Google+ Badge

sábado, 21 de novembro de 2015

Vigia leva 4 tiros no peito


Luiz Augusto Conceição Souza, de 30 anos, estava a caminho de casa quando foi atacadoLuiz Augusto Conceição Souza, de 30 anos, estava a caminho de casa quando foi atacado
O vigilante Luiz Augusto Conceição Souza, de 30 anos, foi assassinado com quatro tiros, na tarde de ontem, na travessa Enéas Pinheiro, entre as avenidas João Paulo II e Perimetral, no bairro do Marco, em Belém. Luiz Augusto tinha acabado de sair da empresa onde trabalhou e caminhava pela travessa quando foi abordado por pessoas que estavam em um carro e em uma motocicleta. Dois homens que estavam no carro atiraram no vigilante. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima já estava morta quando os socorristas chegaram. A polícia trabalha com a hipótese de acerto de contas, mas ainda não sabe o que motivou o crime.
Testemunhas contaram que o vigilante foi abordado primeiro por pessoas que estavam em um Palio prata. Em seguida chegou uma pessoa na motocicleta e falou para os ocupantes do carro que Luiz Augusto era o homem que eles procuravam. Foi nesse momento que as pessoas do carro atiraram. Quatro tiros acertaram o peito da vítima.
“Uma testemunha ocular contou que a vítima foi abordada na frente do prédio. Ele foi parado por um carro da marca Palio e depois pela moto. O cara da moto teria dito ‘é esse’ e em seguida as pessoas do carro atiraram. Luiz não teve tempo nem de fugir. Ele trabalhava em uma empresa de vigilância, mas foi recentemente demitido e veio pegar os pertences. Acreditamos que ele estava sendo vigiado. Tudo indica que foi acerto. Os assassinos não foram identificados pelas testemunhas. Após os disparos, eles fugiram sem levar nada da vítima”, disse o sargento João Bandeira, da 2ª Companhia, 1º Batalhão da Polícia Militar. O sargento informou ainda que a vítima estava a caminho de casa. A polícia achou quatro cápsulas no local: duas de pistola ponto 40 e duas de pistola 380. Elas foram recolhidas e serão periciadas.
Rita Cardoso, vizinha de Luiz Augusto, estava no local do crime. Ela contou que o vigilante era colega de trabalho do filho dela. “Eu não sei o que poderia motivar essa execução. O rapaz era tranquilo, era bom. Ele trabalhou com meu filho. Que eu saiba ele nunca teve problema com ninguém. A morte dele nos pegou de surpresa”, disse a senhora. Outra pessoa que pediu para não ser identificada disse que o vigilante era investigado por participação em roubos a caixas eletrônicos. Esta pessoa disse também que Luiz Augusto estava sendo ameaçado de morte por comparsas.
A equipe da Divisão de Homicídios esteve no local e informou que tudo será investigado. O corpo foi removido no final da tarde, pelo Instituto Médico Legal (IML), e o crime foi registrado na delegacia do Marco. (Pararijos NEWS)