Google+ Badge

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Polícia Civil investiga vídeos em que vereador de Apuí (AM) supostamente comete pedofilia

Um vídeo com imagens pornográficas envolvendo supostamente um vereador do município de Apuí, a 453 quilômetros de Manaus, é a principal prova que a Polícia Civil tem para investigar um crime de pedofilia na Internet contra duas adolescentes de 15 e 16 anos. Sem revelar rostos, o vídeo mostra um homem, possivelmente membro da Câmara Municipal de Apuí, em ato sexual com duas garotas da cidade.
Localizada no extremo sudeste do Estado, por onde passa a rodovia BR-230 (a Transamazônica), a cidade de Apuí foi tomada desde quarta-feira (12) pela divulgação do vídeo, por meio de celulares e redes sociais. Desde então, o titular da 71ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), delegado Francisco Rocha, abriu um inquérito para investigar o caso.
“O vídeo já está sendo periciado para verificar a autenticidade dele ou se há alguma edição fraudulenta. Mas o inquérito corre em caráter sigiloso, por se tratar de menores de idade”, avisou o delegado. Em um dos vídeos, com 11 segundos de duração, é possível ver apenas uma menina praticando sexo oral em um homem adulto.
Em outro arquivo, este com 1 minuto e 19 segundos, as imagens foram feitas dentro de um veículo e mostram o vereador aos beijos com uma jovem seminua, que veste apenas uma calcinha e está com os seios à mostra. Ela pede para não ser fotografada, apesar da insistência do homem, que aparece por apenas alguns segundos enquanto beija a jovem . “Eu não vou tirar foto. Tira esse celular agora”, desbrava a garota, citando o nome do vereador.
Até agora, a polícia teve acesso aos dois vídeos. Conforme o delegado, vítimas e testemunhas já prestaram depoimento no último sábado e domingo (15 e 16), mas o vereador não é encontrado na cidade desde sexta-feira (14), data em que foi emitida sua convocação. “Há fortes indícios de crime por parte do vereador. Esta semana iremos nos manifestar”, disse Rocha.
Na Câmara Municipal de Apuí, ele não foi mais visto. “Estou tentando falar com ele desde sábado. Ele é um vereador atuante”, disse o presidente da Câmara, vereador Wagner da Silva Luiz da Silva. Conforme o parlamentar, o órgão só falará sobre o caso após notificação. “Assim que chegar algo formalizado, a Casa se pronunciará", finalizou.
Estatuto
A prática de ato sexual com pessoas entre 14 e 18 anos não é crime. Entretanto, “produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar cena de sexo explícito ou pornográfica com criança ou adolescente” é configurado crime, conforme artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente, com prisão de quatro a oito anos e multa para o infrator.

(http://acritica.uol.com.br)