Google+ Badge

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Novo delator da Lava Jato acusa Cunha

O ex-gerente-geral da área Internacional da Petrobrás e novo delator da Lava Jato, Eduardo Vaz Costa Musa, afirmou à Força Tarefa da operação ter ouvido que “quem dava a palavra final” em relação às indicações para a Diretoria Internacional da Petrobrás era o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo o delator, foi o próprio João Augusto Henriques, apontado como lobista do PMDB no esquema e preso na segunda-feira, 21, na 19ª fase da Lava Jato, que lhe revelou como eram as indicações políticas na Diretoria. “Que João Augusto Henriques disse ao declarante que conseguiu emplacar Jorge Luiz Zelada para diretor internacional da Petrobrás com o apoio do PMDB de Minas Gerais, mas quem dava a palavra final era o deputado federal Eduardo Cunha, do PMDB-RJ”, relatou.
Com isso, já são dois delatores da operação relacionando o presidente da Câmara à Diretoria Internacional da Petrobrás, apontada como ‘cota’ do PMDB no esquema de loteamento político e pagamento de propinas para abastecer o caixa de partidos. O executivo e outro delator da Lava Jato, Júlio Camargo, revelou ter sofrido pressão do parlamentar para pagar  a ele propina de US$ 5 milhões referentes a dois contratos de navio-sonda da Petrobrás com uma empresa representada por Camargo. O caso deu origem a uma denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o parlamentar por corrupção e lavagem de dinheiro perante o Supremo Tribunal Federal (STF).
(Pararijos NEWS)