Google+ Badge

domingo, 9 de novembro de 2014

Redação fará a diferença na reta final

ARGUMENTO - Professor adverte para uso da língua e pede cuidado com os jargões da internet
A partir do meio-dia de hoje em Belém, para além das 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias e Língua Estrangeira, os estudantes enfrentam um dos momentos mais aguardados e temidos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): a redação no modelo dissertativo-argumentativo com o mínimo de oito linhas. É necessário seguir algumas regras para não ser desclassificado ou perder pontos por erros, já que a nota da redação é a única na qual o inscrito pode atingir mil pontos ou tirar nota zero. Por causa do sistema de correção das questões objetivas, a Teoria de Resposta ao Item (TRI), os candidatos não alcançam os mil pontos mesmo se acertarem todas as questões objetivas em uma disciplina. Uma boa nota na redação faz a diferença na nota final. 
Por esse motivo, algumas recomendações devem ser seguidas, segundo o professor Heliton Tavares, ligado à Universidade Federal do Pará (UFPA) e ex-diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) entre 2008 e 2010. Um dos responsáveis pelas mudanças que resultaram na aceitação do Enem como etapa dos processos seletivos nas universidades em todo o Brasil, ele diz que a redação é um dos momentos mais importantes do exame. “O Enem é uma prova que tenta ligar todas as áreas do conhecimento. A pessoa tem que estar antenada e ligada. A redação está cada vez mais específica e cobrando o uso da linguagem culta. Já vimos muita gente utilizando linguagem de internet, porque as pessoas não tiveram atenção. Nada de colocar verbetes da internet”, advertiu.
VITOR GEMAQUE
Da Redação ORM News