Google+ Badge

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Atingidos por barragens terão produção garantida

Atingidos por barragens terão produção garantida (Foto: Agência Brasil)
O ministro Helder Barbalho lembrou que sua administração colocou muitos projetos em prática (Foto: Agência Brasil)
Depois de 7 anos de espera, 350 famílias que foram prejudicadas com a construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí receberão 2.800 tanques-redes para começar o cultivo de peixes no lago da UHE. “Desde que cheguei ao Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), determinei que essa situação fosse resolvida e trabalhamos muito para isso”, destacou ontem o ministro Helder Barbalho, em Brasília. Segundo ele, a sua administração conseguiu colocar em prática vários projetos que estavam parados.
O ministro lembrou, por exemplo, que o primeiro centro de alevinagem, criado dentro dos princípios do plano de desenvolvimento da aquicultura e visando a implementação do Distrito Industrial de Aquicultura (DIA), começou a sair do papel. Helder e o presidente da Eletronorte, Tito Cardoso de Oliveira Neto, alinharam as ações para que o município de Tucuruí (PA) receba a primeira unidade. A ideia é que a experiência sirva como norte para que sejam implementados mais quatro DIAs em outros estados. “Queremos que a iniciativa seja replicada”, afirmou.
Tucuruí foi escolhida por causa do lago formado pela usina hidrelétrica. O MPA licitou o Parque Aquícola em 2013. Porém, faltava o licenciamento ambiental que é fornecido pelos estados. O problema foi resolvido no início de junho, quando Helder e o secretário de Meio Ambiente do Estado do Pará (Sema), Luiz Fernandes Rocha, assinaram o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) referente à regularização ambiental dos parques.
O TAC tem por objetivo a adoção de medidas específicas visando à adequação dos Parques Aquícolas localizados no lago da usina hidrelétrica de Tucuruí às exigências ambientais. Depois da assinatura, o MPA convocou 377 concessionários para o recadastramento. Em outubro, começa o cultivo no lago. A capacidade de produção no reservatório da usina é de 162..524 toneladas de peixes por ano.
O centro de alevinagem no Lago de Tucuruí está orçado em R$ 3,6 milhões e contará com prédio de 600 metros quadrados, um galpão de 350 metros quadrados e reservatórios. “O terreno está definido e pretendemos licitar as obras na segunda semana de setembro”, contou Tito Neto. O Instituto Federal do Pará (IFPA) ficará responsável pela gestão da unidade.
SUPORTE
Em 12 de agosto, uma equipe da Eletronorte e do MPA visitou o município para escolher a área onde funcionará o primeiro DIA. O terreno também pertence à empresa de energia e abrigará empresas que darão suporte à atividade aquícola, como fábrica de ração e de gelo, fornecedores de equipamento, além dos centros de alevinagem que serão distribuídos para outros municípios da região de Tucuruí.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)