Google+ Badge

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Morto a tiro no próprio carro

0

Moradores do Tapanã testemunharam um homicídio, na manhã de ontem, na estrada principal do bairro, em frente ao conjunto Tapajós. Laércio Gomes Coutinho, que não teve a idade divulgada, foi baleado enquanto dirigia o próprio carro. Após levar o tiro, a vítima perdeu o controle do veículo, caiu em uma vala do acostamento da pista e morreu minutos depois.
O crime ocorreu por volta das 7h30. Algumas pessoas dizem que Laércio jogou o carro para cima de uma moto, na qual estavam assaltantes que tentavam roubar um casal. Os criminosos, então, reagiram e atiraram contra o motorista. Mas outras pessoas afirmam que Laércio estava refém dentro do próprio carro, enquanto outros criminosos em uma moto davam cobertura. Segundo esta versão, o motoqueiro atirou contra Laércio e o assaltante que estava no carro fugiu.
De acordo com o cabo Jadir Siqueira, do 24º Batalhão da Polícia Militar, não há informações suficientes para afirmar o que ocorreu. “A única coisa que foi repassada para a gente é que havia um homem morto dentro do carro, baleado com um tiro no pescoço. Não sabemos ainda o que realmente aconteceu, se foi uma tentativa de assalto ou execução”.
No local do crime, muitos curiosos se aglomeraram para ver o carro tombado e o corpo da vítima. Aparentemente, nada foi roubado de dentro do veículo e Laércio ainda estava com objetos pessoais, como relógio, cordão e aliança.
O perito criminal Jadir dos Santos falou sobre a dinâmica do crime. “Não podemos afirmar se foi assalto ou execução. Mas pelo que percebemos na perícia inicial, o tiro que atingiu a vítima veio de fora do carro e acertou o seu pescoço. Foi fatal. Como o carro estava em movimento, o motorista perdeu os sentidos e o veículo continuou seu curso, indo parar fora da pista, na vala do acostamento”.
Ainda de acordo com o perito, não é possível dar mais detalhes porque a cena do crime foi alterada. “Algumas pessoas tentaram prestar socorro à vítima e abriram a porta do carro, mexeram no banco e nos vidros. Isso alterou totalmente a cena do crime. O que vamos fazer é aguardar o laudo da necropsia do corpo para identificar o tipo de projétil que o atingiu para sabermos a arma utilizada”, esclareceu Jadir dos Santos.
Uma equipe da Divisão de Homicídios foi até o local e fez as primeiras investigações, mas até o final da manhã de ontem nenhum suspeito havia sido identificado. Quem tiver alguma informação que possa ajudar a polícia pode ligar para o 181 (Disque-Denúncia). A ligação é gratuita e não é necessário se identificar.
(Pararijos NEWS)