Google+ Badge

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Grávida morre em casa. A vítima tinha ligação com o tráfico de drogas

Telma do Socorro Correa Pimentel da Silva, de 45 anos, respondia a seis processos na JustiçaTelma do Socorro Correa Pimentel da Silva, de 45 anos, respondia a seis processos na Justiça
Uma grávida de cinco meses foi assassinada com um tiro, ontem à noite, em Marituba, município da Região Metropolitana de Belém (RMB). Telma do Socorro Correa Pimentel da Silva, de 45 anos, estava dentro da própria casa quando foi surpreendida por dois homens que invadiram o local. Um deles atirou. Segundo informações policiais, o projétil entrou pela região lombar e saiu pela barriga da grávida. Ela e o feto morreram na hora. A motivação do homicídio está sendo investigada, mas há denúncias de que a mulher tinha várias passagens pela polícia por tráfico de drogas.
O crime ocorreu por volta das 19h30 na rua São Francisco, bairro Novo. Telma morava sozinha no imóvel de um cômodo e foi atacada por dois homens ainda não identificados. De acordo com os primeiros levantamentos policiais, eles chegaram a pé ao local e um disparo foi feito contra a vítima. Moradores das proximidades preferiram não dar muitas informações sobre o que viram ou ouviram.
Nem o Centro Integrado de Operações (Ciop) foi informado sobre o homicídio logo após o fato. Policiais do 21º Batalhão da Polícia Militar estavam a caminho de uma ocorrência quando passaram em frente à casa e perceberam uma aglomeração. “Quando perguntamos o que estava acontecendo, contaram que uma mulher havia sido assassinada na casa”, afirmou o sargento Arthur.
De acordo com o sargento, as pessoas preferem não falar, pois temem represálias. Telma Silva tinha envolvimento com o tráfico de drogas e já tinha sido presa. Uma busca por antecedentes criminais da mulher revelou que ela respondia a seis processos na Justiça: três por tráfico de drogas e três por associação para o tráfico. Além disso, também existem denúncias de que ela foi a mandante de pelo menos quatro assassinatos ocorridos no município, todos relacionados com o tráfico de entorpecentes.
Uma das suspeitas é que a morte da mulher tenha sido um acerto de contas por causa do envolvimento dela com a criminalidade. Por outro lado, o fato de a vítima ter sido atingida próximo à barriga também levantou a suspeita de que o crime tenha alguma ligação com o fato de ela estar grávida. “É estranho porque normalmente, em casos de execução, a pessoa é baleada na cabeça, no peito. Mas no caso ela foi atingida bem na região da barriga”, disse uma pessoa que estava na área, mas preferiu não se identificar.
Todas as hipóteses serão investigadas pela Polícia Civil. Uma equipe da Divisão de Homicídios deu início às apurações, que deverão ser repassadas para a Seccional Urbana de Marituba, onde foi feito o registro do assassinato. (Pararijos NEWS)