Google+ Badge

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Héverton processa a Portuguesa e pede indenização de R$ 13 milhões

O Pivô do episódio que provocou a queda da Portuguesa-SP para a Série B do Campeonato Brasileiro, o meia Héverton decidiu processar o clube por danos morais. O jogador, que anteontem disputou o primeiro jogo da final da Serie C, pelo Paysandu, pede indenização de R$ 13 milhões por entender que o episódio de dezembro de 2013 atrapalhou a sequência de sua carreira. Na ação, ele alega que foi apontado como culpado pelo rebaixamento do clube, ficando com sua reputação manchada. Por conta disso, teria perdido oportunidades e espaço no mercado.
Na sexta-feira passada, os advogados do atleta procolocaram um pedido junto ao Ministério Público de São Paulo solicitando uma cópia do inquérito do “caso Lusa” com o objetivo de anexá-lo à ação movida por seu cliente contra o clube paulista. Caso seja comprovada a tese do MP de que a escalação irregular do meia na última partida do Brasileirão 2013 tenha sido feita de forma premeditada, os advogados acreditam que o prejuízo à imagem do atleta seria inegável.
“O Héverton foi uma vítima e não teve envolvimento algum no caso. Ele era funcionário do clube e simplesmente acatava as ordens. Mesmo assim, acabou dando nome para um escândalo do futebol brasileiro”, afirmou o advogado Juliano Tetto, em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo.
A próxima audiência sobre o caso está marcada para esta semana, em Fortaleza. Na ocasião, o meia Souza prestará depoimento como testemunha a favor de Héverton. Já na esfera cívil, a investigação é conduzida pelo MP de São Paulo. Os principais alvos desse inquérito são o ex-presidente Manuel da Lupa, o ex-diretor jurídico Valdir Rocha e outros quatro diretores do clube. Até agora, porém, não há provas substanciais de que alguém tenha agido de má-fé.
Héverton entrou no segundo tempo do empate em 0 a 0 entre Portuguesa e Grêmio-RS, válido pela última rodada do Brasileirão 2013. O problema é que na sexta-feira anterior ao jogo, o meia havia sido julgado pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), em virtude da expulsão contra o Bahia-BA, e acabou punido com duas partidas de suspensão. Portanto, ele não poderia ter entrado em campo no domingo. Por isso, o STJD considerou que o meia estava em situação irregular e puniu a Lusa, que perdeu quatro pontos e por isso foi rebaixada à Série B.
O contrato do jogador com a Lusa expirou no dia 31 de dezembro e, no início do de 2014, ele se transferiu para o Paysandu. Em abril, o presidente Vandick Lima chegou a anunciar a aposentadoria de Héverton. Dias depois, porém, o jogador voltou atrás.

(O Liberal)