Google+ Badge

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Jon Jones é condenado



Ontem, Jon Jones deu um passo importante para definir seu futuro. O ex-campeão dos meio-pesados, que está suspenso do UFC após se envolver em um acidente de trânsito, compareceu ao tribunal de Albuquerque, Novo México (EUA), para se declarar culpado pelo atropelamento que cometeu em abril e foi sentenciado pelo juiz Charles Brown a 18 meses de liberdade condicional.
“Assumo minha responsabilidade pelo que ocorreu. Espero que tenha uma oportunidade para me redimir dos meus erros”, garantiu o americano, que admitiu à corte estar “envergonhado” com o que aconteceu, segundo o site americano “MMA Fighting”.
O lutador, nesse incidente, além de não socorrer uma mulher grávida e fugir da polícia, tinha drogas em sua posse. Dessa maneira, além da pena de 18 meses de liberdade condicional, ele também terá que cumprir 72 horas de palestras educacionais a crianças. Segundo a publicação do site americano, o presidente do Ultimate, Dana White, estava acompanhado toda a audiência para dar apoio ao lutador, mas não quis dar nenhuma declaração.
Não ficou claro se, sob os termos da liberdade condicional, seria permitido a Jon Jones voltar a lutar imediatamente. O UFC lançou comunicado oficial em que promete revisar os termos antes de considerar reinstituir o lutador ao seu elenco. “A organização do UFC está ciente que Jon Jones chegou a um acordo com as autoridades em Albuquerque, Novo México, nesta manhã, sobre as acusações associadas a um acidente automobilístico neste ano. Como resultado, o UFC, através da firma de direito de Las Vegas Campbell & Williams, vai revisar minuciosamente o acordo antes de discutir a possível reinstituição de Jones para retornar à competição” diz o texto.
Jones também enviou comunicado oficial à imprensa: “A respeito da decisão tomada pelo tribunal hoje, estou muito feliz em poder colocar este incidente no passado. Minhas ações causaram dor e inconveniência às vidas de outros e, por isso, sinto de verdade e aceito total responsabilidade. Venho trabalhando duro durante este tempo longe do esporte para crescer e amadurecer como homem, e para garantir que nada do tipo aconteça novamente. Aprendi demais com esta situação e estou determinado a me tornar uma pessoa melhor por causa disso. Eu peço desculpas àqueles que foram afetados por minhas ações neste incidente e estou esperançoso que receberei a oportunidade de me redimir nos olhos do público, da minha família e amigos, além dos meus apoiadores. Não tenho certeza de o que o futuro guarda para mim, mas planejo continuar a fazer o trabalho necessário para ser produtivo e bem sucedido em todos os aspectos da minha vida.”
DROGAS
Ainda neste ano, Jon Jones já tinha sido flagrado em exame antidoping por uso de cocaína, mas não recebeu nenhuma suspensão, por essa droga não ser considerada para melhorar rendimento. No entanto, após mais um erro do americano, o UFC decidiu afastá-lo por tempo indeterminado.
Jon Jones era o número um do ranking peso por peso do Ultimate e um dos atletas mais bem remunerados da organização. O lutador, de 28 anos, tem 21 vitórias e apenas uma derrota na carreira. Além disso, o americano defendeu por oito vezes o cinturão dos meio-pesados. A última vez que pisou no octógono foi em janeiro deste ano, no UFC 182, em Las Vegas (EUA), quando derrotou o compatriota Daniel Cormier por decisão unânime dos juízes.
(Pararijos NEWS)