Google+ Badge

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Governo deveria pedir apoio federal

Governo deveria pedir apoio federal (Foto: Agência Pará)
(Foto: Agência Pará)
Para o sociólogo e advogado criminalista Henrique Saúma, a segurança pública do Estado segue à deriva. “Estamos sem rumo, completamente perdidos”, alerta. Admirador da competência das polícias Civil e Militar do Pará, ele admite que o ideal seria que o governador Simão Jatene baixasse a guarda e pedisse apoio ao Governo Federal, embora compreenda que isso é o mesmo que assinar um atestado de incompetência. “Obras são bonitas, propaganda é positiva, mas é a população que sente no dia a dia que aquilo está bem longe da realidade”, aponta.
Saúma lembra que alguns policiais civis e militares acabam sendo vizinhos de traficantes, têm salários baixíssimos e péssimas condições de trabalho, “e ainda têm de dar resultado”. Para ele, a postura do Governo do Estado de ir a público anunciar que há um alarde generalizado disseminado pela própria população em redes sociais é preocupante. “É como se estivéssemos em pânico por algo que criamos da nossa cabeça. Agem como se nada estivesse acontecendo.” 
Saúma cita, ainda, que em situações como esta e também como a chacina dos dias 4 e 5 de novembro de 2014 a administração se limita a aumentar o efetivo de policiais na rua. “Cadê as respostas sobre o que houve em 2014? De novo a mesma história e sem resposta na prática”, questiona o sociólogo. 
Henrique Saúma reforça que o combate à criminalidade precisa atacar as raízes do problema e propor soluções que atinjam o que ele chama de ‘cinturão social’. Disse ainda que o estado que se vive hoje, com mais de 30 homicídios na Região Metropolitana de Belém por mês, é de caos, de limite. Ele é contra a criação de mais leis ou aumentar penas para crimes. “É uma medida populista e demagoga. O número de crimes não diminui”, justifica.
(Carolina Menezes/Diário do Pará/Pararijos NEWS)