Google+ Badge

domingo, 16 de novembro de 2014

Papão empata com Macaé e agora é só não levar gol para se sagrar campeão brasileiro da Série C

O Paysandu mostrou que tem plenas condições de ser campeão brasileiro. Quando resolveu colocar a bola no chão, jogar ofensivamente, explorar as laterais, conseguiu envolver o Macaé-RJ e arrancar o empate por 1 a 1, na partida de ida da final da Série C, em jogo realizado no estádio Cláudio Moacyr. O placar gera uma vantagem mínima ao time paraense. No jogo de volta, marcado para sábado, no Mangueirão, o Paysandu vai se sagrar campeão caso não leve gols. Um novo empate em 1 a 1 resultará em pênaltis. O herói bicolor foi mais uma vez Yago Pikachu, que fez o gol de empate.
O cenário parcialmente favorável, no entanto, foi conquistado com extrema dificuldade. O Macaé foi competitivo, mostrou velocidade e força física, aliados a uma estratégia de jogo que explorou alguns pontos falhos do esquema bicolor, como as costas do lateral esquerdo Airton. No primeiro tempo, o jogo foi amplamente dos donos da casa, as exceções foram dois lances aos 11 minutos, quando o zagueiro Pablo cabeceou e a bola passou rente à trave, e aos 34, dessa vez, Ruan finalizou de forma equivocada.
Depois, o Macaé imprensou, rodeando a área alviceleste e com certo perigo. O Paysandu sofreu com as investidas do lateral Dos Santos. Por sorte, o lateral não foi tão eficiente no fundamento cruzamento. Romário também foi pouco eficiente. Entre as principais chances, o atacante Juba recebeu em velocidade, mas chutou nas mãos do goleiro Paulo Rafael. Aos 30 minutos, o cenário do jogo já era crítico para o Papão. Não havia força para contra-atacar, apenas para se defender. E o pior: a defesa não ostentava segurança. No contra-ataque, o atacante Marquinho recebeu na frente, passou por Paulo Rafael, porém finalizou mal. A conclusão foi tão ruim que o zagueiro Charles conseguiu chegar a tempo para tirar a bola.  
Aos 40 minutos, um lance confuso dentro da área e a finalização de Romário explodiu no braço do zagueiro Charles. O juiz não marcou pênalti, mas indicou jogo perigoso de Charles, que levantou a perna de forma exagerada. Na cobrança de falta, em dois tempos, Felipe Machado bateu a zaga na barreira. Mas o perigo continuou rondando. Se não bastasse, a arbitragem irritou os paraenses pelo excesso de negligência. Em um lance, Charles foi agredido. Do banco de reservas, Marcos Paraná reclamou acintosamente e acabou expulso. No intervalo, Mazola Júnior foi claro. “Eles estão jogando MMA dentro da nossa área.”
No segundo tempo, o panorama se inverteu. A saída de Héverton, lesionado, e a entrada do meia Lenine corrigiu um sério problema do meio-campo do Paysandu. Bem posicionado e com excelente poder de troca de passes, Lenine representou a mudança de postura do Papão. De um time tímido, retraído e sendo pressionado, o time de Mazola passou a atacar.
Ruan passou do tempo e desperdiçou chance de finalização. Aos 13, troca de passes entre Lenine e Ruan. Dessa vez, Ruan finalizou, mas o chute saiu fraco. Na sequência, Bruno Veiga passou pelo zagueiro e sofreu falta. Pikachu errou a cobrança.
Falha de Paulo Rafael põe cariocas no jogo
Quando o jogo parecia controlado, com o Papão próximo ao gol, eis que a casa ruiu. Aos 16, uma falha incrível do goleiro Paulo Rafael. A bola parecia dominada pelo camisa 101. Mas ele bateu roupa e João Carlos, do Macaé, só teve o trabalho para empurrar para o gol. Após o gol, o Paysandu teve um mérito: não se apressou e continuou tocando a bola, tentando encontrar espaços. E a estratégia surtiu efeito. Aos 23, Ruan bateu, dentro da área, para fora. Aos 24, Ruan tentou o passe, mas o zagueiro desviou para dentro do gol. O goleiro Milton Raphael jogou para escanteio. Aos 26, Bruno Veiga passou pelo zagueiro e Ruan bateu. Goleiro fez a defesa em dois tempos. Aos 27, um contra-ataque parecia normal. Bruno Veiga driblou o goleiro e, cara a cara com o goleiro, chutou cruzado para fora.
O gol sairia aos 39. Yago Pikachu bateu falta no meio da confusão. O zagueiro Lombardi subiu e não achou a bola, que tomou o rumo do gol, e enganou o goleiro Milton Raphael. E a vitória poderia desenhar um cenário ainda mais positivo, se o atacante Dennis não se apressasse e concluísse, por cima, um contra-ataque. De qualquer forma, o empate teve um leve sabor de vitória.