Google+ Badge

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Análises mostram contaminação em Vila do Conde

Análises mostram contaminação em Vila do Conde (Foto: Cezar Magalhães/DOL)
Na Praia da Vila do Conde, próximo à margem, foi constatada a presença de óleos e graxas, além de contaminação microbiológica (bactérias). (Foto: Cezar Magalhães/DOL)
O Laboratório Central do Estado (Lacen) divulgou nesta quinta-feira, 22, o resultado das amostras de água coletadas no dia 14 de outubro em seis poços de consumo humano e  nove pontos do meio ambiente, em Vila do Conde, no município de Barcarena.
Em sua maioria, as análises laboratoriais estão com índices satisfatórios, ou seja, sem grande risco de contaminação por bactéria.  
No Igarapé Dendê, situado em Vila do Conde, que serve de abastecimento para comunidade e balneabilidade, não foi observada pela inspeção visual a presença de graxas e óleos, e as análises laboratoriais revelaram índices satisfatórios da qualidade da água, o que indica boa condição ambiental. 
Nas praias de Itupanema e Caripi, localizadas a 2km de distância do local onde ocorreu o acidente, o laudo demonstrou que as praias estão livres de contaminação pela inspeção visual do meio ambiente e pelas análises laboratoriais. Somente na Praia da Vila do Conde, próximo à margem, foi constatado pela inspeção visual do meio ambiente a presença de animais mortos, óleos e graxas, e percepção de odor no corpo d’água e contaminação microbiológica.
As análises laboratoriais revelaram a presença de altos índices de sólidos em suspensão, alteração na cor da água, durante a baixa-mar, mas na preamar os teores de oxigênio dissolvido e da demanda bioquímica de oxigênio foram satisfatórios. Assim, de acordo com os parâmetros de inspeção do meio ambiente nesta área, constatou-se que a água não está apropriada para o contato humano, principalmente na baixa-mar. 
CM
Com a decomposição dos animais, a proliferação de bactérias foi comprovada em análises laboratoriais. (Foto: Cezar Magalhães)
Em relação às análises microbiológicas das águas dos seis poços, foi demonstrada a presença de contaminação por Escherichia coli e Coliformes totais e ausência destas bactérias em quatro deles. É importante ressaltar que estas alterações podem está relacionadas com a localização desses poços próximos a fossas sanitárias e a profundidade, sendo necessária a higienização dos mesmos ou até mesmo a sua interdição.  
(DOL, Pararijos NEWS com informações da Sespa).