Google+ Badge

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Lixões ainda são ameaça para a aviação


O despejo de entulho e lixo nos bairros vizinhos ao Aeroporto Internacional de Val-de-Cans continua sendo um problema crônico para a segurança dos aviões que aterrissam e decolam de Belém e para os moradores dos bairros em volta. A presença de resíduos orgânicos e lixo doméstico atrai principalmente a espécie urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus), que pode colidir em voo com os aviões e causar acidentes. Nos bairros do Benguí e Sacramenta, pequenas placas colocadas pela Prefeitura de Belém não são capazes de alterar o hábito desenvolvido pela população de despejar detritos nas ruas, servindo apenas como local de pouso e descanso das aves. Além do perigo para a aviação, os lixões trazem outros riscos à população, como doenças, insegurança e acidentes com veículos que trafegam pelas ruas movimentadas.
Em uma das principais entradas do bairro do Benguí, na Travessa Nove, já se encontra o primeiro lixão. Vários urubus se aninham no muro que divide o lixão de uma mata próxima. A placa da prefeitura informa sobre a proibição de jogar lixo e a aplicação de multa de R$ 607,97. “Dá muitos urubus aqui. Fica cheio. Tem horas que fica tudo preto e chama atenção”, relatou o morador da área Arivaldo Pereira, de 63 anos. O mau cheiro para quem mora nas proximidades é outra reclamação. “Bate o vento e o fedor de coisa podre vai todo para dentro das casas”, reclamou.
(Pararijos NEWS)