunda-feira (30), policiais cumpriram mandados de busca e apreensão no gabinete do político e em sua casa durante a Operação Gol Contra. (Pararijos NEWS)