Google+ Badge

domingo, 20 de setembro de 2015

Pesca vai perder ministério

Edinho Silva: pastas de menor orçamento serão cortadasEdinho Silva: pastas de menor orçamento serão cortadas
Em café da manhã com jornalistas de veículos regionais, na quarta-feira, 16, no Palácio do Planalto, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência República (Secom), Edinho Silva, antecipou que a presidente Dilma Rousseff vai apresentar os cortes nos ministérios até a próxima quarta-feira, 23, antes da viagem para a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Ele não adiantou o teor das mudanças, mas admitiu que as pastas de menor orçamento e as secretarias com status de ministério deverão ser as primeiras a passar pela tesoura da presidente.
“O objetivo é enxugar a máquina. Então, é necessário diminuir a estrutura. A presidenta está olhando, junto ao Ministério do Planejamento, as várias estruturas de governo com funções sobrepostas. Então, terão algumas pastas que serão fundidas a outros órgãos. E não faz nenhum sentido dizer que reduziu o número de ministérios e ao mesmo tempo mantê-los, mas com outras nomenclaturas”, respondeu o ministro ao questionamento de O LIBERAL, sobre as pastas da Pesca, de Portos, da Aviação Civil e de Assuntos Estratégicos, comandadas atualmente pelo PMDB, e que já são apontadas como certas de extinção. O partido resiste ao fim destas pastas nos bastidores políticos para não se tornar o grande perdedor com a reforma administrativa.
“O corte no número de ministérios é em continuidade à reforma que o governo vem implantando em busca do equilíbrio fiscal. O assunto está sendo tratado diretamente pela presidenta e se até a Secom tiver de ser fundida, por ser uma decisão presidencial, eu aceito plenamente. Tenho também a certeza de que todos os integrantes da equipe ministerial vão estar coesos com o que for decidido”, reforçou o ministro, descartando ainda a notícia de que Dilma estaria recuando em seu projeto inicial de conseguir a estabilidade nas contas públicas após os encontros que manteve com governadores, senadores e deputados da base aliada, sobretudo do PMDB.
(Pararijos NEWS)