Google+ Badge

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Irmãos são mortos em casa

Garota de 16 anos e rapazes de 15 e 18 anos foram crivados de balas e morreram na horaGarota de 16 anos e rapazes de 15 e 18 anos foram crivados de balas e morreram na hora
Três irmãos - uma garota e dois rapazes - foram assassinados a tiros na noite de terça-feira (29), no bairro do Tapanã, em Belém. Um primo das vítimas também foi baleado, mas conduzido com vida para atendimento médico. As vítimas, de 15, 16 e 18 anos, estavam dentro de casa quando o local foi invadido por três criminosos, que abriram fogo e fugiram em seguida. Testemunhas disseram que os matadores chegaram em um carro preto. Ainda não se sabe o que motivou o triplo homicídio.
O crime ocorreu por volta das 23h30 na ocupação Canarinho, com acesso pelas rodovias do Tapanã e Augusto Montenegro. Maik Souza Oliveira, de 18 anos, e os dois adolescentes estavam dentro da casa onde moravam com a mãe, na rua Açailândia, enquanto o primo deles, Márcio Souza Santos Júnior, de 18 anos, estava sentado na frente da residência.
Segundo as primeiras informações obtidas pela polícia, três homens encapuzados chegaram ao local em um carro preto. Eles desceram do veículo e já dispararam o primeiro tiro contra Márcio. O rapaz entrou no imóvel correndo e foi seguido pelos bandidos, que foram até o quarto onde estavam os irmãos. Eles chegaram a correr para um canto do quarto, entre a cama e a parede, mas não escaparam dos tiros. Os jovens foram crivados de balas e morreram na hora. A mãe das vítimas, que não teve o nome divulgado, estava na casa e não foi baleada. Ela ficou desesperada ao constatar a morte dos filhos.
Márcio foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e conduzido para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE). De acordo com a polícia, ele foi atingido na perna e não corre risco de morte.
De acordo com o sargento J. Luiz, do 24º Batalhão da Polícia Militar (BPM), foram feitas diligências na área, mas ninguém foi preso. “A informação que recebemos é que os assassinos estavam em um carro preto, mas ninguém soube informar a placa ou mais detalhes”.
O sargento contou ainda que a motivação do triplo homicídio era desconhecida, mas surgiram algumas denúncias que serão averiguadas pela Polícia Civil. “Por exemplo, sabemos que o pai das vítimas é um criminoso conhecido pelo apelido de ‘Petão’, que está preso acusado de tráfico de drogas e outros crimes. É possível que a morte desses jovens tenha alguma relação com o fato de o pai estar envolvido neste mundo”.
Além disso, as autoridades foram informadas que os irmãos de 15 e 18 anos, além do primo, faziam pequenos furtos e arrombamentos na área do Tapanã. O irmão mais velho supostamente teve uma passagem pela Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data).
Mãe dos jovens responsabiliza policiais
Familiares das vítimas acreditam que o triplo homicídio tenha sido cometido por membros de uma milícia formada principalmente por policiais. A mãe dos jovens não concedeu entrevista, mas falou várias vezes que os filhos foram mortos por milicianos. “Essa milícia que a Justiça não consegue acabar. Os policiais já tinham invadido minha casa, reviraram tudo, fizeram ameaças e agora voltaram pra matar meus filhos. Eles não eram bandidos, eram a razão da minha vida”, disse a mulher, que ficou desesperada. Ela chamava os filhos, pedia para que “acordassem” e gritava, pedindo ajuda. Outros parentes também ficaram muito emocionados. Uma tia chegou a desmaiar e precisou ser socorrida por vizinhos.
O delegado Lenoir Cunha, da Divisão de Homicídios, garantiu que todas as possibilidades serão investigadas. Ele destacou que os levantamentos estão apenas começando e que a polícia conta com a ajuda da população para que os criminosos sejam presos. “Quem tiver alguma informação que possa nos ajudar, por favor, entre em contato com o Disque-Denúncia (181)”. A ligação é gratuita e sigilosa.
Ainda de acordo com o delegado, o depoimento da mãe será importante para o andamento das investigações, já que ela estava no imóvel no momento do crime. “A mãe das vítimas deverá ser ouvida em outro momento, porque agora ela está inconsolável e não tem condições de fornecer alguma informação”. “Faremos uma triagem, para a partir daí chegar até a motivação e autoria dos homicídios e da tentativa de homicídio”, acrescentou o delegado. O registro do triplo homicídio e da tentativa de assassinato foi feito na Seccional Urbana da Marambaia. (Pararijos NEWS)