Google+ Badge

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Belém celebra Dia da Consciência Negra


Ser demitida por causa do cabelo crespo parece surreal, mas aconteceu com a técnica de enfermagem Jocicleide Belém da Costa Santos, 31 anos, marcando sua adolescência, quando ela foi dispensada do estágio, num shopping de Belém, porque se recusou a alisar os fios crespos. Crimes de racismo, preconceito e discriminação racial se configuram pela rejeição ou exclusão de pessoas em razão da cor da pele em vários ambientes. Hoje, no Dia Nacional da Consciência Negra, que celebra Zumbi dos Palmares, personagem histórico da resistência negra no Brasil, haverá evento afroreligioso que celebrará também o Dia Nacional da Umbanda, transcorrido no último domingo, 15. O evento reunirá comunidades tradicionais de terreiros da Região Metropolitana, no Ver-o-Rio, das 18 às 21 horas.
“Eu era responsável por fazer vistoria nas vitrines das lojas. Fiquei dois meses no estágio. Fui avisada que se não alisasse os cabelos, perderia a vaga. Me recusei e fui demitida. Alegaram que era redução de custos, mas outras pessoas foram admitidas”, relatou Jocicleide. “Isso teve um efeito grande na minha autoestima. Levei o caso ao Ministério Público, mas eu tinha 16 anos e não tive apoio. Meu pai dizia que não ia dar em nada.”  (Pararijos NEWS)