Google+ Badge

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Executado na casa da mãe

Luan Moraes (detalhe) foi morto a tiros dentro do quarto onde estava com a companheiraLuan Moraes (detalhe) foi morto a tiros dentro do quarto onde estava com a companheira
Um homem foi executado com vários tiros, ontem, por volta das 9h30 da manhã, na passagem Raimundo Oliveira, próximo à Estrada do Maguary, em Ananindeua. A residência da mãe de Luan Guimarães Moraes, de 22 anos, foi invadida por um desconhecido armado, que o matou quando estava no quarto. A companheira da vítima, Selma Maria Ferreira Amaral, de 23 anos, que estava no local, foi alvejada no braço. Luan Moraes sofreu morte instantânea, enquanto Selma foi socorrida e está fora de perigo.
Segundo o sargento César Fernandes, da 2ª Companhia/29º Batalhão da Polícia Militar, o assassino chegou a pé, sozinho, portando uma arma de fogo. A porta da casa estava aberta porque a mãe e o padrasto da vítima conversavam com vizinhos em frente ao imóvel. “A mãe só viu esse homem que entrou rápido e ouviu cerca de seis disparos. Em seguida, ele saiu correndo e apanhou um Palio bege, que aguardava estacionado a poucos metros do local do homicídio”.
O crime, segundo a polícia, teve características de acerto de contas. O sargento que atendeu a ocorrência informou que Luan e Selma tiveram passagens pela polícia por assalto.
Luan ficou caído no chão do quarto. Selma foi atingida sem gravidade. Ela alegou que estava gestante e foi levada à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Cidade Nova, onde recebeu cuidados médicos.
O sargento César disse que o casal alvejado não tinha paradeiro certo, pois  Luan costumava ficar no bairro da Cabanagem, em Belém, enquanto ela reside na travessa Vileta, na Pedreira. O boletim de ocorrência de homicídio foi registrado na Central de Flagrantes da Cidade Nova.
O delegado Eduardo Rollo, da Divisão de Homicídios, esteve no local do crime para iniciar a investigação, assim como os peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC). Em seguida, o cadáver foi removido pelos funcionários do Instituto Médico Legal (IML), onde será submetido a exame de necropsia até ser liberado para o enterro. (Pararijos NEWS)