Google+ Badge

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Ex-técnico bicolor morre aos 83 anos

Ex-técnico bicolor morre aos 83 anos (Foto: Reprodução)
Mário Moraes, filho de César, trabalhou como auxiliar do pai. (Foto: Reprodução)
“Se o seu time está na UTI, chame o Guri”. Esse era o slogan adotado pelo técnico César Moraes, carinhosamente apelidado de Guri, termo que ele costumava adotar no tratamento com aqueles que o cercavam. O ex-jogador e treinador, que esteve à frente de Paysandu e Remo, no Pará, faleceu, ontem, aos 83 anos, vítima de complicações causadas pela Doença de Alzheimer.
Moraes era irmão do árbitro Ayrton Vieira de Moraes, o Sansão, e do ator Milton Moraes, ambos também já falecidos. O enterro do, agora, saudoso treinador ocorreu ontem à tarde em um cemitério de Fortaleza, onde nasceu. 
Como jogador, o Guri atuou por América-CE, Portuguesa-SP e outras do futebol gaúcho. Como treinador, foi campeão em 1979 e em 94, pelo Ferroviário. Guri também foi campeão cearense pelo Fortaleza nos anos de 87 e 92. Passou pelo Vovô em 95.
Pelo Paysandu, Moraes conquistou o Campeonato Paraense três vezes: 1980, 82 e 84. O falecimento do treinador foi bastante lamentado por ex-dirigentes e ex-jogadores que trabalharam ao lado dele no futebol do Pará.
Embora tenha contado com grande prestígio no futebol paraense, foi no cearense que Guri teve os melhores momentos de sua carreira. Em eleição realizada pelo site oficial do Ferroviário, por ocasião dos festejos dos 80 anos do clube, “Guri” recebeu 52% dos votos como o principal técnico de todos os tempos da história do Ferrão, dirigindo aquela que é considerada a seleção coral de todos os tempos.
O site do clube prestou homenagens póstumas ao treinador desejando “as mais sinceras condolências aos familiares e amigos de César Moraes”.
(Nildo Lima/Diário do Pará/Pararijos NEWS)