Google+ Badge

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Helder reafirma parceria com o governo da Angola

Helder reafirma parceria com o governo da Angola (Foto: Divulgação)
Ministros Helder e Victoria decidiram trabalhar em conjunto no desenvolvimento do setor pesqueiro (Foto: Divulgação)
Brasil e Angola trabalharão juntos no desenvolvimento do setor pesqueiro. O ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, e a ministra das Pescas do país africano, Victoria de Barros Neto, alinharam, na manhã de ontem, uma série de ações que servirão para troca de experiência para o desenvolvimento da pesca e aquicultura nas duas nações. “Estamos reafirmando o interesse bilateral em construir as duas atividades”, afirmou Helder, que recebeu a colega na sede do ministério, em Brasília.
Segundo Helder, a aquicultura deve ser o ponto principal da parceria. “Mas não vamos deixar de lado a pesca”, acrescentou. O ministro disse que o Brasil, por intermédio de suas empresas públicas e universidades federais, vem desenvolvendo experiências com resultados importantes no setor aquícola, o que está possibilitando a entrada de novas empresas interessadas em investir no cultivo de peixes.
Helder lembrou ainda que um dos focos para o crescimento da aquicultura está na agricultura familiar. Para isso, segundo ele, o ministério vem acertando parcerias com outras instituições de governo, como o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e de instituições como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no que tange a capacitação. Para a pesca, segundo Helder, estão em estudo projetos na área de monitoramento das embarcações. Além disso, o ministro destacou a atuação dos Comitês Permanentes de Gestão (CPGs), que atuam no debate do manejo e preservação das espécies com estoques ameaçados. “Os CPGs são de extrema importância, pois é o ambiente onde se pode discutir o defeso”. 

SEMINÁRIO
A ministra de Angola agradeceu ao ministro pela organização do Seminário Técnico Brasil–Angola, realizado segunda-feira, no ministério. “Os nossos empresários e representantes do governo angolano conheceram a gestão competente do MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura) e visitaram fazendas aquícolas”. 
Victoria destacou a disposição de Helder em avançar nas parcerias e informou que vai implementar, em Angola, os projetos brasileiros que deram certo, principalmente os voltados para a agricultura familiar. “Esse é o caminho de se produzir, desenvolver o país e distribuir renda”, afirmou.
O seminário teve o objetivo de trocar experiências entre os dois países. Segundo Victoria, a expectativa do país africano foi alcançada. “Queremos melhorar a aquicultura, principalmente no cultivo da tilápia. Sabemos que o Brasil tem muito a nos ajudar”, afirmou.
O secretário de Planejamento e Ordenamento da Pesca (Sepop/MPA), Fábio Hazin, explicou que a estratégia do MPA é promover o desenvolvimento sustentável da pesca e aquicultura, articulando atores, consolidando uma política de Estado com inclusão social e contribuindo para a soberania alimentar do Brasil.
Para isso, segundo Hazin, o país conta com os CPGs. “Atualmente, estamos trabalhando em seis CPGs marinhos e quatro continentais. Eles são compostos de 50% de representantes governamentais e a outra metade da sociedade civil”.
O secretário de Infraestrutura e Fomento, Eloy de Sousa Araújo, destacou o Plano Safra da Pesca e Aquicultura (PSPA), que oferecerá R$ 2 bilhões em créditos subsidiados a toda a cadeia produtiva do pescado. Conforme o secretário, esses recursos servirão também para renovar a frota e sanar o problema sanitário das embarcações. 
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)