Google+ Badge

terça-feira, 28 de julho de 2015

Polícia Federal apreendeu 151 kg de drogas em Óbidos


Foto: Reprodução (G1 Santarém)  // TV Tapajós Foto: Reprodução (G1 Santarém) // TV Tapajós
A Operação Sentinela, realizada pela Polícia Federal, apreendeu 151 kg de drogas no primeiro semestre de 2015 em Óbidos, oeste do Pará. Foram 102 kg de cocaína e 49 kg de maconha, além de R$ 700 mil em mercadorias apreendidas no porto da Companhia Docas do Pará (CDP).
A operação é realizada em parceria com a Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) e Receita Federal.
O trabalho de combate ao tráfico de drogas e ao transporte de mercadorias contrabandeadas era realizado na base Candiru, instalada naquele município na década de 90. A base foi desativada em 2009, devido às péssimas condições.
Em 2014, foram apreendidos 334 kg de cocaína e pouco mais de 1 kg de maconha.
Os agentes de fiscalização fazem vistoria verificando a documentação dos passageiros, notas fiscais das mercadorias, se as crianças a bordo estão acompanhadas, como são transportados os alimentos, e a documentação dos veículos transportados.
Segundo o inspetor chefe da Receita Federal de Óbidos, Waner Oliveira, as mercadorias vindas de Manaus precisam de autorização para serem transportadas. “A mercadoria importada que adentra a Zona Franca de Manaus, entra com benefício fiscal e com a suspensão de alguns tributos para sair de lá. Quando excede a cota de bagagem ou está como encomenda, essas mercadorias são apreendidas nas nossas operações. Além disso, tem as mercadorias que são produzidas na Zona Franca de Manaus e que também tem benefício fiscal. Só podem sair de lá com a autorização da autoridade aduaneira”, informou o inspetor.
As mercadorias apreendida vão a leilão ou são doadas. O fiscal da Adepará, Edimar Canto, conta que alimentos derivados de animais que não possuem nota fiscal, são apreendidos na operação. “São destruídos, queijos se vierem sem o CIF, o fornecedor é responsável pelo custo, seguro e frete da mercadoria. A Adepará faz a apreensão e a perda total, porque não pode voltar. O derivado animal, carne, tem que ser fiscalizado quando vem de Manaus para o estado do Pará”, afirmou Canto.
Segundo a Policia Federal, as drogas são transportadas em diversas formas. “Desde o transporte mais comum, que vem dentro das malas sem nenhum tipo de proteção, onde os fiscais abrem a mala e encontram a droga, ou dentro dos lugares mais inusitados possíveis: em eletrodomésticos, dentro de cordas, dentro de frutas, dentro de botijas de gás. Então não existe limite para que os traficantes façam o transporte da droga”, destacou o delegado Olavo Pimentel.
(Pararijos NEWS)