Google+ Badge

domingo, 27 de dezembro de 2015

Das metas para 2015, Dilma cumpriu só 32%; Capitais cortam investimentos. Jornais de domingo (27)


Domingo, 27/12/2015, às 10:16, por Matheus Leitão
O governo Dilma Rousseff — no primeiro ano do segundo mandato — atingiu um terço das metas a que se propôs e levou o país à recessão que prometeu não levar. Esta é a manchete da Folha de S. Paulo neste domingo (27). “Dilma atinge só 32% das metas definidas para 2015”. 
A comparação é feita não com o que ela disse na campanha, mas com o que prometeu na sua mensagem ao Congresso no dia 2 de fevereiro, início do ano legislativo. Dos outros compromissos, metade não foi cumprida e 17,7%  foram, em parte, alcançados. Na mensagem Dilma disse que não levaria o país à recessão. O país está em recessão de 3,7%.
O Estado de S. Paulo traz na manchete que “Dilma tem o menor índice de apoio na Câmara na gestão PT”. Esse índice é calculado pelo nível de apoio aos projetos na base governista. O Estadão dados comparou cada ano desde 2003 e revela que a taxa média dos deputados que votaram segundo a orientação do governo foi de 67%. A média histórica é 81% no período PT. O auge é 2004, início da gestão Lula, que foi 91%. 
A manchete do Globo é sobre a crise nas cidades. “Crise obriga prefeituras a cortar investimentos”. Em 14 das 22 capitais que enviaram relatório do Tesouro os gastos com investimentos caíram. Em Natal, despencaram 89,9%. Analistas consideram que isso não deve melhorar em 2016. 
O jornal carioca informa também sobre a crise da saúde no Rio, avaliando que na origem, o problema das UPA’s (Unidades de Pronto Atendimento) vem da má gestão e inchaço. Além disso, houve a perda da receita com royalties de 52% este ano. A Folha faz uma reportagem sobre Bento Rodrigues, o local atingido pela lama da Samarco. “Virou lugar nenhum”, diz o enviado especial.
Outras notícias: Venda de Natal nos shoppings foi o pior em dez anos; O governo federal está fazendo manobras legais para fechar as contas e pagar as pedaladas; O Estadão informa que, desde que foi criado em 2001, o Conselho de Ética da Câmara só cassou um deputado por ter mentido, Roberto Jefferson. (Pararijos NEWS)