Google+ Badge

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Esfaqueado por causa de pipa


Andrey Dourival Melo e Silva, de 18 anos, esfaqueou um adolescente de 15 anos depois que os dois tiveram uma discussão por causa de uma pipa de plástico. A vítima não corre risco de morte e o agressor foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio. O crime ocorreu ontem à tarde, no Distrito Industrial, em Ananindeua.
De acordo com a versão apresentava por Andrey, os dois brincavam na rua quando tentaram agarrar a mesma pipa. Andrey derrubou o adolescente, que se feriu e o ameaçou de morte. “Eu gosto de brincar de pipa e foi sem querer que joguei ele no chão. Depois ele começou a dizer que ia me pegar, que levaria alguns caras para queimar a minha casa. Fiquei com medo, porque eu tenho um filho pequeno, de apenas seis meses”, afirmou o agressor.
A versão é contestada pela vítima. O delegado Otto Wirtz, da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Distrito Industrial, contou que o adolescente foi atingido pelas costas e só não recebeu mais facadas porque conseguiu correr. “Se fosse pela frente, poderia ter atingido um órgão vital. Ele já está fora de perigo, mas a perfuração por pouco não atingiu profundamente a coluna, o que poderia ter deixa o rapaz paraplégico”.
Andrey foi preso por uma equipe da Polícia Militar, da 2ª Companhia do 29° Batalhão, sob o comando do sargento César. Ele tentava escapar de ônibus, mas acabou levado até a UIPP. Ele deu trabalho para a polícia, já que apresentou outro nome, mas foi descoberto e atuado em flagrante por tentativa de homicídio. Andrey completou 18 anos recentemente e, durante a adolescência, foi apreendido e cumpriu medidas socioeducativas por causa de roubo qualificado (quando há uso de arma de fogo).
Policiais civis e militares envolvidos na ocorrência não acreditam na versão apresentada pelo agressor e pela vítima, que dizem que tudo ocorreu por causa de uma pipa de plástico. Isto porque testemunhas afirmaram que Andrey foi contratado por traficantes para matar o adolescente. Todas as hipóteses serão investigadas.
(Pararijos NEWS)