Google+ Badge

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Bolsa família: 21 mil famílias podem ter benefício suspenso

21 mil famílias podem ter benefício suspenso (Foto: Antônio Melo/Arquivo)
Mais de 45 mil já fizeram a revisão cadastral, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS)
A revisão cadastral do Bolsa Família termina no dia 12 de dezembro e, no Pará, um total de 21.707 famílias correm o risco de terem o benefício cancelado, segundo informou o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) com base nos dados atualizados até o dia 15 de novembro. Apenas os beneficiários que receberam avisos no extrato de pagamento do programa sobre a necessidade de atualização dos dados devem comparecer.
A atualização cadastral é um dos mecanismos de controle do Bolsa Família e qualquer alteração (como mudança de endereço ou de renda, localização da escola dos filhos para acompanhamento da frequência escolar ou composição familiar) deve ser comunicada à gestão municipal. Além disso, a cada dois anos, o responsável pelo benefício precisa atualizar ou confirmar seus dados junto à prefeitura, para que continue recebendo o pagamento do programa.
A atualização pode ser feita junto às prefeituras de todo o país. Em Belém, faltam 3.071 famílias atualizarem os dados, já em Ananindeua um total de 2.367 famílias ainda não compareceram. Em Marituba, outra cidade da Grande Belém, 475 famílias não atenderam à convocação até o dia 15 de novembro.
“Quem não recebeu aviso no extrato não precisa comparecer agora, porque está com o cadastro em ordem”, destaca a secretária adjunta de Renda de Cidadania do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Letícia Bartholo.
A atualização do cadastro das famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família é um processo obrigatório e de rotina, que ocorre todo ano. As informações devem ser atualizadas ou confirmadas a cada dois anos para que as famílias continuem recebendo seus benefícios. Ela garante que as informações declaradas pelas famílias no Cadastro Único estejam atualizadas. Com dados de maior qualidade, é possível avaliar se o beneficiário do Bolsa Família ainda atende às condições necessárias para continuar a fazer parte do programa. E, dependendo das mudanças na situação da família - como, por exemplo, alteração de renda, mortes ou nascimentos -, ela pode ter direito a um valor diferente daquele que recebia antes de atualizar o cadastro.
São obrigadas a fazer a atualização as famílias com mais de dois anos sem nenhuma atualização no Cadastro Único, tendo como base o final do ano anterior. As famílias são convocadas por meio de cartas e informações nos extratos de saque dos benefícios. Muitas prefeituras também fazem convocações locais.
DOCUMENTOS NECESSÁRIOS
Para o responsável pela família (titular do cartão Bolsa Família) – CPF ou Título de Eleitor. Já os responsáveis por famílias indígenas e quilombolas podem apresentar qualquer outro documento de identificação de validade nacional.
Para as demais pessoas da família 
– Pelo menos um dos seguintes documentos: Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (Rani), CPF, Carteira de Identidade; Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Título de Eleitor.
Outros documentos 
– Além da documentação obrigatória, as famílias podem levar outros documentos que ajudem a melhorar a qualidade das informações do Cadastro, como comprovante de residência, conta de energia elétrica, comprovante de matrícula das crianças e adolescentes na escola e carteia de Trabalho e Previdência Social.

Quem não atualizar o cadastro até 12 de dezembro, dentre as famílias convocadas, poderá ter o benefício bloqueado. Se, após 60 dias do bloqueio, ainda não fizer a atualização, o benefício será cancelado.

Fonte: MDS
Pararijos NEWS