Google+ Badge

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Barros Barreto chega ao limite da crise


A falta de materiais como fios cirúrgicos, grampeadores circulares, capotes, sondas e até luvas cirúrgicas foi denunciada ontem pelos residentes do Hospital Universitário João de Barros Barreto, instituição de assistência, ensino e pesquisa ligada à Universidade Federal do Pará (UFPA), que foi abraçada por residentes, servidores e diretores, na manhã de ontem, num ato simbólico de defesa do hospital. “A gente tenta ao máximo não falhar no atendimento, mas às vezes somos obrigados a adiar uma cirurgia por falta de material. Já operei usando luva de nº 6, quando o meu nº é 7”, disse o jovem residente, Anderson Rocha de Queiroz, do 4º ano em cirurgia do aparelho digestivo.
“A gente não tem contrato de manutenção, então se um aparelho quebra, o jeito é guardar, não temos como consertar’’, frisou Anderson Queiroz. Entre os aparelhos danificados à espera de conserto há respirador (equipamento eletromédico cuja função é bombear ar aos pulmões), desfibrilador (capaz de reverter um quadro de fibrilação auricular ou ventricular), eletrocardiógrafo (aparelho que registra o eletrocardiograma), além de aparelhos portáteis importantes no acompanhamento de pacientes, recém-operados. “Há caso em que não temos nem como diagnosticar, faltam hormônios para tipologias da tireoide, por exemplo”, frisou o médico residente.
(Pararijos NEWS)