Google+ Badge

domingo, 27 de dezembro de 2015

Homenagens ao santo reúnem 200 mil pessoas em Bragança


Uma multidão acompanhou a série de homenagens a São Benedito, na programação da Marujada, em Bragança, nordeste paraense, durante todo o sábado (26). A Marujada acontece há 217 anos e envolve não só a organização, como movimenta o turismo na cidade e todo seu entorno. Segundo a organização, pelo menos 200 mil pessoas acompanharam a festividade neste ano, número considerado 50% a mais do que o registrado em 2014.
A programação começou de manhã bem cedo, com uma procissão entre a Casa da Capitoa da Marujada, Maria de Jesus, até o Largo de São Benedito, no centro histórico. Às 7 horas houve uma missa campal, celebrada pelo bispo da cidade, dom Luiz Serrano. Após a celebração, marujos e marujas se reuniram no Museu da Marujada, onde houve apresentações de dança e folclore.
Às dez da manhã foi a hora do tradicional leilão na barraca da Marujada. “O leilão é o momento em que ocorre a venda de animais, como galinhas, bois, cavalos, porcos, patos, todos frutos de doações. Toda a renda arrecadada é destinada às obras da Igreja de São Benedito”, explica o presidente da Irmandade da Marujada, João Batista Pinheiro.
A programação seguiu com um almoço ofertado pelo juiz José Torquato, de Belém, na sede da Irmandade. A partir das 15 horas teve louvação na Igreja de São Benedito, com saída da tradicional procissão, às 16 horas. Nessa hora marujos e marujas ganharam as ruas do centro histórico de Bragança até o Largo de São Benedito, onde dançaram em homenagem a seu padroeiro.
No encerramento, à meia-noite, ocorreu o esperado abraço à Igreja de São Benedito, quando marujos e marujas dão as mãos e rodeiam o prédio em agradecimento ao santo. O presidente da Irmandade diz que esse momento a realização de todo um trabalho, que dura o ano todo, para que tudo saia perfeito na programação. “É uma satisfação para nós ver a cidade cheia, a tradição dos bragantinos em homenagear São Benedito. Para nós é uma forma de reunir o povo”, diz.
João Batista Pinheiro lembra ainda que a programação também gera renda para o município, pois mexe com toda a sua economia. “Todos os hotéis estão lotados, tanto em Bragança, como em Ajuruteua. E a festa cresce a cada ano. Este ano tivemos um aumento de 50% na participação do público, atraindo cada vez mais turistas”, destaca. (Pararijos NEWS)